Brasília-DF,
23/MAR/2019

Espaços do DF oferecem boas atrações para confraternizações de fim de ano

As opções em Brasília vão desde pacotes fechados a menus personalizados, com direito a ofertas e promoções

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Rebeca Oliveira Renata Rios Publicação:11/12/2015 06:00Atualização:10/12/2015 16:33

 (Felipe Menezes/Divulgação)
 

 

Está em busca de opções para a festa da firma, para o amigo-oculto ou mesmo uma celebração com os familiares? Esta semana, o Divirta-se Mais elenca endereços que oferecem diferenciais a quem pretende celebrar o ano que finda. A seleção vai de endereços com capacidade para receber grupos pequenos de cinco pessoas, ou numerosos, com até 400 convidados.

A época de festas exige um cuidado especial dos locais selecionados, que trabalham com modalidades diferenciadas. No Versão Brasileira, por exemplo, quem vai em grupo recebe como mimo um shot de cachorro louco, bebida feita com vodca, groselha e pimenta. Ademais, a casa pratica o cardápio convencional, orientando os fregueses a optarem por tira-gostos feitos sob medida para dividir.


Outros endereços preferem focar os serviços em pacotes fechados, como sugere Simone Garcia, proprietária do recém-inaugurado restaurante e casa de tapas Jamón Jamón, onde a clientela pode apreciar um número predeterminado de tapas e pintxos, comidas típicas espanholas, usufruindo também de um ar descontraído e da vista para o aconchegante jardim da 109 Norte.


O Empório Soares e Souza, por sua vez, investiu na criação de um pacote que dá direito a cervejas especiais — que chacoalharam o mercado de bebidas em 2015 — mais petiscos, além da consultoria de um beer sommelier, disponível para tirar dúvidas e sugerir combinações. A procura está alta, por isso, apresse-se em garantir a reserva.

“Apesar de a crise atrapalhar, a procura por reservas aumentou cerca de 40% em relação aos outros meses
do ano", diz Robson Costa, proprietário da pizzaria Valentina.

Entre tapas e... Pintxos


 (Helio Montferre/Esp. CB/D.A Press)

Pequenas porções de quitutes, geralmente preparados com um misto de embutidos, vegetais, frutos do mar, queijos e demais ingredientes, os tapas e pintxos (que normalmente têm um palito unindo pão e recheio) são duas tradições espanholas que permeiam boa parte do menu do Jamón Jamón. A casa foi inaugurada há pouco mais de um mês na Asa Norte pela chef e jornalista catarinense Simone Garcia, que morou por 15 anos na Espanha. “O estilo informal e a saudade dos tapas espanhóis me fizeram abrir a casa”, conta.


Em dezembro, Simone lançou um menu festivo batizado de Encuentros, criado sob medida para eventos e confraternizações com grupos de cinco a 10 pessoas. Por R$ 68, prova-se uma degustação que começa pelo gaspacho andaluz (sopa fria de tomate) ou pelo alho confitado com baguete em fatias.


Na sequência, vêm duas unidades de croquetas de jamón (espécie de croquete de presunto espanhol) e três montaditos, quitutes que lembram a italiana bruschetta na estética e têm recheio que varia, a depender da matéria-prima fresca do dia.
A experiência continua com uma unidade de pimentão recheado e assado com brandade de bacalhau, seguido por huevos rotos, que consiste em batatas rústicas fritas com jamón, chouriço e champignon mais dois ovos estalados no azeite.
Para encerrar, entra em cena uma sobremesa chamada crema catalaña, doce de baunilha perfumado com limão siciliano, muito parecido com um parente francês: o crème brûlée.


Redonda para agradar

 

 (José Filho/Divulgação)
 

Pizza é uma pedida certeira para quem vai organizar uma confraternização. As redondas costumam agradar a gregos e troianos, além de oferecer uma variedade considerável para quem organiza o encontro. Na Valentina, os eventos não são raros durante todo o ano. “Recebemos aniversários, casamentos, formaturas e reuniões de trabalho”, comenta Robson Costa, proprietário da casa. Segundo ele, a demanda no fim de ano aumenta consideravelmente devido às confraternizações.


“Oferecemos muita flexibilidade para o cliente, ele escolhe qual pacote lhe interessa e monta seu cardápio”, comenta. Para comer na loja, os grupos devem ser de, no mínimo, 30 pessoas. Os eventos duram quatro horas. O cliente pode escolher entre duas entradas, cinco pizzas tradicionais, três pizzas especiais e duas pizzas doces (R$ 58) ou duas entradas, três pizzas tradicionais, cinco pizzas especiais e duas pizzas doces (R$ 65).


A Valentina oferece também um serviço conhecido como Valentina em casa. “É uma ótima alternativa, fechamos para grupos a partir de 25 pessoas e levamos um forno a gás com uma chapa, fica muito similar ao preparo feito na loja”, sugere o proprietário.


São três pacotes: duas entradas, quatro pizzas tradicionais, três pizzas especiais e duas pizzas doces (R$ 55); duas entradas, três pizzas tradicionais, quatro pizzas especiais e duas pizzas doces (R$ 59); ou ainda, duas entradas, sete pizzas livres e duas pizzas doces (R$ 72).
Entre os sabores, Robson sugere a de mascarpone com alho-poró e a de shimeji, alternativas especiais, enquanto margherita, calabresa e muçarela fazem parte das tradicionais.

Comemoração latina

 

 (Helio Montferre/Esp. CB/D.A Press)
 

No El Paso, as confraternizações são parte da rotina da casa, especialmente no fim do ano. Para receber essa demanda, o chef David Lechtig aposta em pacotes para atender aos clientes da melhor maneira possível. Ele recebe grupos de 20 a 50 pessoas.


São duas opções. Caso o evento seja em um horário em que é servido o bufê — todos os dias na hora do almoço e quarta e quinta para o jantar —, os participantes podem comer à vontade e têm direito a bebidas sem álcool (R$ 75, sem o serviço). Ou podem optar pelo pacote com alguns pratos e bebidas não alcoólicas (R$ 75, sem o serviço).
No último caso, as opções são o El Paso combo, com tacos rancheiros, burritos, quesadillas, búfalo wings, potato skins, taco el paso e nachos. Outra alternativa é o quitute a bit of all, com bean dip, guacamole e chili com queijo e nachos; e ainda o chili, feito da maneira tradicional. “Acaba valendo a pena, é um bom custo-benefício, tendo em vista o que é oferecido”, complementa o chef.


Segundo ele, a casa atrai muitas pessoas para esses eventos por ter um local destinado a isso, dando privacidade para o grupo, além da decoração do espaço, colorida e vibrante. “Muitas pessoas me pedem para fazer jantar de ano-novo aqui na casa, mas, por enquanto, ficamos só com as confraternizações”, finaliza David.

Bem sofisticado

 

 (Helio Montferre/Esp. CB/D.A Press)
 

Com pratos bem elaborados e ambiente elegante, o Lake’s é uma alternativa para confraternizações mais formais. No recém-inaugurado salão de eventos do espaço, com capacidade para 80 pessoas, os encontros de grupos fazem parte da rotina. “Recebemos, principalmente, aniversários, mas, nesta época do ano as confraternizações passam à frente”, comenta o proprietário, Zeli Ribeiro.


Para Ribeiro, a variedade marca os encontros feitos na casa. “Temos grupos de tamanhos variados, alguns vêm com 40 pessoas, outros, com 80. Assim como o tipo de grupo varia, pode ser família, trabalho, amigos”, explica. Para reservar o local, é necessário pelo menos 30 pessoas.


Entre os pratos servidos nos pacotes, está o ravióli de muçarela de búfala com creme trufado de camarão. “Todos os cardápios são personalizados de acordo com o evento que o cliente solicitar”, complementa. A média por pessoa sai R$ 120, contendo entrada, prato principal, sobremesa e bebidas não alcoólicas, podendo variar o valor de acordo com os pratos escolhidos.

Muita gente!

 

 (Felipe Menezes/Divulgação)

Entre um grupo de 10 pessoas e um de 400, a Galeteria Beira Lago não faz distinção. São todos bem-vindos para aproveitar os pacotes de confraternização da casa. “Fazemos muitos eventos que fecham a casa, como casamentos, aniversários e outros encontros”, comenta o sócio-proprietário João Miranda Lima. Mas ele alerta: “Consigo fazer, durante o dia, reservas apenas para grupos até 180 pessoas; acima disso, somente à noite, quando o movimento é mais fraco”.


Para quem se interessou, são dois tipos de menu, ambos a R$ 80 por pessoa. O primeiro é um rodízio de galetos; e a outra alternativa é o bufê, no qual uma ilha é montada e os convidados se servem à vontade.

Reservado e diferenciado


 (Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)

No Haná, a proposta é que a confraternização seja mais intimista. A maioria delas é feita no piso superior da loja, com capacidade para até 20 pessoas. O diferencial, além da privacidade, são os descontos e cortesias a partir de 12 clientes. “Em um grupo de 20 pessoas, por exemplo, damos dois rodízios de brinde”, comenta Dema Mercadante, gerente do espaço.

Ele ainda explica que, se o cliente desejar, pode reservar outros espaços, como no interior da loja ou na varanda. Nesse caso, a área é um pouco menor.


O valor varia: se o grupo for à noite, sai por R$ 77; já durante o dia, o preço cai para R$ 69,90. “Esses são pacotes prontos. Caso o comensal deseje, podemos montar um de acordo com a demanda que ele precisa”, afirma.

Rodada liberada

 

 (Helio Montferre/Esp. CB/D.A Press)
 

Quem passa pela comercial da 204 Sul já não estranha a movimentação que vem da esquina do bloco A. Com programação musical diversa, que vai do samba ao house, o bar Versão Brasileira costuma estar sempre com as mesas cheias, com direito a fila de espera.


Para manter a freguesia animada, o principal atrativo para grupos que fazem reservas de confraternizações (que aceitam até 30 pessoas) no boteco é uma rodada gratuita do shot cachorro louco, um misto de vodca, groselha e um leve toque de pimenta tabasco. “A bebida virou uma marca registrada, uma identidade do bar”, comenta o sócio Paulo Paim, que pretende expandir a oferta de sete shots disponíveis no cardápio para 20 pessoas.


Recentemente, o botequim investiu também no que sai da cozinha e estendeu o cardápio de petiscos, agora mais centrado em sugestões de tira-gostos para compartilhar.

A parmegiana no palito (R$ 42,90) ilustra as mudanças: o filé bovino empanado e coberto por queijo ao molho sugo vem à mesa cortado em pedaços pequenos.

Reservado e sem sufoco

Por discrição, há comensais que preferem fazer confraternizações no conforto de casa. A tarefa não precisa significar horas na boca do fogão. Em Brasília, há diversos serviços que agilizam esse tipo de evento, como os congelados lançados pela chef banqueteira Renata La Porta, à venda pelo site www.laportaemcasa.com.br.


São mais de 70 produtos disponíveis, que vão de canapés a pratos principais, passando por entradas e sobremesas.

Para quem planeja um evento maior, uma boa indicação é o Espaço Patú Anú, que funcionou como restaurante até 1998, mas hoje trabalha com bufê e espaço de festas. “É a mesma filosofia de alta gastronomia do restaurante trazida para um espaço reservado”, conta o sócio Fábio Orlandini. Juntas, as três áreas disponíveis comportam até 330 pessoas no Park Way (SMPW Q. 15, Cj. 6, lt. 10). Encomendas e orçamentos podem ser feitos pelo telefone 3380-3239 ou pelo site www.patuanu.com.br.

Experientes e iniciantes

 

 (Carlos Vieira/CB/D.A Press)
 

O crescimento do mercado de cervejas especiais trouxe à cidade uma vasta gama de casas dedicadas totalmente às bebidas, feitas de maneira artesanal e com ingredientes selecionados. Embora tenham um crescimento anual que ultrapassa a casa dos 20%, as microcervejarias ainda representam apenas de 5% a 6% das vendas totais do mercado, segundo o Sistema de Controle de Produção de Bebidas (Sicobe) da Receita Federal.


“Em 2015, surgiram confrarias e pessoas interessadas a degustar. O lema é beber pouco de muitas, e não muitas da mesma, como sugere o mercado tradicional”, comenta Antonio Jorge, sócio do Empório Soares e Souza.
Apesar de uma maior abertura comercial a esse tipo de produto, alguns boêmios ainda não têm intimidade com rótulos como IPA e bock, e desconhecem certos termos e características específicas desse tipo de bebida.


Para atender a esse público, o Empório Soares e Souza tem pacotes de confraternização para 10 a 80 pessoas (a depender do espaço escolhido), com harmonização de cervejas e consultoria de um beer sommelier — profissão cada vez mais cobiçada no mercado cervejeiro.

A casa oferece um pacote de R$ 110 por pessoa (mais taxa de serviço) com uma cerveja de boas-vindas, água, refrigerante, tábua de frios e pães.


A atração principal, no entanto, é a degustação de cinco cervejas especiais harmonizada com cinco pratos e sobremesas, como a bruschetta clássica no recheio — com tomate, azeite e manjericão —mas que tem pão artesanal feito à base da bebida.

Carne de panela, ragu de calabresa e até musse de chocolate com cerveja também podem aparecer no menu, que varia a depender dos rótulos escolhidos.

ONDE COMER

El Paso
(404 Sul, Bl. C, ljs. 145/146; 3323-4618, Octogonal 2/8, Lt 5, Piso 1, Terraço Shopping; 3233-5197, e 110 Norte, Bl. B, lj. 18; 3349-6820), aberto de terça a quinta, das 12h às 15h, e das 18h à 0h; sexta e sábado, das 12h às 16h, e das 18h à 1h; e domingo, das 12h às 16h, e das 18h à 0h.

Empório Soares e Souza
(403 Sul, Bl. D, lj. 28; 3532-6702), aberto segunda, das 9h às 18h; terça a sábado, das 9h à 0h.

Galeteria Beira Lago (SCES Tc. 2, Conj. 32/33, Clube Ases; 9666-3466), aberto de segunda a sábado, das 11h30 às 23h30; e domingo, das 11h30 às 17h30.

Haná
(408 Sul, Bl B, lj. 35; 3244-9999), aberto de segunda a domingo, das 12h à 0h.

Jamón Jamón
(109 Norte, Bl. D, lj. 51; 3032-2595), aberto de terça a sexta, das 18h à 0h; e sábado, das 14h30 às 16h, e das 19h à 0h.

Lake’s
(402 Sul, Bl. C, lj. 15; 3323-1029), aberto de segunda a domingo, das 12h à 0h.

Valentina
(310 Sul, Bl. A, ljs. 2, 6 e 8; 3242-6001 ou 214 Norte, Bl A, ljs. 2 a 36;
3340-9898), aberto de segunda a domingo, das 18h30 às 0h.

Versão Brasileira
(204 Sul, Bl. A, lj. 2; 3263-1175), aberto terça e quarta, das 16h à 1h; quinta, das 16h às 2h; sexta e sábado, das 12h às 2h; e domingo, das 15h à 1h.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

BARES E RESTAURANTES

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK