Brasília-DF,
20/SET/2017

Emissoras apostam em mudanças para acompanhar os novos formatos do humor

Zorra total e A praça é nossa resistem e conseguem bons índices de audiência

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Juliana Figueiredo Publicação:10/08/2014 06:09Atualização:08/08/2014 14:42
A praça é nossa usa um humor mais adulto e apelativo 
 (Artur Igrecias/SBT)
A praça é nossa usa um humor mais adulto e apelativo
Em constantes mudanças desde a popularização dos improvisos do stand-up comedy, em 2008, o humor da tevê aberta passou a incorporar fórmulas bastante conhecidas dos vídeos de internet e da tevê paga. Isso gerou um produto mais próximo do público, com menos personagens caricatos. Fugindo às séries e aos programas do gênero, agora exibidos por temporadas, duas atrações tradicionais da tevê resistem à corrente e insistem no humor dito pastelão.

Há 27 anos como principal humorístico do SBT, o programa de Carlos Alberto de Nóbrega é o mais antigo do gênero na tevê brasileira. Conhecido por já ter sido palco de grandes nomes, o A praça é nossa mudou apenas o estilo de piadas, com um guinada a conteúdos sexuais e adultos. A mudança a deixa como a maior audiência do horário de exibição, de segunda a sexta, no SBT - ganhando, por vezes, do concorrente Na moral, do apresentador Pedro Bial.

Mudanças também ocorreram no Zorra total, líder de audiência desde que estreou, em 1999. Exibido inicialmente às quintas-feiras, o programa migrou para o sábado e lá ficou. Sempre muito criticado, apoia-se no sucesso esporádico de quadros específicos. Atualmente, a aposta é nos vários personagens de Rodrigo Sant'Anna e Thalita Carauta. A audiência varia entre 14 e 19 pontos, longe da média de 30 pontos alcançada nos tempos áureos.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES

EVENTOS






OK