Brasília-DF,
25/ABR/2017

Caio Prado faz show de estreia da festa Abalô

Festa pretende celebrar a diversidade na capital

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Adriana Izel Publicação:22/07/2016 07:05Atualização:21/07/2016 14:11
Cantor carioca traz músicas do seu repertório e outras releituras (Arquivo pessoal)
Cantor carioca traz músicas do seu repertório e outras releituras
 
Estreia hoje, às 22h, a festa Abalô, no Outro Calaf (SBS Q. 2, Bl. Q lj. 5/6). O evento, criado pela produção do festival Satélite 061, tem como objetivo celebrar a diversidade na capital. A edição de lançamento contará com a presença do cantor carioca Caio Prado (foto).
 
O artista se tornou conhecido após o lançamento do disco Variável eloquente, que tem faixas como Não recomendado, Maldade do meu bem e Lamento, e será parte do repertório da apresentação em Brasília. “Vou levar o repertório de Variável eloquente. Mas vou fazer também algumas releituras, como da Legião Urbana, inéditas e músicas que farão parte do segundo disco”, adianta Caio Prado ao Correio.
 
O carioca trabalha com música desde 2012 quando começou a participar de festivais e saraus musicais. Formado na Escola de Música Villa-Lobos, no Rio de Janeiro, na cena musical se tornou conhecido no cenário independente quando lançou o CD gravado em companhia de um quarteto de cordas e já está em processo de gravação de um segundo que deve ser lançado apenas em 2017.
 
Além de Prado, a festa ainda terá as discotecagens dos DJs Tutu Moraes, Sandro Biondo e Donna. Entrada a R$ 30 (antecipado) e R$ 40 (primeiro lote). Valores de meia-entrada e sujeitos a alteração. Não recomendado para menores de 18 anos.
 
Duas perguntas para Caio Prado

Sua música tem como característica um viés político. Pretende manter isso no próximo trabalho? 
Sim, essa é a minha formação. Eu estudo ciências sociais e políticas, então isso acaba passando pela minha observação. Pensei no que queria realmente falar. Nesse álbum, quero ser mais direto e comunicativo, porque acho que o artista é um comunicador social. A arte tem que ser combativa, tem que reagir. Quero defender e fazer música para essa comunicação do povo.

Você lançou o primeiro disco da carreira há pouco tempo e já está trabalhando em outro CD. Como está esse processo? 
Na verdade, ainda estou trabalhando Variável eloquente. Foi um disco que me deixou muito feliz. Agora estou saindo do eixo Rio-São Paulo. Mas já estou trabalhando no processo do álbum O mesmo e o outro, que terá a mesma poesia, mas com outro conceito. Será um disco mais popular, com maior alcance. As canções terão mais batidas, com instrumentistas baianos. Tem mais musicalidade, tem referências do soul, da black music e do canto griô.

 

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES