Brasília-DF,
21/JUL/2017

Caminhos da floresta traz o mundo dos contos de fadas em forma de musical

Confira a crítica sobre o filme do diretor Rob Marshall

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Ricardo Daehn Publicação:30/01/2015 07:30Atualização:30/01/2015 09:27
Concorrendo ao Oscar, Meryl Streep repete a fórmula de O diabo veste Prada (Estúdios Disney/Divulgação)
Concorrendo ao Oscar, Meryl Streep repete a fórmula de O diabo veste Prada

O diretor Rob Marshall sabe deixar marcas: com os excessos de Nine e Chicago, conduz Caminhos da floresta. Muitas tramas paralelas reinam sob o filme que não dispensa um tom teatral. Os personagens se acotovelam por uma pontinha de relevância na subversão de clichês do mundo dos contos de fadas em forma de musical.

Saiba mais...
O aspecto renovador, por sorte, habita o destino dos personagens dos irmãos Grimm aglomerados no filme. Em elaborados cenários, um padeiro (James Corden) e a mulher dele (Emily Blunt) devem coletar prendas para reverter uma maldição.

Apresentados com tons acima, surgem os involuntários colaboradores na empreitada: de Cinderela a Chapeuzinho Vermelho, passando por Rapunzel. Na cola de todos, uma bruxa (Meryl Sreep quase num repeteco de O diabo veste Prada).

Temas como morte, membros decepados e traições conjugais, pelo talento dos envolvidos, se integram ao gosto dos espectadores menores. Nas melhores cenas, Chris Pine e Billy Magnussen brilham, num dueto (Agonia) sobre príncipes subestimados, e o gaaiato Johnny Depp empaca, vivendo o Lobo Mau testado pela sagacidade de Chapeuzinho (a talentosa Lilla Crawford).

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK

BARES E RESTAURANTES