Brasília-DF,
28/NOV/2020

'O preço da verdade' aborda investigação de advogado contra uma gigante empresa

O filme narra a investigação de um advogado sobre um vazamento de substancias tóxicas em água potável

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Ricardo Daehn Publicação:14/02/2020 06:02Atualização:13/02/2020 22:39
Mark Ruffalo é, além de ator, um dos produtores do longa de Todd Haynes 'O preço da verdade' ( Killer Content/Divulgação)
Mark Ruffalo é, além de ator, um dos produtores do longa de Todd Haynes 'O preço da verdade'
Advogado do segmento empresarial, Rob Billot (Mark Ruffalo) tem a vida colocada em xeque, a partir de uma denúncia muito bem estruturada pelo fazendeiro Tennant (Bill Camp, intenso ator de filmes como Coringa e Birdman). Num lugar de um prometido aterro, a companhia DuPont oferta um lixão, pelo que denuncia. O enredo é desenvolvido no circunspecto filme de Todd Haynes, conhecido pela estética de Longe do paraíso (2002), pelo intrigante Não estou lá (2007), em torno da figura de Bob Dylan (2007) e Carol (2015), longa combatente de preconceitos.
 
Confira as sessãos disponíveis do filme 

Junto com Anne Hathaway, Tim Robbins e Victor Garber, um elemento químico protagoniza o filme: é o ácido perfluorooctanoico (C8 ou PFOA). Usada pela gigante empresa DuPont, no segmento da exploração do teflon (usado em panelas e afins), a substância causaria abalos ambientais e afetaria a saúde dos seres humanos (apresentados pela empresa como meros “receptores” de elementos químicos). Para além da animosidade registrada nos meios jurídicos, o filme, que vem todo em tons cinza-azulados (com fotografia sufocante), expõe meandros do sistema industrial que chega blindado no banco de réus.

Da mesma produtora do vencedor do Oscar Spotlight (também com Ruffalo no elenco e extraído de caso real), o filme abraça um bem-vindo engajamento, mas não negligencia a carga de pressão inacreditável que pesa sob os ombros de Rob Billot. Ano a ano, revela uma batalha de documentação e de coleta de dados, num panorama extenuante. Com carga sutil, o diretor ainda aplica fina ironia em relação a valores abolidos, a longo prazo, na sociedade. É o caso dos bebês (vistos como “problemas”) na vida das “senhoritas” trabalhadoras e, noutra cena, há um banquete servido por maioria de garçons negros.
 
 

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK

BARES E RESTAURANTES