Brasília-DF,
20/MAI/2019

Filme argentino 'O anjo' retrata Carlos Robledo Puch, serial killer de Buenos Aires

O assassino em série ficou conhecido como "Anjo da morte" e passou 45 anos preso por 40 roubos e 11 assassinatos

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Correio Braziliense Publicação:19/04/2019 06:01Atualização:18/04/2019 16:34
Filme argentino 'O anjo' recebeu críticas positivas na imprensa internacional (Reprodução/Internet)
Filme argentino 'O anjo' recebeu críticas positivas na imprensa internacional

Vem das páginas policiais o enredo do novo filme do argentino Luis Ortega, O anjo. Com traços delicados, angelicais mesmo, Carlos Robledo Puch (Lorenzo Ferro) revela-se exatamente o oposto: praticamente um demônio. Autodefinido como “ladrão de nascimento”, Carlos — ou “Anjo da morte”, como ficou conhecido na Argentina — passou 45 anos preso por mais de 40 roubos e 11 assassinatos confessos.

O prazer é a grande mola propulsora que leva Carlos ao crime — ele não tem necessidade financeira de roubar e nem outro vício que o estimule. A ideia é agradar ao parceiro Ramón (Chino Darín) — este sim pertencente a um clã de ladrões que inclui a mãe Ana María (Mercedes Morán) e o irmão José (Daniel Fanego).


A crítica internacional, sempre atenta ao cinema de nossos hermanos, elogiou as atuações de Lorenzo Ferro, Chino Darín e Mercedes Morán. Também chamou a atenção a direção de arte, que recria a atmosfera da Argentina dos anos 1970.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK

BARES E RESTAURANTES