Brasília-DF,
27/JUL/2017

Jogos vorazes: Esperança assume tom político e se sustenta com boas atuações

O longa, que estreou nesta semana, é um dos mais aguardados do ano

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Yale Gontijo Publicação:21/11/2014 06:00Atualização:20/11/2014 16:52
Grupo tenta se libertar do julgo de Panem
 (Paris/Divulgação)
Grupo tenta se libertar do julgo de Panem
O tom político é a tônica da terceira sequência e primeira parte final da série Jogos vorazes, baseados nos livros de Suzanne Colins. Recapitulando para os que perderam o último filme ou não prestaram atenção: no longa anterior, um grupo planeja finalmente se rebelar contra o julgo da capital de Panem e derrubar o presidente Snow. Escondidos em um bunker, eles elegem a arqueira Katniss Everdeen (Jennifer Lawrence) como o rosto e a voz da revolução dos distritos contra a capital.

Aquilo que todos sabem não é muito claro para esta heroína por acidente. E boa parte da projeção de Jogos vorazes: a esperança - Parte 1 gira em torno da aceitação da garota como ícone do Tordo (o pássaro que simboliza liberdade).

Nesse aspecto, Jogos vorazes é bastante didático sobre a criação do imaginário de guerra e do papel da mídia em momentos de conflito. O marqueteiro Plutarch Heavensbee (Philip Seymour-Hoffman) viverá seus dias de Joseph Goebbels produzindo os filmes de propaganda estrelados por Katniss que serão transmitidos ao maior número de cidadãos do país por meio de uma frequência de televisão pirata.

O irritante triângulo amoroso entre Katniss, Peeta Mellark (Josh Hutcherson) e Gale Hawthorne (Liam Hemsworth) é diminuído diante do conflito armado previamente. Ganha a narrativa em corpo e evolução.

Uma das opções acertadas dos produtores da série foi escalar bons atores para interpretar papéis-chave. Fora Stanley Tucci, mal-aproveitado como o apresentador Caesar Flickerman, os veteranos dão peso à história teen com pano de fundo político. O reforço de Julianne Moore como a presidente do Distrito 13, o mais militarizado entre todos, deixa claro essa intenção.

Conheça os novos personagens da trama
 Atriz Juliane Moore em cena do filme Jogos Vorazes 3 - parte 1 (Paris Filmes/CB/D.A Press)
Atriz Juliane Moore em cena do filme Jogos Vorazes 3 - parte 1
Alma Coin (Julianne Moore) - A presidente do Distrito 13 terá um papel fundamental na rebelião contra a capital de Panem. Jodie Foster foi convidada para o papel, mas recusou.

Cressida (Natalie Dormer)
- A atriz britânica estava prestes a raspar o cabelo para a caracterização de Cressida quando foi convencida pelo diretor a se livrar de apenas metade das madeixas. Apesar de viver na área mais abastada do país a guerreira integrará o grupo de rebeldes dos distritos mais pobres.

Você sabia?

A cantora neozelandesa Lorde, responsável pelo hit pop Royals, fez curadoria da trilha sonora de Jogos vorazes: a esperança - Parte 1. E ainda gravou a canção Yellow flicker beat, parte do repertório de canções originais do filme.

Um burburinho dá conta de que o texto dos livros de Jogos vorazes pode ser adaptado para o teatro. Um palco especial seria construído em Londres para abrigar a produção milionária.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK

BARES E RESTAURANTES