Brasília-DF,
06/DEZ/2019

Brothers & Sisters levou o público às lágrimas com drama familiar

Entre 2006 e 2011, a família Walker emocionou e entreteve espectadores ao redor do mundo

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Publicação:08/11/2015 07:00
Dramas da família Walker conquistaram corações  (Andrew Eccles/Universal Channel)
Dramas da família Walker conquistaram corações

Entre 2006 e 2011 fãs de seriado acompanharam atentamente cada passo dos Walker. A família protagonista de Brothers & Sisters arrancou muitas lágrimas e algumas risadas com sua trama que mesclava drama com alguns tons de comédia. Era fácil se identificar com algum dos Walkers — ou com traços de vários deles — e talvez aí esteja o segredo do sucesso da atração que teve cinco temporadas.

Logo no primeiro episódio, somos apresentados a uma família complexa formada pelos pais e mais cinco filhos adultos. A morte do patriarca por conta de um ataque cardíaco coloca a família unida — até demais — e segredos e implicâncias do passado voltam à tona.

É em torno da matriarca Nora (vivida pela premiada Sally Field) que gira a trama. Ela é daquelas mães que querem controlar cada passo dos filhos. E se mete na vida deles até que alguém grite basta. E muitos gritam — não que isso dê jeito em Nora. Afinal, ela é também o porto seguro da família.

O primogênito Tommy (Balthazar Getty) sonha em herdar os negócios da família e faz disso seu grande objetivo de vida. Só faltou combinar isso com a mãe e com os irmãos, que têm maneiras diferentes de lidar com os negócios. As divergências são tantas que, no fim da terceira temporada, Tommy deixa Los Angeles e passa a ser uma participação especial em capítulos esporádicos.

Contrabalancear a carreira de executiva e a maternidade é o desafio de Sarah (Rachel Griffiths). A partir da terceira temporada, ela resolve se dedicar mais aos negócios da família e começa, com isso, a descobrir um lado sombrio do pai que ela não queria ver.

Kevin (Matthew Rhys) é advogado. Homossexual assumido, ele é um dos destaques de todas as temporadas. Como o pai não aceitava bem o fato de ele ser gay, o rapaz se culpa pela morte do patriarca. A trama em que ele tenta adotar uma criança ao lado do companheiro conquistou os EUA e o Brasil, onde o seriado foi exibido pelo Universal Channel e pelo GNT.

Filha mais diferente de Nora, Kitty (Calista Flockhart) ganha dois momentos de destaque. O primeiro é quando se apaixona por um senador republicano interpretado por Rob Lowe. O problema é o que o resto da família é democrata e Kitty herda do marido a carreira política quando ele morre num acidente que marca uma guinada em toda a trama, no fim da terceira temporada. O segundo destaque é a luta de Kitty contra um câncer, que mobiliza toda a família.

Por fim, o caçula Justin (Dave Annable) é um veterano da Guerra do Afeganistão. Personagem secundário nas primeiras temporadas, ele ganha força ao se apaixonar por Rebecca (Emily VanCamp), que todos pensam ser filha do patriarca com a amante dele. Outro ponto que Brothers & Sisters aproveita para discutir por meio de Justin é a dependência química que muitos veteranos desenvolvem por conta de remédios.

Brothers & Sisters se valeu dos dramas familiares para tocar em feridas da sociedade americana sem pudor. Homossexualismo, drogas, política, traição, adoção. Muitos foram os temas explorados — todos com muita tinta dramática para descer mais fácil.
 
Família brasileira

Teve um pouquinho de Brasil no seriado. A atriz Sônia Braga fez participação nas duas últimas temporadas como Gabriella, namorada mais velha de Justin.  personagem foi batizada em homenagem à novela que Sônia protagonizou no Brasil na
década de 1970.


COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES

EVENTOS






OK