Brasília-DF,
16/JUL/2019

Comédia retrata o desafio da reconquista em 'Amor à segunda vista'

Terceira comédia de Hugo Gélin traz diversão ao longo do filme

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Ricardo Daehn Publicação:12/07/2019 06:00Atualização:11/07/2019 18:16
Na trama da comédia de Hugo Gélin, o ator François Civil vive homem em crise com a personagem de Joséphine Japy (Agencia Febre/Divulgação)
Na trama da comédia de Hugo Gélin, o ator François Civil vive homem em crise com a personagem de Joséphine Japy

 
Longa demais na duração e com começo de trama atirada aos solavancos, a terceira comédia assinada por Hugo Gélin, apesar de seguir convenções consegue trazer diversão, em especial, se levada em conta a participação do ator Benjamin Lavernhe, coadjuvante de destaque, na pele do amigo do protagonista.

Clique aqui e confira as sessões

Lavernhe age nos moldes do ótimo Eduardo Blanco, que respaldou, como escada, o talento de Ricardo Darín em filmes como O filho da noiva e O mesmo amor, a mesma chuva. Amor à segunda vista trata do frescor da sensação amorosa. Na trama, o consagrado escritor Raphäel (François Civil) não seria mais escritor e, menos ainda, teria se casado com Olivia (Joséphine Japy). Ela, por sua vez, teria se tornado, da noite para o dia, uma consagrada pianista.
 
 
 
Depois de colocar o astro Omar Sy como pai involuntário, na comédia Uma família de dois, Hugo Gélin aposta numa trama que traz muitos pontos em comum com o nacional Amores possíveis (2001), de Sandra Werneck. Mudam situações, episódios são rearranjados, ao bel prazer do protagonista (e à revelia dele), mas o sentimento entre os protagonistas teima em ser mantido. Ou será que não?
Tags: filme cinema

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK

BARES E RESTAURANTES