Brasília-DF,
18/OUT/2017

Confira a trajetória da carreira e entrevista com o humorista Marcos Veras

Sucesso no humorístico Zorra Total, e agora, apresentador no Encontro com Fátima Bernardes, Veras estabelece uma carreira sólida

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Adriana Izel Publicação:31/08/2014 06:08Atualização:29/08/2014 13:17

De publicitário a ator, Veras já passou por teatro, cinema e tevê
 (Sergio Santoin/Divulgação)
De publicitário a ator, Veras já passou por teatro, cinema e tevê
Humorista, ator, apresentador e publicitário. Essas são algumas das facetas de Marcos Veras. O carioca, atualmente, integra o elenco do programa Encontro com Fátima Bernardes e foi confirmado para a próxima novela das 20h da Globo, Babilônia.

A empreitada mudará alguns aspectos na vida profissional do comediante. Ele não poderá mais aparecer nos vídeos do canal Porta dos Fundos, do qual faz parte ao lado da esposa, Júlia Rabello. No entanto, as participações já gravadas para a atração televisiva do grupo, que deve estrear em outubro na Fox, foram liberadas pela emissora atual de Veras.

A estreia de Marcos Veras no Encontro foi em 2012. A ideia era que ele atuasse apenas como humorista, mas, com o passar do tempo, ganhou espaço e acabou se tornando uma peça-chave no matinal, ao atuar como comediante e repórter.

A escolha por Marcos Veras para participar do Encontro com Fátima Bernardes veio, principalmente, após o ator se destacar no Zorra total. Ele dava vida ao Menino Soluço e o gay mafioso Frescone. "Ela (Fátima) já acompanhava meu trabalho, mas disse que, durante uma entrevista, percebeu que eu poderia estar no programa", conta.

 (Facebook/Reprodução)
Trajetória


O humor surgiu ainda na infância, quando Veras imitava familiares, amigos e professores. Formou-se na Escola de Teatro Dirceu de Mattos em artes cênicas e, também, em propaganda e marketing na Universidade Estácio de Sá, no Rio de Janeiro. "Sempre fui fã dos programas e filmes de comédia. Assistia e reproduzia em casa, nas festas e na escola. Quando fui fazer escola de teatro, soltei todos esses bichos", recorda-se.


A primeira peça profissional foi a infantil A bela adormecida. Nos anos 2000, ele entrou no elenco do programa Patrulha na cidade, na Super Rádio Tupi. Na televisão, a estreia foi como apresentador do canal de vendas Shoptime. Ele atuou em novelas da Record antes de ser contratado pela Globo.

Personagens


Marcos Veras é conhecido por muitos personagens humorísticos. Menino soluço e Frescone, do Zorra total, são alguns. As imitações Gaetano, Jonas, Vampijunior e Ruan Santana também são muito lembradas. Toinho, que veio do programa da Super Rádio Tupi, é um dos papéis mais icônicos do ator. Por conta do sucesso, Veras chegou a apresentar uma atração de forró na rádio.

Sétima arte

No último ano, Marcos Veras esteve em duas atrações nacionais nas telonas. Copa de elite, uma sátira do sucesso Tropa de elite; e Vestido pra casar, em que atua ao lado da esposa. Antes, ele havia participado dos curtas Os tubarões de Copacabana (2010) e Damasceno e o caixão (2008).

 

Confira a entrevista com Marcos Veras

 

Como começou o seu envolvimento com a atuação e a comédia?
Sempre fui fã dos programas de humor, dos filmes de comédia. Assistia e reproduzia em casa, nas festas, e na escola. E quando fui fazer escola de teatro soltei todos esses bichos.

Você fazia alguns papéis o Zorra Total e agora participa do programa de Fátima Bernardes. Como surgiu esse convite de transição?
Fátima me chamou depois de ter visto uma entrevista minha com a Angélica no Estrelas, já acompanhava meu trabalho mas disse que ali percebeu que eu poderia estar no programa. Fiz Encontro e Zorra ao mesmo tempo. Só esse ano sai do Zorra. Na verdade tudo é entretenimento, comunicação e arte. Gosto de desafios.

Qual é a diferença de fazer humor em stand-up, na tevê e na internet?
Cada veículo tem sua peculiaridade. Na internet você te muito mais liberdade porque a o espectador vai aquilo se quiser, a hora que quiser. Os acordos são diferentes. A tevê é um veículo mais responsável pelo número de pessoas que atinge então automaticamente a responsabilidade do humor é maior. Hoje em dia a internet e televisão namoram bastante em seus formatos.

Como comediante, como você vê o panorama do humor hoje no Brasil?
Temos grandes humoristas. Sempre tivemos. A cada ano surge um novo talento vindo do teatro, da internet. Somos um país que gosta de comédia. E o mais bacana que além de surgir novos, os mais experientes continuam aí dando sua contribuição importante pro fomento do humor. Hoje temos várias frentes no cinema e na internet. A TV ainda precisa se renovar nesse sentido de ter mais novidades, e arriscar mais.

Você é casado com uma humorista. Como é a convivência de dois comediantes?

A Júlia na verdade é atriz. uma atriz que faz comédia. Nos damos muito bem, nos divertimos muito. Cada um tem seu espaço. Ela é uma comediante incrível. Mas faz drama também. Adoramos trabalhar juntos

Você também fez alguns papéis no cinema. Como foi essa experiência?
Adorei e não quero mais parar. Tive minha experiência com o Copa de Elite e de lá pra cá em menos de um ano rodei três filmes. E vem mais por aí. É fascinante.

 

Confira imitações de Marcos Veras:

 

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES

EVENTOS






OK