Brasília-DF,
23/JUN/2017

Baseado em romance de Dan Brown, 'Inferno' segue a fórmula dos anteriores

O longa 'Inferno' é o novo filme com Tom Hanks interpretando o professor Robert Langdon

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Alexandre de Paula- Especial para o Correio Publicação:14/10/2016 06:45Atualização:13/10/2016 17:53

 

Dan brown nunca foi um grande escritor. No entanto, o autor de O código Da Vinci criou uma fórmula e narrativas capazes de instigar e conquistar um público gigantesco. Apesar de prender o leitor com muita eficiência, a escrita de Brown nunca foi primorosa, o que fez do cinema um palco eficaz para suas histórias. Depois de O código e Anjos e demônios, agora é a vez do romance Inferno chegar às salas de cinema.

 

No longa, um bilionário fanático quer diminuir a população da Terra pela metade. Ele acredita que só isso pode salvar a humanidade. Para alcançar o objetivo, ele cria um vírus e, antes de se matar, deixa um enigma para ser decifrado por um seguidor, que liberará a peste. Tudo isso com referências à Divina comédia, de Dante Alighieri (daí o título, Inferno).

 

Se você já viu algum filme baseado na obra de Brown ou leu algum livro dele, saiba: Inferno é exatamente a mesma coisa. Tudo está lá, em um enredo diferente, mas sempre com os mesmíssimos elementos. Há um vilão, há alguém que muda de lado, há o amor (distante e platônico), há as conspirações e há Tom Hanks com o mesmo penteado esquisito interpretando Robert Langdon.

 

Confira as sessões de Inferno.

 

Tom Hanks vive de novo o personagem Robert Langdon: mesmo penteado esquisito (Reprodução/Internet)
Tom Hanks vive de novo o personagem Robert Langdon: mesmo penteado esquisito
Para quem se diverte com esse tipo de enredo e de construção, Inferno pode ser uma boa escolha. A fórmula cansa, mas, de certa forma, ainda funciona e as mais de duas horas de filme passam rápidas, apesar dos clichês, da trama batida e tudo mais.

 

Inferno passa longe de querer reinventar a fórmula de Dan Brown e, na verdade, se aprofunda nela sem qualquer pudor. Há certa honestidade. Em nenhum momento, o filme promete algo além do que é: uma diversão com ares de mistério e história.

 

Com fotografia eficaz e todo o resto em seu devido lugar, Inferno é, sem dúvida, menos efetivo do que os anteriores, mas ainda assim não é um filme ruim. Por outro lado, fica a impressão de que não há mais nada a se tirar dali e que Robert Langdon precisa se aposentar.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK

BARES E RESTAURANTES