Brasília-DF,
16/OUT/2018

Peça aborda a dor dos familiares dos desaparecidos na ditadura

'Duas gotas de lágrimas no frasco de perfume' apresenta a história de Rosa Guimarães, cujo o filho sumiu durante a ditadura

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Rebeca Oliveira Publicação:28/10/2016 06:45
A dor de quem fica: âmbito familiar de desaparecidos políticos ganha dramaturgia humanista (Sartoryi Sartoryi/Divulgação)
A dor de quem fica: âmbito familiar de desaparecidos políticos ganha dramaturgia humanista

O gosto amargo de quem vive na linha tênue entre a esperança e a saudade. Em Duas gotas de lágrimas no frasco de perfume, quatro mulheres sentem as dores da perda de pessoas queridas, sequestradas, presas, torturadas ou mortas durante a ditadura militar.
A dramaturgia e a direção de Sérgio Maggio partem de um caso, em especial: o de Rosa Monteiro Guimarães, mãe do líder estudantil da UnB Honestino Guimarães, desaparecido na década de 1970. Dedicada a esclarecer a morte do filho, Rosa tornou-se a voz de muitas pessoas reais que, agora, ganham interpretação humanista nos palcos.

SERVIÇO
Duas gotas de lágrimas no frasco de perfume 
Centro Cultural Banco do Brasil (SCES Tc. 2, Lt. 22; 
3108-7600). Ingressos a R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). De amanhã a domingo, às 19h. Até 20 de novembro. Não recomendado para menores de 12 anos.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES