Brasília-DF,
27/MAI/2017

Novo longa da Marvel leva a história de heróis para além da Terra

Ambientada além dos limites da Terra, Guardiões da galáxia reúne o que há de melhor para fãs dos quadrinhos que dão origem à película

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Lucas Lavoyer - Especial para o Correio Publicação:01/08/2014 06:00Atualização:31/07/2014 15:20
Chris Pratt, na pele de Peter Quill, é um dos destaques do filme (Walt Disney Studios Motion Pictures/Divulgação)
Chris Pratt, na pele de Peter Quill, é um dos destaques do filme

Artefato místico superpoderoso, perseguições de naves, apetrechos futuristas, combates entre raças alienígenas, personagens distintos (e carismáticos) e uma trama simples, mas consistente, regem a nova aposta da Marvel, Guardiões da galáxia. Ambientada além dos limites da Terra, a saga reúne o que há de melhor para fãs dos quadrinhos que dão origem à película e para apreciadores de longas que mesclam ação e ficção científica.

Dirigido pelo surpreendente James Gunn, Guardiões da galáxia mantém ritmo intenso e mostra o embate entre forças do universo por uma pedra mística com poder de destruir um planeta inteiro. Movido por vinganças e conflitos morais dos personagens, o enredo abre brechas para excessos de ação e de humor sarcástico, sem tornar tudo repetitivo (há apenas alguns momentos em que piadas poderiam ser evitadas).

A trupe que dá nome à produção reúne personagens ainda desconhecidos para a maior parte dos leitores da Marvel no Brasil (as HQs ainda permanecem sem tradução para o português e de difícil acesso no país). O protagonista e líder do grupo, Peter Quill (Chris Pratt), é o único humano. Os guardiões se resumem a ex-saqueadores, ex-assassinos e ex-caçadores de recompensa inescrupulosos, que precisam se unir para salvar o universo de Ronan (Lee Pace), alienígena da colônia Kree. O humanoide azulado e poderoso está em guerra há mais de mil anos com habitantes do planeta Xandar e procura no artefato místico uma forma de praticar seu genocídio.



Personagem diferente

Quill caiu como um par de luvas para as pretensões de Chris Pratt, que ainda detém a alcunha de interpretar apenas personagens coadjuvantes. O ator perdeu 27 quilos para encarar o papel e usou sua veia cômica ao interpretá-lo de forma natural e fiel à proposta da Marvel: trabalhar com personagens ainda inexplorados.

Também há destaque para a maquiagem, que brinca com as cores das peles dos extraterrestres sem torná-los tão malfeitos. Guardiões da galáxia é sério candidato ao título simbólico de principal longa da Marvel, pelo menos até o lançamento da sequência de Os vingadores, prevista para ano que vem.

Comparações com Vingadores

As comparações entre Guardiões da galáxia e Os vingadores são inetivátives. São duas obras da Marvel que reúnem vários heróis com forças e habilidades distintas. A maior diferença tem relação com a tradição e nível de conhecimento de cada um deles.

Enquanto Capitão América, Thor, Homem de Ferro, Hulk, Viúva Negra e Gavião Arqueiro precisam dividir os holofotes em Os vingadores - todos são personagens conhecidos e têm uma legião de fãs sobre as costas, o que torna arriscado reuni-los juntos -, o lançamento da Marvel traz personagens desconhecidos e que convivem mais facilmente como um grupo.

Em Os vingadores, as forças dos heróis pendem ao desequilíbrio. Enquanto Thor é um deus nórdico e detém o artefato super-poderoso Mjölnir, o Gavião Arqueiro é um mero mortal com uma mira mais afiada. Em Guardiões da galáxia, Quill, Rocky, o guaxinim (Bradley Cooper), Drax (Dave Bautista), Groot, a árvore humanóide (Vin Diesel) e a assassina Gamora (Zoe Saldana) se completam e detêm habilidades mais estáveis.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK

BARES E RESTAURANTES