Brasília-DF,
18/DEZ/2017

Em 'Pelo Malo', garoto deseja alisar o cabelo e ser cantor de sucesso

Os problemas de Júnior passam pela completa desconexão com as coisas "ditas do universo masculino": o jogo de futebol, o investimento em mulheres e um certo grau de violência física

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Yale Gontijo Publicação:29/05/2014 08:32Atualização:29/05/2014 15:43
O ator Samuel Lange Zambrano consegue imprimir as incongruências e o absurdo de seu universo limitado (Vitrine filmes/Divulgação)
O ator Samuel Lange Zambrano consegue imprimir as incongruências e o absurdo de seu universo limitado

A escrita do roteiro assinado pela realizadora venezuela Mariana Rondón — a assinatura também na direção do filme Pelo malo, mantido timidamente em cartaz em Brasília — apresenta a caligrafia de alguém muito cansado de um cinema metafórico. É tudo bem direto nesta história: Júnior tem 9 anos e vive na periferia de Caracas. Seu desejo é alisar o cabelo crespo (daí o título “cabelo ruim”, se traduzido para o português) e ser cantor de sucesso como única maneira de escapar da pobreza e da exclusão em que vive.

Saiba mais...
A convivência com a mãe, viúva e desempregada (Samantha Castillo), não incentiva a liberdade de escolhas que o menino pretende alcançar. Os problemas de Júnior passam pela completa desconexão com as coisas “ditas do universo masculino”: o jogo de futebol, o investimento em mulheres e um certo grau de violência física. Um cover mirim do cantor venezuelano Henry Stephen — um dos introdutores do rock na Venezuela, apresentando a versão de Meu limão, meu limoeiro (música do brasileiro Wilson Simonal) — é dado como uma solução (ou suspensão) temporária da realidade limitadora.

A atuação do garoto Samuel Lange Zambrano é enternecedora. E, apesar da pouca idade, o ator mirim consegue imprimir as incongruências e o absurdo de seu universo limitado. O pequeno filme da Venezuela teve uma trajetória grandiosa em festivais internacionais, ganhando visibilidade nos países latino-americanos, onde a crítica de Rondón serve como uma luva. O filme foi considerado o melhor da competição do Festival de Cinema de Havana (Cuba), Mar del Plata (Uruguai) e levou o prêmio principal no festival de San Sebastián (Espanha).
Tags: celular malo pele

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK

BARES E RESTAURANTES