Brasília-DF,
21/SET/2021

Chef do Villa Borghese cria prato especialmente para as mulheres da cidade

Ana Toscano aderiu a receita de espaguete ao limão com camarões e espinafre ao cardápio

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Flávia Franco Rebeca Oliveira Publicação:25/04/2014 06:01Atualização:24/04/2014 12:48

Espaguete e camarões, prato criado por Ana Toscano em homenagem às moradoras da capital  (Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
Espaguete e camarões, prato criado por Ana Toscano em homenagem às moradoras da capital

As massas reinam quase absolutas entre os preparos mais lembrados pelos fiéis clientes de Ana Toscano, chef do Villa Borghese. “Sei fazer massa desde os 8 anos, aprendi com meus pais, e eles, com meus avós”, recorda-se a chef. Ana não gosta de fazer alterações no cardápio da casa, que se mantém quase inalterado ao longo de duas décadas de funcionamento, exceto quando há festivais. Entretanto, ao receber o convite do Divirta-se Mais, fez questão de lançar um novo item em seu menu. Trata-se de um espaguete ao limão com camarões e espinafre (R$ 69). “Será a minha homenagem às mulheres da cidade”, justifica.

Comer bem, para Ana Toscano, é mais que uma profissão. “É usufruir a delícia de estar junto”, define. Para ela, a diferença entre chefs do sexo masculino e feminino é sutil. “Mulheres, em geral, buscam pratos leves porque vivem de dieta”, diz, aos risos. A chef faz questão de acrescentar que, literalmente, põe a mão na massa em seu restaurante. Não delega suas receitas a ninguém. Fica horas, por exemplo, acompanhando o preparo da perna de cordeiro assada com ervas e vinho, escoltada por tagliatelle na manteiga (R$ 67).

Ana Toscano não se arrepende dos anos dedicados à profissão. Muitos deles, abrindo mão de momentos em família, já que, ressalta, “a chef trabalha enquanto todo mundo se diverte”. Esse, aliás, é um dos motivos apontados por ela para haver mais homens em posições de comando em restaurantes. “Manter um restaurante por tanto tempo demanda paixão. Já passamos por crises, mas supero todas, pois o Villa Borghese é meu palco, meu calmante, onde me refaço diariamente”, desabafa.

 

Villa Borghese
(201 Sul, Bloco A, loja 33; telefone 3226-5650), aberto diariamente, das 12h às 15h, e das 19h à 0h. 

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

BARES E RESTAURANTES

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK