Brasília-DF,
21/SET/2017

Após 35 anos de carreira, João Kleber busca renovar e investir mais no humor

Na nova atração, João Kleber quer diversificar as opções de domingo à noite

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Vinicius Nader Publicação:24/07/2016 07:00Atualização:22/07/2016 13:33
 (Arthur Igrecias/Divulgação)


João Kleber está comemorando 35 anos de carreira de uma maneira diferente: apostando na renovação. Com João Kleber show, programa que estreou há pouco mais de um mês na Rede TV!, o apresentador aposentou (pelo menos por enquanto) a batida fórmula de exploração do drama alheio e da sensualidade na tevê, com quadros como Teste de fidelidade. “Agora estou mais à vontade, estou mais família. Esse sou eu”, afirma.

Ponto a ponto
João Kleber

Novo programa
Desde a época do Chacrinha queria uma atração assim. O João Kleber show é o programa que comando que mais tem a minha cara. O polêmico é um personagem, eu sou um comunicador. Agora estou mais à vontade.

Humorista

Não é todo mundo que lembra, mas sou humorista (João Kleber escreveu esquetes de humor para Chico Anysio). Quero investir mais nessa faceta e interpretar personagens, como Dona Lalá, a velhinha que entra comentando o programa. É uma maravilha ficar quatro horas na maquiagem para me transformar em uma senhora de 80 anos.

Teste de fidelidade
Não dá para não dizer que era um sucesso. Crei o formato e me orgulho disso. Hoje ele foi vendido para 23 países e é copiado por aqui. O pessoal do Pânico na TV, por exemplo, está fazendo o teste deles. Não me arrependo de ter feito, mas cansei.

Família

Minha intenção com esse programa é divertir a família toda. Por isso tenho que tomar cuidado com o que é mostrado. Não quero que a criança tenha que sair da sala. Quero todos reunidos em frente à tevê no fim da semana. Já apelei bastante na minha carreira, mas estava na hora de mudar. Não quero mais agredir. O domingo à noite precisava de uma opção que não fosse apenas futebol ou mulheres nuas.

Audiência

Estou mais preocupado com a qualidade do que com os números. Mas é claro que quero que o programa seja assistido. A gente precisa entender que audiência é consequência, não pode ser objetivo. Pego o bonde com 2 pontos (de audiência) e entrego com 20. Isso é bom, mas não é tudo.
Aposta no humor: João Kleber imita Lady Gaga no palco (Arthur Igrecias/Divulgação)
Aposta no humor: João Kleber imita Lady Gaga no palco

Chacrinha

Quando Chacrinha morreu eu era a escolha natural para substituí-lo no horário (João já apresentava o Cassino do Chacrinha nas férias do apresentador titular e quando Chacrinha estava doente, além de ser jurado na atração). O que fizeram foi uma injustiça comigo e, principalmente, com o Leleco Barbosa (filho de Chacrinha e diretor do programa). Era natural ficarem com a gente: éramos líderes absolutos de audiência. Mas a Globo não pensou assim. A família inteira estranhou. Até hoje somos amigos e não entendemos direito o que aconteceu. O Boni mesmo já disse que chegou a se arrepender.

Paródias

Os humoristas só imitam quem dá certo ou faz sucesso. Eu me divirto com as paródias que fazem de mim. A do Tá no ar é muito boa. Considero o (Marcelo) Adnet um gênio da mesma competência de Silvio Santos, Chico Anysio, Chacrinha ou Flávio Cavalcanti, que são meus ídolos na comunicação brasileira.

O polêmico é um personagem, eu sou um comunicador”

“Não quero que a criança tenha que sair da sala. Quero todos reunidos em frente à tevê no fim da semana”

“Não me arrependo de ter feito (o Teste de fidelidade),
mas cansei”

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES

EVENTOS






OK