Brasília-DF,
24/MAI/2019

Cinco filmes chegam às telonas dos cinemas brasileiros

Três produções nacionais se destacam: 'Alaska', 'Chorar de rir' e 'Pastor Cláudio'

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Correio Braziliense Publicação:22/03/2019 06:01Atualização:21/03/2019 12:27
'Alaska' e 'Chorar de rir' são produções nacionais (Elo Company/Divulgação - Warner Bros./Divulgação)
'Alaska' e 'Chorar de rir' são produções nacionais

Alaska 

O longa de Pedro Novaes tem a Chapada dos Veadeiros como um dos cenários da maior parte da trama. Depois de alguns anos separados, Fernando (Rafael Sieg) e Ana (Bella Carrijo) decidem dar uma segunda chance ao relacionamento, recriando a viagem para a Chapada dos Veadeiros que foi, anteriormente, palco para o amor dos dois. Contudo, o casal precisará encarar as dificuldades do tempo, que mudou cada um deles.


Um banho de vida 

A comédia francesa aborda o quadro de depressão de Bertrand (Mathieu Amalric), homem de 40 anos. Frustrado com o tratamento que não dá resultados, ele se dispõe a frequentar a piscina comunitária do bairro. A iniciativa o coloca em contato com outros homens em situação semelhante, que decidem formar um grupo de nado sincronizado masculino. Eles serão liderados pela ex-atleta Delphine (Virginie Efira) e alcançam o Campeonato Mundial de Nado Sincronizado.


Chorar de rir

O magnata da comédia Nilo Perequê (Leandro Hassum) resolve mudar drasticamente os rumos da carreira depois de ganhar um prêmio de melhor comediante do ano. Para o enlouquecimento de seu agente e da família do artista, ele resolve se dedicar agora ao drama. Nilo contará com a ajuda da irmã Kitty (Natália Lage), do cunhado e empresário Jaimelito (Otávio Muller), da mãe linha-dura Julieta (Jandira Martins) e do pai, Romeu (Perfeito Fortuna).



O retorno de Ben

Durante uma noite de Natal, a vida da família da protagonista Holly (Julia Roberts) vira de cabeça para baixo. O jovem Ben Burns (Lucas Hedges), filho problemático de Holly, decide voltar ao lar. A animação com a volta do filho, porém, é atrapalhada por ameaças que podem pôr em risco a família da protagonista devido ao passado perigoso do jovem. Holly deverá se esforçar para salvá-los em 24 horas.



Pastor Cláudio

Sob direção de Beth Formaggini, o documentário reflete acerca de desaparecimentos e execuções de opositores da ditadura militar no Brasil. Duas figuras diametralmente opostas se encontram: o primeiro, Pastor Cláudio Guerra, é ex-delegado do DOPS e assassinou e incinerou centenas de corpos. Já Eduardo Passos é ativista dos Direitos Humanos e psicólogo. As perguntas feitas pelo entrevistador ao entrevistado ajudam a refletir sobre as consequências do período da Ditadura Militar.


COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK

BARES E RESTAURANTES