Brasília-DF,
15/JUL/2018

'50 são os novos 30' fala sobre crise de idade e envelhecimento

O filme, dirigido por Valérie Lemercier, conta a história de uma mulher largada pelo marido

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Ricardo Daehn Publicação:29/06/2018 06:00
A comédia conta com Sabine Haudepine, que estreia como corroteirista (CineArt Filmes/Divulgação)
A comédia conta com Sabine Haudepine, que estreia como corroteirista
 
Leveza é a palavra de ordem em 50 são os novos 30, produção escrita, encenada e dirigida por Valérie Lemercier. Na comédia descompromissada, Lemercier vive Marie-Francine, sabotada pela vida: renegada pelo marido, ela volta a morar com os pais — incapazes de registrar o envelhecimento dela —, ambos dominadores e amalucados.

Aos 50 anos, Marie vai despertar interesses de Miguel (Patrick Timsit), cozinheiro de restaurante de respeito, aos 55 anos. Para vencer no amor, a pesquisadora científica que, demitida, venderá cigarros eletrônicos, terá que contornar a onipresença dos pais inquisidores que vivem com ouvidos colados nas portas da casa. Hipocrisia, repressão e preconceitos se enredam na vida da comerciante.

O filme tem como curiosidade a estreia como corroteirista da atriz Sabine Haudepine, que participou de filmes de André Téchiné e François Truffaut. 

A trilha sonora contribui para o sucesso da fita que lista, entre outros talentos, Amália Rodrigues (Vou dar de beber a dor e Canção do mar), Charles Aznavour e Michel Legrand.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK

BARES E RESTAURANTES