Brasília-DF,
17/SET/2021

Brownies, rocamboles, carnes e culinária alemã e mexicana no Favas Contadas

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Liana Sabo Publicação:19/06/2015 08:00Atualização:18/06/2015 16:28

Uma marca brasiliense

 (Felipe Menezes/Divulgação)

 

Dezesseis anos depois de ter lançado um bolinho de chocolate típico da culinária dos Estados Unidos com sabor de doce de leite, o empresário brasiliense José Lacombe vê a marca Mr. Brownie aumentar o leque de opções gastronômicas ao oferecer sobremesas mais elaboradas. “Meu sonho está cada vez mais perto de realizar, que é ver a marca se transformar numa franquia”, revela o criador da grife. A loja piloto, instalada na 103 Sul, Bloco B, tem inauguração prevista para 4 de julho e também será tocada por quatro jovens ousados, embora o criador continue fazendo parte do negócio.

 

Tudo começou numa quitinete na 708 Norte, onde Lacombe passou a produzir brownies (300 por dia), com a ajuda de Edinho (Edno Jesus Nazaré, que até hoje trabalha na fábrica, como chefe de produção). À tarde, eles acomodavam os doces numa Caravan e partiam para a Esplanada dos Ministérios. “Eu ficava no carro e Edinho subia oferecendo o lanche, de sala em sala”, lembra o fabricante.

 

“Quando a demanda cresceu muito, eu precisei organizar o negócio, e aí chamei jovens consultores que desenvolviam projeto de gestão na UnB”, conta o empresário. Desde 2011, Guilherme De Sordi, Tarso Frota, Rodrigo Melo e Andrei Prates (todos formados em administração) assumiram a gestão da marca. Eles também são donos do Cantucci Bistrô.
Diversidade no Mr. Brownie: sobremesa com doce de leite, nha Benta, Brownie Volcano e macarron

 

Vulcão e picolé

 

Entusiasmado com o sangue novo que está tocando a empresa, o criador se reserva apenas o papel de conselheiro até no tocante ao cardápio. Como o rocambole de nozes, receita inspirada numa criação inesquecível da Vovovita, famosa confeitaria de propriedade de sua mãe Ondina Lacombe, que funcionou por quase 30 anos na 305 Sul.

 

Além do tradicional com doce de leite de Viçosa, há mais de 30 sabores, elaborados pelo chef pâtissier francês Fabien Helleu, como o brûlé com uma fina camada de massa de brownie semilíquida coberta por creme de baunilha maçaricado na hora, formando uma casquinha crocante.

 

Outro destaque é o Volcano, no qual o bolinho de chocolate recheado de sorvete de creme e coberto de chocolate recebe uma calda que derrete como lava. Mr. Brownie Gâteau tem até um picolé de doce de leite, farofa de amêndoas e morango em pedaços.

 

Na contramão da onda sem glúten e sem lactose, Guilherme de Sordi não teme a crítica de o produto ser calórico. “É um momento de chutar o balde, do anti-herói do mundo fitness”, explica ele, disposto a levantar bandeira contra a ditadura da baixa caloria. Mais informações: 3347-0208.

 

Inverno traz gostosuras

 

O parkshopping dá as boas vindas ao inverno, que começa domingo, com um superfestival gastronômico e aproveita justamente o clima ameno, com dias ensolarados e noites frias, para oferecer o que há de melhor nas cozinhas do centro comercial, o maior da cidade. Onze endereços participam do evento, que oferece almoço a R$ 51,90 e jantar por R$ 61,90.
Durante 10 dias, o brasiliense vai curtir menus variados e completos, porque incluem entrada, prato principal e sobremesa, servidos a partir de segunda-feira até 3 de julho. Lembrete: a programação gourmet não contempla o fim de semana.

 

Cortes prediletos

 

Carnes, que estão na preferência do brasiliense, poderão ser degustadas no Café Cassis (picadinho com arroz e farofa de banana), no La Tambouille (mezzaluna de mignon com risoto milanês, no almoço, e medalhão ao molho de mostarda com batatas rústicas, à noite), no Barbacoa (hambúrguer de picanha ao molho Roquefort com fritas) e no recém-chegado Pinguim (bife à rolê com feijão-branco no almoço e picanha de cordeiro à noite).

 

Neste último, estará disponível o bufê de saladas, como entrada. Também, o Dom Francisco optou por oferecer o seu disputado bufê, com quase 100 itens, entre saladas, pães, frios, pratos quentes e sobremesas diversas. À noite, a renomada grife brasiliense sugere carpaccio de abobrinha, bife ancho e pavê de doce de leite argentino.

 

Um ravióli de muçarela ao molho de tomate e manjericão é a aposta do Le Vin, que selecionou aneis de lula na mostarda como entrada diurna e sopa de cebola, noturna. O principal da noite é uma imbatível atração da marca (com lojas em São Paulo e no Rio de Janeiro): cassoulet de feijões-brancos, linguiça, paio, lombo suíno e pato desfiado.

 

Destaque mexicano

 

Diferente de todos os cardápios é a mesa do Si Señor, que pratica culinária tex-mex, como os tacos preparados na tortilla de trigo com recheio de frango, queijo, bacon, pico de galo e onion crisps, acompanhdos de guacamole e salsa caliente. The Fifties vai de hambúrguer de 120g com queijo prato derretido, além de sua famosa maionese. A grife americana de cozinha australiana Outback optou por tilápia e frango; como o Marietta, que elaborou risoto com a ave. Já o Doce Balanço ataca, no jantar, com lagostim ao molho de champanhe, aspargos frescos e risoto de quinoa.

 

Não só de sabores, mas também de brindes, é feito o festival, como a caneca de café Le Creuset, que vai para quem consumir cinco menus de segunda a quinta-feira, no horário das 12h às 23h.

 

 (Bruno Peres/CB/D.A Press)
 

 

Festa alemã

 

Já estão à venda os convites da Noite Típica Alemã, que a Comunica Evangélica de Confissão Luterana de Brasília promove há mais de 10 anos em sua sede na 405/406 Sul. O evento será realizado no sábado, 27, e dele fazem parte música, dança e pratos da culinária germânica, como Eisbein (R$ 50), Kasseler (lombo de porco defumado por R$ 42 com uma salsicha) e Würstchen (salsichas branca e vermelha por R$ 33). Acompanham chucrute, repolho-roxo e batatas, além de Apfelstrudel, torta de maçã, cobrada à parte. Existem apenas 500 ingressos, que devem ser retirados antecipadamente. Mais informações: 3242-8930 ou secretaria@ceclb.org.br.

 

Feira de ofertas

 

Você já pensou em pagar menos de R$ 30 por um bom Malbec argentino? Quem torna isso possível é a enóloga Silvia Corti (foto), que passou por Brasília, comandando degustação de sua obra-prima, o Argento. “Se eu tivesse que escolher apenas um vinho para beber, teria que ser o Malbec. Como todo argentino, adoro Malbec, e Mendoza tem as condições perfeitas de cultivo”, ressaltou a enóloga, que trabalhou na Catena Zapata.

 

Importado pela Domno do Brasil, empresa do Grupo Valduga, o vinho estará disponível na versão tinto Malbec e branco Chardonnay na feira de bebidas que a Super Adega promove quarta e quinta no Pontão do Lago Sul. Em um só lugar, você encontrará, além de tintos, brancos e espumantes, uísques, cervejas e vodcas, que poderão ser degustados em estandes de mais de 60 expositores.

 

Ingressos poderão ser adquiridos no local em forma de bônus. Custam R$ 200 e o valor é totalmente revertido em compras efetuadas no local. O horário é das 18h à 0h.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

BARES E RESTAURANTES

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK