Brasília-DF,
16/DEZ/2018

Saiba como os passos árabes da dança do ventre influenciam na boa saúde

A dança do ventre une exercício físico, cultura e empoderamento feminino

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Publicação:24/06/2016 07:00Atualização:23/06/2016 18:14

 (Rodrigo Carletti/Divulga??o)
 

 

Batidas de quadril, tremidos e ondulações abdominais marcam os encantos da dança do ventre. Sedução e autonomia são as palavras-chaves da dança, movida pela autoafirmação e pelo reconhecimento social do feminino. Não se sabe ao certo onde a dança surgiu, nem quando, mas os passos conquistaram diferentes cantos do mundo com características do Oriente.


“É importante salientar que a dança do ventre é uma manifestação cultural de diversos países árabes, e que nós pegamos emprestado”, conta a bailarina Caroll Toledo. Nos Estados Unidos, apelidada de Belly Dance, a dança tem como nome original Raks Sharki e, apesar do charme das bailarinas, é uma representação de luta das mulheres. “Acho importante fazer alguns paralelos em sala de aula, contextualizar um pouco o que estamos passando para a frente”, acrescenta Caroll, que também é professora do estilo.


Produzidas com adereços chamativos e brilhantes, as bellydancers impõem a espiritualidade e a força feminina. A cada passo, procuram se posicionar diante de um dia a dia ainda machista. “Em sala de aula trabalhamos muito com resgate de autoestima da mulher”, comenta Caroll. Segundo ela, muitas moças procuram aulas de dança do ventre para se empoderar, além de ser uma alternativa à academia e uma eficiente atividade física.

 

O Brasil já é referência em dança do ventre e temos bailarinas daqui dançando nos principais palcos e hotéis do mundo todo, algumas com carreira internacional consolidada”, diz. Caroll acrescenta que a capital é destaque na área. Como a capital abriga culturas que marcam o mundo com diversidade, a dança do ventre conquistou espaço privilegiado e pode ser praticada e apreciada com facilidade no ambiente artístico.

“Brasília está muito bem colocada no cenário nacional. Temos em Brasília bailarinas de renome e carreira internacional consolidada, além de escolas especializadas e que realizam um trabalho sério”, orgulha-se Caroll.

Onde dançar

Backstage

(710 Norte Bl. D lj. 31). Mensalidade a partir de R$ 119.

 

Dalilah Companhia de Dança do Ventre
(513 Sul bl. C, sobreloja 16; 3345-8575). Mensalidade a partir de R$ 117.

 

Juliana Castro Academia
(508 Sul bl. B 3244-4142). Mensalidade a partir de R$ 145.

 

Zahra Stuido
(506 Sul, Bl. A; 3242 2807). Mensalidade a partir de R$ 65.

 

Zahra Oásis
(SCS, Q. 2 bl. C, Lt. 99, 6º andar, sala 617,edifício São Paulo; 99610-9595). Mensalidade a partir de R$ 65.

 

Anandah Studio
(R.16 Norte Llt. 2, lj. 5, Águas Claras; 3046-1890). Mensalidade a partir de R$ 110.

Empório Árabe

(106 Norte bl. B lj. 31; 3443-0329)

 

Dubai Arguilé Bar

(413 Sul)

 

Rauche
(107 Norte; 3256-5556)

 

Massaya
(411 Norte bl. B;
98281-1111)

 

Arabeske
(211 Norte bl. C; 98369-3990)

 

Arak Bar
(Av. Pau Brasil, lt. 4 lj. 10, Ed. Via Brisa, Águas Claras; 98431-5981)

 

Brazil Hookah
(Av das Araucárias, QS. 38; 3036-5746)

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES