Brasília-DF,
22/SET/2018

Cantora Ludmilla se apresenta hoje na Bamboa Brasil

A funkeira se prepara para lançar o segundo disco em agosto

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Publicação:15/07/2016 06:15Atualização:14/07/2016 18:42
O single Bom estará no próximo disco de Ludmilla (Internet/Reprodução)
O single Bom estará no próximo disco de Ludmilla

A diva do funk melody está de volta à capital. Em show hoje à noite na Bamboa Brasil, a cantora Ludmilla promete uma noite animadíssima, com setlist cheio de sucessos e outras surpresas. Além da alegria do show, o momento é especial, pois a cantora se prepara para lançar o segundo disco, previsto para 19 de agosto. A funkeira lançou no início desta semana o videoclipe do single Bom.
 
“O novo álbum está ficando muito legal. Lancei o single Bom e, em três dias, ele já estava em nono lugar no Global Viral, sendo a única da brasileira da lista e o primeiro no iTunes. O disco terá a participação de Jeremih”, afirma a cantora.
 
Serviço
O Baile com Ludmilla
Festa com Ludmilla e o cantor Thiago Nascimento. Bamboa Brasil (St. Hípico, Área Especial, cj. 22 parte E; 3334-4450). Hoje, às 22h. Ingressos: Pista R$ 50 (meia) e R$ 100 (inteira); camarote R$ 80 (meia) e R$ 160 (inteira). Não recomendado para menores de 18 anos.
 
 
 
Três perguntas para Ludmilla

Em sua carreira artística, você vem sempre reafirmando sua condição de mulher e negra. Você acha que sua postura serve de exemplo para o empoderamento de outras meninas negras? Você já recebeu algum relato de fã, algo que confirmasse isso?
Os artistas são formadores de opinião. Influenciamos, mesmo que indiretamente, outras pessoas. Quando uma pessoa empodera a si, tem condições de empoderar as outras. Tento fazer a minha parte e incentivar os meus fãs a não sofrerem essa violência calados. Muita gente comenta nas minhas redes sociais que se inspirou e teve coragem de denunciar depois da minha atitude. Fico muito feliz de ter ajudado de alguma forma, precisamos ter mais amor e respeito ao próximo.  Todo tipo de preconceito é inadmissível.
 
O funk já foi um estilo musical machista, que explorava bastante o corpo da mulher. Com crescimento do sucesso e a visibilidade de mulheres cantoras de funk, bem como de letras que falam da mulher para a mulher, você acredita que a música pode ser usado como protesto pela igualdade de gênero?  
A música pode ser usada para tudo! Conquistamos o nosso espaço e estamos evoluindo cada vez mais para igualdade.

Você tem feito muitas participações em novelas e séries. Tem vontade de investir na carreira de atriz?  Tem estudado para isso?
Acho superdivertido atuar, adoro esses convites, mesmo não levando muito jeito. Mas não tenho investido nessa carreira. Por enquanto vou continuar na música, que é a minha paixão.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES