Brasília-DF,
18/DEZ/2017

O filme 'A comédia divina' traz uma narrativa contemporânea para conto de Machado de Assis

Em 'A comédia divina', o Diabo resolve fundar a própria igreja na Terra

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Correio Braziliense Publicação:20/10/2017 06:01Atualização:19/10/2017 17:56
Murilo Rosa vive o Diabo em A comédia divina (Reprodução/Internet)
Murilo Rosa vive o Diabo em A comédia divina

 
O Diabo resolveu fundar a própria Igreja na Terra. O enredo visto no conto Igreja do Diabo, de Machado de Assis, serviu como argumento para o diretor e roteirista Toni Venturi em A comédia divina. O filme, que não tem nada a ver com o clássico quase homônimo de Dante Alighieri (A divina comédia), tem nomes conhecidos, como Murilo Rosa, Monica Iozzi e Zezé Motta no elenco.
 
Cabe a Murilo o papel do Diabo. Ele encontra na jornalista Raquel (Mônica Iozzi) a vítima perfeita. Recentemente contratada por um programa jornalístico de tevê, Raquel precisa provar para o chefe novo que é capaz de um furo jornalístico. Nada melhor do que uma entrevista exclusiva com o Diabo.
 
Na nova religião, os pecados são invertidos. A gula é trocada pela fome, a inveja pela concorrência e por aí vai. Além disso, é proibido reprimir desejos, por mais sórdidos que eles sejam. Lilith (Juliana Alves) é a assessora de marketing da Igreja e Zezé Motta, em participação especial, vive Deus.
 
Confira as sessões do filme aqui
 
Assista ao trailler:
 

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK

BARES E RESTAURANTES