Brasília-DF,
01/JUN/2020

Tensão na fase final de O Aprendiz - o retorno

O último demitido do jogo comandado por Roberto Justus foi Guilherme Séder, que achou injusta a saída

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Diário de Pernambuco Publicação:03/12/2013 10:29
Roberto Justus comanda com rigor as reuniões de 'O aprendiz - o retorno' (J. F. Diório/AE)
Roberto Justus comanda com rigor as reuniões de "O aprendiz - o retorno"

A tensão predomina nas salas de reunião de O aprendiz ­ o retorno até o fim do programa, exibido às terças e quartas, às 23h30, na TV Clube/Record. Dos 16 candidatos na disputa deste ano, apenas quatro seguem. O recifense Rodrigo Solano está em terceiro lugar na enquete online de "aprendiz favorito". Renata Tolentino é a queridinha, seguida por Melina Konstadinidis. Maytê Carvalho é a quarta.

Na décima tarefa do programa, Solano foi o líder da equipe Flecha, mas não soube guiar os membros à vitória. Ficou perto da eliminação. Tranquilidade e liderança participativa marcaram o comando do pernambucano. “Rodrigo foi um bom líder. Uma liderança participativa, acho que, às vezes, até demais, mas não que tenha sido comprometedora”, analisou Maytê.

Roberto Justus conduz a atração. Nesta edição, o apresentador se apropria adequadamente da figura de chefe rígido. As demissões chegam a constranger público e candidato. O último demitido foi Guilherme Séder, que achou injusta a saída. Justus sabe analisar o que os concorrentes possuem de melhor. Uma das críticas constantes gira em torno da falta de criatividade dos candidatos. É preciso ir além para conquistar R$ 1 milhão e uma vaga nas empresas de Justus.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES

EVENTOS






OK