Brasília-DF,
18/DEZ/2017

'Tempestade: Planeta em fúria' cria espetáculo para colapso do clima mundial

O longa estrelado por Gerard Butler tem efeitos precários e gera riso; veja crítica

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Ricardo Daehn Publicação:20/10/2017 06:00
Desastres naturais quase dizimam a Terra em filme catastrófico
 (Warner Bros./Divulgação)
Desastres naturais quase dizimam a Terra em filme catastrófico
 
 
Imagine a seguinte circunstância: uma realidade em que a Terra registrasse temperaturas 20 graus superiores aos escaldantes termômetros da Brasília desta semana. Em Tempestade: Planeta em fúria, o chamado clima extremo, depois do ano de 2019, transforma a biosfera numa gangorra: tornados, secas e enchentes se alternam, fazendo com que cidades sejam limadas do mapa.
 
 
 
No meio disso, o ator Gerard Butler assume o papel de Jake, misto de astronauta e especialista em satélites. Roteirista e produtor dos filmes de Roland Emmerich (de Godzilla e Independence day), Dean Devlin praticamente estreia como diretor em Tempestade. Grosso modo, não deixa de cumprir o que promete (mas é pouco) — contenta-se em entregar um filme de desastre. E que é quase desastroso. Ainda assim, é possível rir com cenas em que ovos, literalmente, fritam no asfalto. Com momentos de efeitos precários, o longa distrai, se o propósito for sair do eixo da realidade.
 
 
 
Prenunciando a chamada geotempestade (um efeito em cadeia, e escala mundial), o Rio de Janeiro abriga um cenário bizarro: com direito a congelamento do mar e de pessoas! Dubai, Mumbai, Tóquio, Moscou e o deserto afegão também estão no ciclo de desgraças registrado no filme. Nada é poupado: espaço, Terra e mar. 
 
Como em todo filme que se concentra na ação, os coadjuvantes parecem genéricos. Max (Jim Sturgess, de Quebrando a banca e Across the universe) é inexpressivo, na pele do afastado irmão de Jake. Convenientemente, quando fogem da devastadora natureza, os personagens deixam para trás os perigos, sempre vistos de soslaio, como se fossem rastros. As mulheres do filme, Ute (a romena Alexandra Maria Lara, de Rush e Control) e Sarah (Abbie Cornish, de Sem limites), despontam como salvadoras.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK

BARES E RESTAURANTES