Brasília-DF,
11/DEZ/2018

Espetáculo 'O capote' traz a história de um clássico mais que atual

A peça ocupa os palcos do CCBB até o dia 14 de dezembro

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Diego Ponce de Leon Publicação:13/11/2015 07:04Atualização:12/11/2015 18:06

O ator Rodolfo Vaz sempre teve fascínio por Akaki Akakievitch (João Caldas/Divulgação)
O ator Rodolfo Vaz sempre teve fascínio por Akaki Akakievitch
 

O próprio Dostoiévski afirmou, certa vez: “Todos nós saímos do Capote de Gogol”. De fato, como Dostoiévski ratifica, a literatura russa muito deve a Nikolai Gogol. O conto O capote, clássico do século 19, figura entre os grandes marcos literários daquele país. Nos palcos, ganhou as mais diversas e criativas versões ao longo dos anos.


A atriz, professora e diretora mineira Yara de Novaes também se debruçou sobre o trabalho e provocou uma nova montagem, que traz Rodolfo Vaz (do Galpão) como protagonista. O capote ocupa o CCBB a partir de domingo.


Com adaptação do médico-escritor Drauzio Varella, o enredo revive as experiências do submisso Akaki Akakievitch, personagem tragicômico que traz reflexões sobre o homem, a cidade e o sistema que os une. Funcionário de uma repartição pública, Akaki enfrenta as opressões do Estado enquanto tenta juntar dinheiro para comprar um novo capote. Texto atemporal que reaparece sob o olhar generoso de Yara de Novaes e interpretação elogiada de Rodolfo Vaz, dois consagrados nomes da cena atual.

Duas perguntas para  Rodolfo Vaz

Você já trabalhou com Yara de Novaes e Drauzio Varella anteriormente.Essa proximidade facilita?
Facilita muito. A cumplicidade é fundamental em um processo coletivo de criação. E não foi diferente. Preparamo-nos muito para o espetáculo. Passamos por várias etapas até acharmos o formato ideal para deixar a história bem contada.

Qual é o principal desafio ao montar um texto clássico, tantas vezes já encenado?

O conto segue atual. Nós não fomos para o século 19 para contá-lo. Sempre tive fascínio pela figura de Akaki Akakievitch, um personagem ordinário, sem desejos e sem ironia. Yara sempre me provocava a interpretá-lo. Provocação aceita!

 

SERVIÇO

 

O Capote
Centro Cultural Banco do Brasil (SCES, Tc. 2, Lt. 22). De domingo até 14 de dezembro, de quarta a segunda, às 20h. Espetáculo inspirado na obra do russo Nikolai Gogol. Entrada: R$ 10 e R$ 5 (meia). Não recomendado para menores de 12 anos. 

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES