Brasília-DF,
02/ABR/2020

Segunda temporada de The following estreia nesta sexta no Brasil

O ator Kevin Bacon faz papel de um agente do FBI na trama

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Estado de Minas Publicação:31/01/2014 10:34
Sem um papel de destaque no cinema há bom tempo, Kevin Bacon volta à TV em plena forma (Warner/Divulgação)
Sem um papel de destaque no cinema há bom tempo, Kevin Bacon volta à TV em plena forma

Convidado para protagonizar uma série de televisão – coisa que tinha feito somente em início de carreira, na década de 1980 –, Kevin Bacon aceitou estrelar The following com uma condição. A produção teria que ter menos episódios do que os usuais 22 das séries da TV aberta norte-americana. A primeira temporada estreou em janeiro de 2013 com 15 episódios. Com a boa repercussão, logo veio a confirmação de um segundo ano, com a mesma quantidade de capítulos. Na Fox americana, a nova temporada da série sobre a relação entre um serial killer, seus seguidores e um agente do FBI que vive em seu encalço estreou há duas semanas. Nesta sexta-feira, 31, ela entra no ar no Brasil, no canal pago Warner.

Bacon é Ryan Hardy, agente do FBI que tem sua vida pessoal e sua carreira totalmente ligadas à de Joe Carroll (James Purefoy), assassino serial (e genial), que depois de anos preso cria uma seita de fanáticos que espalham o terror pelos Estados Unidos. Ora absolutamente louco, ora com traços de lucidez, o personagem tem uma obsessão por Hardy (no que é correspondido). Para os seguidores (com o perdão do trocadilho) de The following, o primeiro episódio consegue manter o ritmo da série anterior. The following terminou sua temporada inicial com um banho de sangue um tanto exagerado. Um ano mais tarde, seus personagens (ou os que sobreviveram) tentam colar os cacos na história de Kevin Williamson, responsável por boas produções como Dawson’s creek e The vampire diaries.

O episódio desta noite leva o nome de 'Ressurreição'. Não é spoiler entregar que Carroll sobreviveu à explosão de um farol (a série só faria sentido se seu antagonista continuasse, não é?). Mas o personagem, agora de barba, só vai aparecer na cena final do episódio. Hardy, atual frequentador de um grupo de apoio a dependentes de álcool, vive como professor. Finge não ligar para a primeira ação de novos seguidores de Carroll. Na data que marcaria um ano da “morte” do criminoso, três pessoas, usando máscaras com o rosto de Carroll, invadem o metrô de Nova York e matam, a facadas, seis pessoas. Repetem, como num mantra, “ressurreição! ressurreição”.

É o mote para que os personagens voltem a se reunir para tentar encontrar o novo grupo (somente Hardy, nesse começo, tem consciência de que Carroll está muito vivo). Para manter uma nova temporada no ar, foram criados novos personagens. A seita de Carroll parece ter se desmembrado. Com isso, abre-se a possibilidade de novos conflitos, o que sustentaria boa parte da nova temporada. E Bacon, há tempos sem um papel de destaque no cinema, mostra-se em grande momento. Atenção para a cena na parte final, em que ele veste uma máscara de Carroll. Sem dizer uma só palavra, ele diz tudo.

THE FOLLOWING

Estreia nesta sexta-feira, 31 de janeiro, às 22h25, no Warner Channel.

HOMENAGEM A POE
Nos EUA, o segundo ano de The following estreou em 19 de janeiro, também o dia de nascimento de Edgar Allan Poe. Um dos grandes contistas norte-americanos de suspense (1809-1849), Poe é a grande inspiração de Joe Carroll. Professor de literatura especialista em sua obra, ele mata (ou instiga seus seguidores) suas vítimas de acordo com as histórias criadas pelo escritor do movimento romântico. Como professor Carroll foi brilhante; como escritor, é medíocre.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES

EVENTOS






OK