Brasília-DF,
18/SET/2018

Musical Beatles num céu de diamantes revive os grandes sucessos do quarteto

Espetáculo leva clássicos do quarteto de Liverpool para uma aventura psicodélica nos palcos

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Publicação:01/04/2016 06:07Atualização:31/03/2016 15:58
 O elenco de 11 atores-cantores interpreta os grandes sucessos da banda inglesa Beatles  ( Leo Ladeira/Divulgação.)
O elenco de 11 atores-cantores interpreta os grandes sucessos da banda inglesa Beatles

Em dezembro de 2007, os diretores Charles Möeller e Cláudio Botelho receberam um convite do Teatro de Arena do Sesc, em Copacabana, para a montagem de espetáculo — um musical jovem leve, com um clima de verão. Os dois, então, decidiram focalizar a obra da mais icônica banda do pop mundial e, em um mês, nascia Beatles num céu de diamantes, para ser encenada por elenco de 11 atores-cantores, acompanhados por piano, violoncelo e percussão.
 
A princípio algo despretensioso, a peça que estreou em 9 de janeiro de 2008, transformou-se num dos maiores fenômenos teatrais do país. Em cartaz há oito anos, já foi vista por 600 mil pessoas em várias capitais brasileiras. Depois de cumprir outra vitoriosa temporada no Rio de Janeiro, entre janeiro e fevereiro últimos, iniciou nova turnê que chega neste fim de semana a Brasília.
 
Hoje, às 18h e 21h30; e amanhã, às 17h e 20h, no Teatro Unip, Jules Vandystadt, Pedro Sol, Felipe Tavolaro, Rodrigo Cirne, Jonas Hammar, Estrela Blanco, Marya Bravo e Tatith Köhler, acompanhados por Tony Lucchesi (piano), Lui Coimbra (violoncelo e violão) e Naife Simões (percussão), contam a história de uma jovem que sai de casa para viver pelo mundo, utilizando as eternas canções dos Beatles.
O título do musical faz referência à psicodélica Lucy in the sky with diamonds, gravada pelo quarteto de Liverpool na década de 1960.
 
Durante quase duas horas os atores-cantores vivenciam diversas situações, utilizando recursos cênicos, como malas, guardas-chuvas e cadeiras. Mas, eles levam a plateia a se emocionar mesmo, é ao interpretar clássicos como All you need is love , And I love her, Hey Jude, Something e The long and winding road, com arranjos de Vandystadt.

Você tem explicação para o fenômeno em que se transformou esse espetáculo?
 Acredito que a longevidade do Beatles num céu de diamantes tem a ver com o fato de ter como foco a obra atemporal da maior banda da história da pop music, e da identificação do público com canções que se eternizaram. Mas, obviamente, contribui muito para isso a performance cênica-vocal do elenco e o trabalho dos diretores.

Foi difícil criar novos arranjos para canções que os fãs dos Beatles gostam de ouvir na versão original?
 Não cheguei a ter muita dificuldade, porque conheço bem a obra dos Beatles. Tive liberdade plena para criar em cima dela, e propus levadas que transformaram as canções em tango, valsa vienense e disco music, por exemplo. O resultado tem recebido elogios de que as ouve.

SERVIÇO
Beatles num céu de diamantes
Musical de Charles Möeller e Cláudio Botelho, com grande elenco, amanhã, às 18h e 21h30; e domingo, às 17h e 20h, no Teatro Unip (913 Sul). Ingressos: R$ 40 (plateia) e R$ 25 (plateia popular) – valores referentes a meia entrada e sujeito a alteração sem aviso prévio. Desconto de 50% para assinantes do Correio. Pontos de venda: G2 do Brsília Shopping e Fnac (ParkShopping)

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES