Brasília-DF,
22/AGO/2017

Mulheres ocupam cada vez mais as salas de treino de muay thai pelas academias da cidade

A modalidade não tem restrições de idade e o aumento da procura se deve aos resultados no corpo e condicionamento

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Publicação:09/12/2016 06:48Atualização:08/12/2016 14:51
As mulheres buscam cada vez mais o esporte (Cia Athletica/Divulgação)
As mulheres buscam cada vez mais o esporte

Muay thai é uma arte marcial tailandesa que trabalha com todas as partes do corpo, pois usa os punhos, cotovelos, joelhos, canelas e pés para atacar e defender. O estilo é muito usado por lutadores de MMA (Mixed martial arts) para lutar em pé, mas ganhou adeptos — e especialmente adeptas —  nas academias de Brasília.
 
Por ser uma atividade lúdica com alto gasto calórico, a modalidade virou escolha para as mulheres que querem fugir da academia tradicional. Segundo o instrutor da Cerrado MMA Saulo Veríssimo o aumento da procura se dá por conta dos resultados. “Há alguns anos era só homem que procurava a modalidade. Hoje em dia, por conta dos resultados que o muay thai gera em termos de emagrecimento e condicionamento físico, tem uma grande procura das mulheres”, afirma.
 
O instrutor da Cia. Athletica Rodrigo Aguiar pratica muay thai há 23 anos e constatou que o panorama mudou muito em pouco tempo. “A gente era discriminado, a arte marcial era vista como exercício para brutamontes. Em cinco anos isso mudou, hoje em dia eu tenho mais alunas do que alunos”, explicou.
 
A modalidade não tem restrições de idade ou de forma física, mas é necessário consultar um médico antes de começar. Segundo Rodrigo, os novos praticantes podem ser de qualquer faixa etária, sedentários ou ativos, a única diferença é no cadenciamento do treino. O medo de se machucar também pode ser deixado de lado. “Eu procuro fazer sempre um treino sem traumas, trabalho a técnica dos golpes, mas sem o impacto”, disse Rodrigo.
 
Ticiana Venâncio pratica muay thai há seis meses e, apesar de já ter tentado outras atividades físicas, prefere a luta. “É dinâmico. O tempo passa rápido, é legal dar chute e soco, não é uma coisa monótona igual à academia”, compara.
 
Já Natália Braga começou a lutar há quase três anos, primeiro para fugir da academia, mas agora já pratica todos os dias. “É bom para a cabeça porque você se distrai e aumenta muito a condição física.”
 
Os dois instrutores, Saulo Veríssimo e Rodrigo Aguiar, afirmam que a prática oferece resultados rápidos para os que querem emagrecer e, por isso, muita gente continua praticando. “Tenho uma aluna que perdeu 6% de gordura só no último mês”, afirmou Rodrigo. “A mudança na disposição e na condição física aparece rapidamente, em alguns casos, em apenas duas semanas”, segundo Saulo.


Serviço
Cerrado MMA 
(604 Norte; 99674-0781). Aulas todos os dias, das 6h30 às 21h30. A partir de R$ 129, três vezes por semana.
 
Cia. Athletica
(SCES Tc. 2 Cj. 32/33 Pier 21). Aulas todos os dias. Adulto a partir de R$ 640 (Acesso a toda a academia).

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES