Brasília-DF,
28/NOV/2021

Claudia Jimenez volta à TV em nova série de Miguel Falabella

Atriz será a Jesuína de "Sexo e As negas", seriado inspirado na atração norte-americana "Sexy in the city"

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Thayse Boldrini Diário de Pernambuco Publicação:16/09/2014 11:18
 (Globo/Alex Carvalho)
Depois de dois anos de idas e vindas ao hospital por problemas de saúde, quando precisou se afastar da novela Além do Horizonte e colocar um marca-passo no coração, muita coisa mudou na vida de Claudia Jimenez. A partir desta terça-feira (16), ela estará de volta às telinhas com tudo, interpretando a personagem Jesuína, dona de um bar e narradora de uma rádio em Sexo e as Negas - novo seriado de Miguel Falabella, seu parceiro há anos, desde o começo de Sai de Baixo. "Eu serei a Carrie da comunidade", contou fazendo referência à personagem de Sarah Jessika Parker em Sex and the city.

Ainda no leito, Claudia recebia visitas do autor e amigo, que fazia questão de tê-la em sua nova história. "Saber que Miguel me esperava para um novo trabalho deu forças para seguir com a luta pela vida", adiantou. Feliz com o novo projeto, Claudia agradeceu o apoio e compreensão da emissora e de todo o núcleo da série. "Todo mundo me acolheu de forma agradável. Eu não podia esperar outra coisa, porque esse tempo todo a Globo tem sido uma mãe para mim. Eles sempre disseram: 'Volta quando você quiser, e quando você voltar nós vamos te ajudar a recomeçar'", disse a atriz. .O momento em que mais temeu pela vida foi quando passou por uma operação para substituir a válvula aórtica do coração, em julho de 2012.

Para a nova personagem, Claudia fez algumas visitas em Cordovil, subúrbio carioca, e gravou no local."Foi uma farra. O pessoal não estava acostumado a ver artista, e nesse elenco, por causa da Edileuza, do Sai de Baixo, quem estava mais evidente naquele momento era eu. Então todo mundo queria tirar foto", contou. Para dar vida à Jesuína em Sexo e as negas, a atriz adaptou o visual. Como a personagem centraliza o encontro de vários núcleos, suas roupas são mais neutras, com saia reta estampada e blusa lisa ou saia reta lisa com blusa estampada, incluindo uma peruca com cabelos no tom de castanho claro. Durante a conversa com a equipe do Viver, ela falava pausadamente e intercalava suas respostas com alguns copos de água.

Entrevista >> Claudia Jimenez

Como está a sua recuperação?
Estou ótima. Acabou o problema e daqui a pouco vai poder até pintar um romance. Não posso parar de jeito nenhuma o exercício, cuidado maior com a dieta e terapia porque stress mata. Sou filha se italiana com espanhol, já viu, né? Tenho de controlar o gênio. Agora é voltar a viver e aproveitar a vida.

Como é que está o ritmo de gravações?
Está muito bom. A Cininha está me respeitando, a produção. exemplo, a semana que eu gravo muito até tarde, na semana seguinte, eu já gravo menos, dois dias. Tem todo um planejamento para me acolher de uma forma agradável. Isso eu não podia esperar diferente porque a Globo, realmente, é uma mãe pra mim. Esse tempo todo no hospital, o tempo todo eles dizendo 'você volta quando você quiser', quando você realmente tiver se sentindo inteira. E quando você voltar, vamos te ajudar a recomeçar e isso ta acontecendo. Além disso, ganhei uma dublê, que é minha sobrinha, Bianca Jimemez. Ela faz marcação de luz e de posicionamento para não cansar muito. Não fui eu que pedi não! A cininha que me deu.

Você esteve em Cordovil? A comunidade é um tanto quanto perigosa, sentiu medo de gravar lá? Tive. Foi uma farra lá. Gravei dois dias. Porque lá, eles não estão acostumados a ver artista. E, do elenco, a mais evidente, por causa da Edileuza, de Sai de Baixo, no momento era eu. Então, todos vieram em cima de mim pra tirar foto. A gente fica com medo, mas quando chega lá, eles são tão queridos. O pessoal dizia o tempo todo 'fica tranquila, tá em casa'. A gente fica com medo porque a gente não conhece. Pra eles também, a gente invadir a comunidade com um monte de gente, caminhão, eles também ficaram cabreiros.

Fala um pouco sobre a sua personagem, a Jesuína.
A Jesuína é dona de um bar que é onde acontece tudo, igual às meninas de Sex and the city, que elas têm um lugar que é o point. Como a Jesuína é mais velha, ela dá conselho para as meninas, mais ou menos como eu no programa. Tá ali a Jesuína para contar a história delas.

Ela terá uma paixão por um garotinho não é?
Já tiveram umas três, não sei com quem vai ficar. Miguel gosta de me jogar ali né?! Toda vez ele faz isso comigo. Bota garotões e eu não reclamo, né?!.

E o seu coração? Está sentindo falta de ter alguém?
Não. No momento ninguém. Daqui pra baixo (sinalizou com as mãos do pescoço até os pés) estou fechada para obras. Mas, jajá aparece, eu não demoro né?! Sou escorpiã, sabe como é né?!.

Quanto tempo você ficou no hospital? Qual foi o momento mais difícil deste período?
Com todo o tempo de idas e vindas foram dois anos, até que eu botei o marca-passo. Aí o marcapasso me deixou tranquila. Se o coração falhar, o marcapasso entra. Tô livre e solta. O momento mais dificil foi quando eu troquei a válvula aórtica, porque como eu já tinha operado o coração uma vez, pra operar denovo era realmente um risco muito grande. E eu fui pro centro cirúrgico sem saber se eu ia voltar. Esse momento principalmente para minha família e para os meus amigos que estavam ali me esperando foi um momento difícil. Mas, como eu sou guerreira, tô aqui.

Fez promessa?
Não. Eu rezei para Deus que iluminasse todos os médicos na hora da cirurgia. Isso era o mais importante.

E a sua volta às novelas?
Se eu achar que não vou evoluir, não aceito. Não é uma escolha entre novela ou programa. Qualquer coisa onde eu possa exercer o meu ofício, que é interpretar, eu estou dentro.+personagem
Jesuína: Gente fina, é dona de um bar na Cidade Alta e tem um programa na rádio da comunidade. É amiga e conselheira do quarteto formado por Tilde (Corina Sabbas), Soraia (Maria Bia), Lia (Lilian Valeska) e Zulma (Karin Hills), que costuma se reunir no bar, que é ponto de encontro dessas quatro amigas. Lá, trocam experiências e confidências. E, na rádio comunitária, que mantém nos fundos do bar, Jesuína emite, através de sua voz, reflexões sobre as circunstâncias que abatem a vida de cada um. +relembre a carreira da atriz:

Claudia declarou em entrevistas que seu problema no coração é decorrente da radioterapia a qual foi submetida quando teve um câncer no mediastino, que tratou em 1986.

Participou dos programas humorísticos Escolinha do Professor Raimundo, Os Trapalhões, Sai de Baixo e Zorra Total. Fez sucesso o seu bordão "Beijinho-Beijinho, Pau-Pau!", paródia maliciosa de Xuxa, que se despedia sempre em seu programa de TV com a frase: "Beijinho-Beijinho, Tchau-Tchau!".

O auge de sua carreira foi com a personagem Edileuza, em Sai de Baixo (1996).

Em 1999, Claudia colocou cinco pontes de safena depois de sofrer um infarto.

Claudia Jimenez deu a voz à personagem Ellie no filme A Era do Gelo (2009).

Em agosto de 2012, Claudia passou por uma cirurgia de substituição da válvula aórtica.

Em maio de 2013, precisou colocar quatro stents - pequenos tubos perfurados que são inseridos no interior das artérias para facilitar a circulação sanguínea - em sua safena, que estava entupida. Neste período, Jimenez ficou de repouso em casa.

+números


38

anos de TV Globo

20
trabalhos na TV, entre séries e novelas

10
filmes atuados ao longo da carreira. O primeiro foi Gabriela Cravo e Canela

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES

EVENTOS






OK