Brasília-DF,
16/DEZ/2018

'10 segundos para vencer' mostra a trajetória do pugilista Éder Jofre

O filme mostra a história do boxeador brasileiro considerado um dos melhores da história

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Vinicius Nader Publicação:28/09/2018 06:06Atualização:27/09/2018 22:25

A história de Éder Jofre tem elementos que costumam agradar nas telonas: ação e sentimentalismo (Imagem Filmes/Divulgação)
A história de Éder Jofre tem elementos que costumam agradar nas telonas: ação e sentimentalismo

 

Muito antes de Popó, o boxe brasileiro teve outro ídolo: Éder Jofre, o Galinho de Ouro. É na vida e na carreira desse atleta que o diretor José Alvarenga Jr se centra em 10 segundos para vencer, drama que chega nesta semana aos cinemas da cidade. O filme estreia em Brasília depois de ter sido premiado no Festival de Gramado como melhor ator coadjuvante (Ricardo Gelli) e melhor ator, premiação que fez Osmar Prado, emocionado, ser aplaudido de pé no encerramento do festival gaúcho.

 

Demorou para que Éder Jofre e sua história de vida ganhassem as telas. A trajetória do lutador é daquelas que todo roteirista gosta, repleta de superação. O menino que saiu de uma infância sofrida na periferia de São Paulo chegou ao título mundial dos pesos pena.

 

A história vencedora de Éder (Daniel de Oliveira) é contada no ringue, local onde o Galinho de Ouro mais se sente à vontade. É ali, nas cordas, que o pai dele, Kid (Osmar Prado), se divide entre instruções de golpe e conselhos paternos.

 

Como pede todo filme de lutador, o sentimentalismo entra na luta de 10 segundos para vencer e, muitas vezes, é pelas lágrimas que o público é levado a nocaute. A crise deflagrada em Éder, que não tem mais para onde crescer após o título mundial, é tocante. 

 

Sessões de 10 segundos para vencer

 

Confira o trailer:

 

 

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK

BARES E RESTAURANTES