Brasília-DF,
17/AGO/2017

Martin Scorsese brilha novamente em filme desconcertante sobre milionário

O lobo de Wall Street conta a história de Jordan Belfort, o milionário que fez fortuna aplicando golpes no centro financeiro de Nova York

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Ricardo Daehn Publicação:24/01/2014 06:00Atualização:23/01/2014 13:45
Leonardo DiCaprio: atuação com cenas antológicas (Paramount Pictures/Divulgação)
Leonardo DiCaprio: atuação com cenas antológicas

Magnatas combinam com o cinema de Martin Scorsese, como comprovam tipos de Cassino, Os bons companheiros, Os infiltrados e O aviador. A marginália também não fica a dever, especialmente quando embalada por uma altivez, haja vista o dalai lama de Kundun e o messias de A última tentação de Cristo. Em suma, Scorsese tem livre trânsito pela diversidade, assinando dramas, suspenses e cinebiografias, com toque de mestre. O riso das comédias em que se arriscou chega nervoso. Sem desconfortos, Scorsese desembesta a capacidade de desconcertar ao retratar o milionário Jordan Belfort.

Com recursos circenses adotados em pleno ambiente de trabalho, o homem que foi do luxo ao lixo em maracutaias no pregão norte-americano ganha, nos predicados da interpretação de Leonardo DiCaprio, novamente “o rei do mundo”. Aos 71 anos, é louvável o frescor de Scorsese ao lidar com material hilário e afrontador.


O lobo de Wall Street é um filme de excessos: tem saraivada de palavrões, sexo desenfreado (como válvula de escape no ambiente profissional) e um enojante discurso de bajulação por parte dos subalternos de Belfort. Na seita que o envolve (sendo visto como sinônimo de dinheiro), o empreendedor leva a tiracolo Donnie (Jonah Hill), outro adepto do lema de não haver “nobreza na pobreza”.

Um dos grandes motores do filme está na excelência dos diálogos de Terence Winter (de Família Soprano). Se a cena da “retribuição” é de descarada ironia fina, o mesmo não pode ser dito do filme como um todo, que propõe um carrossel de risadas escancaradas. Antológico, na sequência sob paralisia com sedativo, Leonardo DiCaprio, motivado pelo Popeye da tevê, faz história.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK

BARES E RESTAURANTES