Brasília-DF,
19/SET/2018

'O capote' traz um turbilhão de emoções para o palco

A adaptação do clássico apresenta uma mistura do trágico com o cômico

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Vinicius Nader Publicação:20/11/2015 07:03Atualização:19/11/2015 13:44

Rodolfo Vaz é um dos destaques da montagem assinada por Yara de Novaes
 (João Caldas/Divulgação)
Rodolfo Vaz é um dos destaques da montagem assinada por Yara de Novaes
 

Clássico e contemporâneo. Trágico e cômico. A dualidade está em cartaz no palco do CCBB com a montagem de O capote, dirigida por Yara de Novaes. No palco, um inspirado Rodolfo Vaz vive Akaki Akakievitch, funcionário público que tem na compra de um capote novo a mola para reassumir o controle da própria vida.


O capote tem dois pontos altos: a adaptação e o vigor do protagonista. Assinada por Drauzio Varella, a montagem aproxima do público a Rússia do autor Nicolai Gógol. O trágico das cenas de um homem que não tem poder sobre como escrever a própria história — em um momento, ele chega a clamar para que os colegas o deixem contá-la — é bem dosado com o cômico de passagens como uma divertida (e oportuna) paródia para a música Ouro de tolo, de Raul Seixas.


Esse turbilhão de emoções de Akaki é um prato cheio para atores do quilate de Rodolfo Vaz. Ele vai, aos poucos, conquistando o público e, numa ascendente louvável, protagoniza uma catarse na cena final. Os coadjuvantes Marcelo Villas Boas e Rodrigo Fregnan, e a musicista Sarah Assis, completam o time afinado, embora os personagens dos dois atores sejam por vezes maçantes.


A montagem desse O capote desliza, porém, na linguagem. Adaptar um clássico de Gógol não constitui tarefa fácil e tentar rechear o espetáculo com pirotecnias cênicas pode não funcionar. A trilha sonora, executada ao vivo por Sarah, até ajuda, embora não seja indispensável. Mas as projeções de vídeo apenas distraem o público e competem com o texto de Gógol. Não acrescentam.


Entre altos e baixos, O capote é uma boa oportunidade para o espectador conhecer um clássico interpretado por elenco de alta competência e ainda refletir sobre quem está no comando da nau da sua vida. Será você?

SERVIÇO

 

O capote
Texto de Nicolai Gógol. Adaptação de Drauzio Varella. Direção de Yara de Novaes. Com Rodolfo Vaz e elenco. No CCBB. Até 14 de dezembro, de quinta a domingo, às 20h. Ingressos a R$ 10 (inteira). Não recomendado para menores de 12 anos. Informações: 3108-7600.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES