Brasília-DF,
26/SET/2021

Famosa cerveja feita a partir do trigo

Dos campos para as taças: bebidas está entre as queridinhas dos brasileiros

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Publicação:25/09/2015 06:00Atualização:24/09/2015 13:47

Fábio Coelho e a cerveja de trigo fabricada em Goiânia: tradição alemã faz sucesso em solo brasileiro
 (Minervino Junior/CB/D.A Press)
Fábio Coelho e a cerveja de trigo fabricada em Goiânia: tradição alemã faz sucesso em solo brasileiro
 

Chamada de pão líquido e desenvolvida por alemães, as cervejas weiss (ou de trigo) passaram a fazer parte dos hábitos de consumo dos brasilienses. Elas duelam pela atenção dos comensais com o tipo pilsen.

O preço pode ser mais alto, mas quem as comercializa garante que o consumidor ganha no saldo final. Em vez de três cervejas pilsen (que custam, em média, R$ 10 cada uma nos bares da cidade), o cliente pode optar por uma de trigo no Pivo Cervejas Especiais, um dos novos endereços dedicados à birra “nobre” em Brasília.

O rótulo escolhido pela dupla de sócios Gustavo Sanches e Fábio Coelho é a Colombina weiss (R$ 19,90), produzida pela cervejaria Goyaz, em Goiânia. Como combinação, a sugestão é a coxinha de camarão (R$ 9,90) do Boteco, bar ao lado e com o qual a Pivo tem parceria para expandir o menu de petiscos.

Fábio dá alguns conselhos na hora de apreciar as cervejas de trigo. O primeiro deles é preservar o colarinho, que mantém a temperatura da bebida.
Na harmonização com brejas weiss, evite carnes vermelhas. Outra recomendação recai sobre o copo ideal, que deve ser do tipo flauta.


“Por ser de trigo, certos resíduos da cerveja se encontram no final da garrafa. Mas isso não é ruim; pelo contrário, é rico em sabor. Por isso, dê uma balançada na garrafa para misturar essas substâncias antes de pôr no copo”, encerra o cervejeiro.

Legenda: Fábio Coelho e a cerveja de trigo fabricada em Goiânia: tradição alemã faz sucesso em solo brasileiro

chamada de pão líquido e desenvolvida por alemães, as cervejas weiss (ou de trigo) passaram a fazer parte dos hábitos de consumo dos brasilienses. Elas duelam pela atenção dos comensais com o tipo pilsen.

O preço pode ser mais alto, mas quem as comercializa garante que o consumidor ganha no saldo final. Em vez de três cervejas pilsen (que custam, em média, R$ 10 cada uma nos bares da cidade), o cliente pode optar por uma de trigo no Pivo Cervejas Especiais, um dos novos endereços dedicados à birra “nobre” em Brasília.

O rótulo escolhido pela dupla de sócios Gustavo Sanches e Fábio Coelho é a Colombina weiss (R$ 19,90), produzida pela cervejaria Goyaz, em Goiânia. Como combinação, a sugestão é a coxinha de camarão (R$ 9,90) do Boteco, bar ao lado e com o qual a Pivo tem parceria para expandir o menu de petiscos.

Fábio dá alguns conselhos na hora de apreciar as cervejas de trigo. O primeiro deles é preservar o colarinho, que mantém a temperatura da bebida.
Na harmonização com brejas weiss, evite carnes vermelhas. Outra recomendação recai sobre o copo ideal, que deve ser do tipo flauta.

“Por ser de trigo, certos resíduos da cerveja se encontram no final da garrafa. Mas isso não é ruim; pelo contrário, é rico em sabor. Por isso, dê uma balançada na garrafa para misturar essas substâncias antes de pôr no copo”, encerra o cervejeiro.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

BARES E RESTAURANTES

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK