Brasília-DF,
17/OUT/2017

Carla Diaz encara seu primeiro papel adulto e polêmico em "Plano Alto"

A personagem, segundo a intérprete, lutará em cena por um país melhor, mas também tem um grande segredo a ser desvendado

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Agência Estado Publicação:16/07/2014 14:09
 ( Luiza Dantas/Carta Z Noticias)

Aos 23 anos, a atriz Carla Diaz vai fazer seu primeiro papel adulto na TV. A menina, que brilhou em "O Clone" (Globo) no ano de 2002, como Khadija, será a estudante de jornalismo Lucrécia em "Plano Alto", a nova minissérie da Record A estreia está prevista para o início do mês de setembro. A personagem trabalha num site, indo atrás dos políticos e também está insatisfeita com a administração pública. Ela lidera um grupo de "black blocs" na trama de Marcílio Moraes.

Carla começou a atuar em 1994, na novela "Éramos Seis", do SBT. De lá para cá, coleciona papéis na televisão e gosta tanto desse universo que está fazendo faculdade de cinema. Ela também pensa em trabalhar atrás das câmeras. "Adoraria fazer mais filmes como atriz e quem sabe em outra função também", diz a jovem.

Com pele e cabelos claros, a atriz está morena desde que fez uma participação na série bíblica "Milagres deJesus" (Record) e está amando tanto a experiência que resolveu, junto com a equipe de produção de "Plano Alto", manter o tom escuro nos fios para viver a estudante revolucionária.

A personagem, segundo a intérprete, lutará em cena por um país melhor, mas também tem um grande segredo a ser desvendado. "O desafio nessa minissérie, para mim, é representar algumas pessoas que sofreram um grande trauma na infância. Por isso, tem uma fragilidade enorme a ser trabalhada", comenta Carla, cujo último personagem de novela, Márcia, ficou dois anos no ar em "Rebelde".

Você vai fazer um papel que deve dar muito pano para manga, pois estará envolvida com manifestações dentro de um contexto político. Como surgiu essa oportunidade?

CARLA DIAZ - O convite para "Plano Alto" veio do querido diretor Ivan Zettel e da Rede Record. Fiquei e ainda estou muito feliz, pois, como eles falaram, a Lucrécia é uma personagem que marcará a minha carreira. Fará um diferencial, principalmente pelo tema que estamos abordando.

Lucrecia é estudante de jornalismo. Você fez algum tipo de laboratório?

CARLA - Comecei a observar mais os jornalistas desde que recebi o convite para esse papel, principalmente aqueles que vêm falar comigo. Também passei a ler mais sobre política.

Como será a apresentação dessa jovem? Ela luta por um país melhor?

CARLA - Ela trabalha no site Comunicado Importante, indo atrás dos políticos para fazer reportagens, semprecorrendo atrás da verdade, já que está insatisfeita com a administração deles. Lucrécia pesquisa a fundo sobre diversos casos e também luta por um Brasil melhor, indo para as ruas, liderando e participando como umadas representantes táticas de um dos movimentos da trama, o dos "black blocs". Ela também tem uma grande luta pessoal por causa de um trauma sofrido na infância.

Como você começou menina e está passando, agora, aos papéis adultos, está dando um frio na barriga? Vamos ver cenas quentes na minissérie?


CARLA - Na verdade, eu cresci junto com as minhas personagens. Então, fazer uma personagem mais madura, comtemas de "gente grande", faz parte da minha realidade pessoal também. Não é diferente, apenas o público vaime ver fazendo uma jovem mulher de 23 anos. Obviamente, a história e os conflitos da Lucrécia são diferentes dos meus. O desafio nessa minissérie, para mim, é representar algumas pessoas que sofreram um grande trauma na infância. Por isso, tem uma fragilidade enorme a ser trabalhada. Por outro lado, representar também, com muita força, uma sociedade insatisfeita com a política brasileira, é uma parte deliciosa de se trabalhar, pois deixa a personagem muito próxima da realidade.

Você está estudando sobre política e sobre o passado político do nosso país?

CARLA - Eu sempre amei história, principalmente a nossa, pois tenho uma curiosidade particular em saber do passado e presente. Agora, com a minissérie, estou mergulhando mais no tema da política para construir melhor a Lucrécia e entender mais essa personagem.

Você mudou o visual um pouco. Foi um pedido de caracterização para a trama?


CARLA - Já tinha escurecido o cabelo para fazer "Milagres de Jesus" e me amei morena. Então, o Ivan Zettel,junto com o caracterizador da trama, mostraram algumas referências para o papel. Decidimos fazer um corte mais moderno, deixando o tom castanho-escuro, mas clareando um pouco as pontas.

Mesmo com apenas 23 anos, você já é uma veterana na TV. Quais são seus planos para o futuro?

CARLA - Estou com 23 anos de vida e 21 anos de carreira. Já conquistei muitas coisas, realizei muitos sonhos. Porém, ainda sou jovem e tenho muitos outros sonhos. Faço faculdade de cinema, que é uma grande paixão, mas adoraria fazer mais filmes como atriz e, quem sabe, em outra função também. Tenho um projeto de uma peça adulta que desejo muito fazer. Jamais quero abandonar a televisão, que foi onde comecei. Espero apenas continuar tendo oportunidade de fazer grandes personagens. Na vida pessoal, quero conhecer o mundo, viajar bastante e, mais para frente, constituir uma família.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES

EVENTOS






OK