Brasília-DF,
19/JUN/2018

Skate ganha força nas ruas da capital

A quantidade de praticantes e pistas cresceu nos anos 2000

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Sara Campos - Especial para o Correio Publicação:15/07/2016 06:30Atualização:14/07/2016 18:59
Modalidade auxilia na ocupação dos espaços públicos de Brasília (Jhonatan Vieira/Esp. CB/D.A Press)
Modalidade auxilia na ocupação dos espaços públicos de Brasília
 
Os traçados da cidade definidos por Lucio Costa tornariam Brasília uma cidade com referências que vão além do status de capital. O cenário urbano é palco ideal para a prática de skate, modalidade esportiva que inclui um estilo de vida e que já divulgou os endereços brasilienses em filmes e documentários. A prática é realizada no Brasil desde a década de 1970, mas ganhou força nos anos 1990 —  mesmo período em que bandas de rock entusiastas da cultura skatista despontaram nas paradas de sucesso das rádios, como os paulistas do Charlie Brown Jr e os americanos do Green Day e Blink 182.
 
“Brasília virou a capital do skate. Nos anos 2000 a cidade teve um boom de praticantes e atualmente podemos ver mais de 10 mil adeptos ocupando as ruas”, ressalta Francisco Pessanha, presidente da Associação de Skate da Capital (ASC). Democrático, o esporte pode ser praticado em qualquer tipo de asfalto, mas alguns materiais podem ajudar em um a melhor performance do praticante —  caso dos pisos feitos de granitine e granilite, que provocam pouco atrito com a roda e garantem o aumento de velocidade.
 
Além de permitir uma sensação libertadora graças à mobilidade, o skate também proporciona ao praticante maior coordenação motora, foco e perda de calorias. “Ultrapassar os obstáculos e superar barreira é o que faz o skate ser uma atividade tão estimulante”, afirma Pessanha, que iniciou a prática durante a adolescência em um dos locais mais frequentados pelos skatistas, o Setor Bancário Sul.
 
O equilíbrio é um dos fatores decisivos que pode influenciar o sucesso das manobras. “Além da prática, sempre recomendo que quem quer entrar no skate leia revistas especializadas e assista a filmes para conhecer todos os elementos que envolvem esse universo”, destaca Pessanha.
 
Apesar de variar entre os praticantes, três meses é o tempo médio de treinamento que pode permitir um maior controle sobre rodas. O viés integrativo do skate também é outro fator que tem atraído cada vez mais adeptos à prática.
 
“Diferentemente de outros esportes praticados em grupo, no skate não há rivalidade. A sensação de liberdade com o vento no rosto e a possibilidade de locomoção têm atraído cada vez mais brasilienses”, finaliza o presidente da ASC.

Tipos de skate
Street
Popular na década de 1980, o formato costuma ter 30cm de altura x 7,5 polegadas de largura. É o mais indicado para iniciantes e aos skatistas que pretendem fazer manobras de giro.
 
Down Hill
Também considerada uma modalidade, a down hill é focada na descida de ladeiras. O skate tem tamanho e rodas maiores.
 
Long board
Similar a uma prancha de surfe, esse tipo de skate permite maior estabilidade e é indicado para a prática em locais íngremes, como Ermida Dom Bosco, Eixão Norte e Zoológico.

Serviço

Principais pistas públicas de skate

Plano Piloto
Setor Bancário Sul
 
Cruzeiro
Em frente ao Terraço Shopping
 
Guará
Ao lado do Cave
 
Núcleo Bandeirante  
Ao lado do Posto de saúde
 
Candangolândia
Parque do Bosque – centro da cidade

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES