Brasília-DF,
22/JUN/2017

Com clima leve, elenco fala sobre o filme Vendo ou alugo em entrevista

A comédia movida a comentário social surpreendeu antes de entrar em cartaz, quando levou 12 prêmios no festival pernambucano Cine PE deste ano

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Yale Gontijo Publicação:05/08/2013 16:33Atualização:05/08/2013 18:34
No filme, Marieta Severo é Maria Alice, uma mulher acumulando dívidas com o governo (Aurora Filmes/Divulgação)
No filme, Marieta Severo é Maria Alice, uma mulher acumulando dívidas com o governo

Rio de Janeiro - Em clima absolutamente leve, a coletiva de imprensa da comédia (mais leve ainda) Vendo ou alugo reuniu o elenco numeroso e de várias gerações da nova fita dirigida pela cineasta Betse de Paula. Desta vez, Marieta Severo é Maria Alice, uma mulher acumulando dívidas com o governo, o banco (um certo banco, cujo filho do dono se chama Walter), a família e até o dono do mercadinho. Habita um casarão caindo aos pedaços com a mãe (Nathália Timberg), a filha (Silvia Buarque) e a neta (Beatriz Morgana). A casa localizado ao pé do morro e favela do Chapéu já teve uma vista privilegiada “de frente para o mar” mas hoje sofre com infiltrações e a falta de manutenção.

Para quitar as dívidas é preciso vender o imóvel imediatamente. “Recebi o roteiro em processo, a Betse ainda o estava escrevendo. Vi que tinha um olhar carioca, com as camadas do Rio de Janeiro. Era um olhar diferente, muito vesgo que permitia retratar várias questões sem julgamento moral”, analisou. “Aceitei o papel porque era uma personagem com humor muito diferente da Nenê (do televisivo A grande família) que eu já estou fazendo há 13 anos”, revelou sobre o teor politicamente incorreto da fita.

Para quitar as dívidas é preciso vender o casarão imediatamente (Aurora Filmes/Divulgação)
Para quitar as dívidas é preciso vender o casarão imediatamente

Representante do signo de Leão, a atriz Nathália Timberg, nascida em 5 de agosto comemorava o aniversário de 83 anos com direito a bolo e a presença das colegas de elenco Carmem Verônica, Daisy Lúcidi e Ilka Soares (o trio chamado de “As tartarugas” no filme). A veterana reparou na atualidade do roteiro escrito por Betse. “Uma radiografia de nós mesmos: brasileiros, cariocas. A mistura entre os pobres e os ricos acontece de forma cotidiana e normal. Os absurdos estão aí, com uma visao crítica, muito divertida, consciente ou até inconscientemente, Um dos retratos mais atuais de nós mesmos”, classificou.

'Vi que tinha um olhar carioca, com as camadas do Rio de Janeiro', afirmou Marieta Severo (Aurora Filmes/Divulgação)
'Vi que tinha um olhar carioca, com as camadas do Rio de Janeiro', afirmou Marieta Severo
A comédia movida a comentário social surpreendeu antes de entrar em cartaz, quando levou 12 prêmios no festival pernambucano Cine PE deste ano. Entre eles, os troféus de melhor atriz (Marieta Severo), atriz coadjuvante (Nathália Timberg). “Os 12 prêmios no Cine PE me trouxeram visibilidade. Eu passei 10 anos no esquecimento. Além disso, foi muito importante para mim ter recebido os prêmios de melhor filme do júri popular, official e prêmio da crítica. Isso nunca acontece com um filme de comedia”, declarou a diretora de Celeste e Estrela (2002).

As relações familiares apresentadas na tela extrapolam o conteúdo do filme. A cineasta Betse de Paula é irmã do ator Marcos Palmeira, ambos são filhos do cineasta Zelito Viana. Marieta Severo e Silvia Buarque (mãe e filha na vida real) nunca haviam encenado a relação familiar no cinema. “Nós trabalhamos no filme do Pedro Bial, Outras estórias, mas éramos de núcleos diferentes. Foi a primeira vez que eu chamei minha mãe de mãe em um trabalho”, reparou Silvia.

O filme produzido por Mariza Leão terá um lançamento de médio porte, com 150 cópias, distribuídas a partir de sexta-feira (9/8).

Confira o trailer

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK

BARES E RESTAURANTES