Brasília-DF,
24/SET/2017

'Minha vida de gigante' e 'Os pequenos Johnstones' mostram os dois lados da moeda

Novos realities shows do canal TLC retratam as dificuldades em situações opostas

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Ataide de Almeida Jr. Publicação:25/10/2015 07:00Atualização:23/10/2015 14:23
Entrar no carro é uma das dificuldades das garotas de 'Minha vida de gigante' (James Cartwright/Divulgação)
Entrar no carro é uma das dificuldades das garotas de 'Minha vida de gigante'

A televisão vive de extremos, seja nos sentimentos — sempre muito romance, drama ou risos —, seja nas situações impostas pelos chamados doc-realitys, programas no estilo de reality shows, mas com um toque de documentários. E é com base nesses extremos, que o canal TLC estreia, na terça-feira, os programas Minha vida de gigante e Os pequenos Johnstones.
 
O primeiro conta a história de quatro mulheres que têm um diferencial: medem mais de dois metros de altura. E, logo nos primeiros episódios, ele mostra Lindsay, que herdou a estatura do pai, a quem não vê desde a infância; 16 anos depois do último contato com ele, Lindsay contrata um investigador particular e está decidida a encontrá-lo. No Texas, a adolescente Nancy vive os desafios da idade enquanto equilibra as demandas da escola e o estrelato no time de basquete.
 
Aos 36 anos, Colleen acaba de mudar-se para San Diego e vasculha os sites de namoro online em busca de um par que consiga lidar com a autoconfiança de uma mulher resolvida. Haleigh namora e está prestes a dar um importante passo: assumir o compromisso de casar-se. Para viver o sonho, ela precisa convencer o próprio pai de que já é crescida o bastante para fazer suas escolhas.
 
A cada episódio, a série vai mostrar a rotina delas e deve documentar como é a vida vista do alto. Mas as dificuldades não param por aí. Certas tarefas corriqueiras serão para sempre um incômodo: as pernas ficam apertadas no carro, a viagem de avião é um suplício, nada tem ergonomia ideal e comprar roupas quase sempre é uma experiência traumática.
 
A família Johnstones mostra as dificuldades de  ser pequeno (TLC/Divulgação)
A família Johnstones mostra as dificuldades de ser pequeno
 
 
Pequenos

E o problema continua sendo a altura em Os pequenos Johnstones, mas agora a pouca altura. O doc-reality vai contar a história de Amber e Trent e dos cinco filhos deles: Anna, Elizabeth, Jonah, Alex e Emma. Todos são anões, e as câmeras registram os desafios da família.
Na estreia, que vai ao ar na terça-feira, às 23h30, a série vai mostrar que, após um ano dormindo em quartos improvisados, conseguem comprar a casa dos sonhos e trabalham para deixá-la com a cara deles. O casal corre para dar conta da reforma e educar seus filhos em um mundo que não foi planejado para eles, onde o preconceito ainda é uma barreira que as crianças devem superar desde muito cedo.
Vale lembrar que esse momento também é importante para Trent e Amber porque o sonho dos dois sempre foi ter a casa cheia. Começaram com três filhos biológicos, sendo um de uma gravidez de alto risco, decidiram adotar mais dois, que também têm nanismo.

Assista também

Um dos primeiros reality shows a mostrar as dificuldades de quem tem nanismo foi A pequena grande família, que mostrou a vida da família Rollof, que é composta por Matt e Amy, pai e mãe, e quatro filhos: Jeremy, Zachary, Molly e Jacob. Zach, Amy e Matt são os que apresentam nanismo. A série tem nove temporadas e 239 episódios e está em constante reprise pelo canal TLC. No ano passado,
o casal anunciou a separação
após 26 anos juntos. Os dois não deram o motivo do divórcio, mas disseram que o casamento já estava em crise.

Serviço
Minha vida de gigante
Toda terça-feira, às 22h20, no TLC
Os pequenos Johnstones
Toda terça-feira, às 23h30, no TLC



COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES

EVENTOS






OK