Brasília-DF,
18/DEZ/2018

Cauã Reymond estreia no humor ao lado de Tatá Werneck em 'Uma quase dupla'

Cauã Reymond se distancia do rótulo de galã na comédia pastelão

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Vinicius Nader Publicação:20/07/2018 06:01Atualização:19/07/2018 18:31
Policiais vividos por Cauã Reymond e Tatá Werneck não conseguem se entender em 'Uma quase dupla' (Reprodução/Internet)
Policiais vividos por Cauã Reymond e Tatá Werneck não conseguem se entender em 'Uma quase dupla'
Estrela de títulos como Alemão (2014) e Reza a lenda (2016), Cauã Reymond dizia que faltava uma comédia — daquelas bem rasgadas — para completar o currículo dele. Faltava. Ao lado de Tatá Werneck, ela sim uma comediante de mão cheia, Cauã é o protagonista de Uma quase dupla, filme de Marcus Baldini que estreia neste fim de semana em todo o país. Daniel Furlan, Ilana Kaplan, Louise Cardoso e Ary França completam o elenco.
 
 
Joinlândia é uma cidade pacata e segura até que uma série de assassinatos abala a população. O subdelegado Claudio (Cauã Reymond) não sabe bem o que fazer para cessar os crimes e recebe a ajuda da investigadora Keyla (Tatá Werneck). A química entre os dois beira o zero e os parceiros passam longe de se entender.

A começar pela ambição. Claudio é interiorano, saiu poucas vezes de Joinlândia e não se incomoda com isso, enquanto Keyla foi destacada do Rio de Janeiro especialmente para a missão e não vê a hora de voltar para casa.
 
 
 
O amor pela profissão também não é o mesmo. Claudio seguiu os passos do falecido pai e virou policial mais por herança do que por vocação. Keyla gosta tanto do que faz que não fala sobre outra coisa, a não ser casos hediondos que ajudou a solucionar no Rio de Janeiro. Mesmo que, para isso, use métodos um tanto quando inesperados, como lamber o chão em busca de provas.  O estereótipo de mulher frágil e homem durão está invertido. Ponto para Marcus Baldini. E para Cauã Reymond, que, ao encarar uma comédia como Uma quase dupla, se descola ainda mais do rótulo de galã.
 
Com todos esses obstáculos e outros, como machismo e assédio moral, Claudio e Keyla estarão juntos na missão de fazer o público rir. Essa, sim, a mais importante de Uma quase dupla.
Tags: cinema

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK

BARES E RESTAURANTES