Brasília-DF,
17/JAN/2019

Conheça a variedade gastronômica presente em diversos restaurantes do DF

É possível encontrar restaurantes de qualidade e de diversas especialidades num caminho marcado por delícias

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Sara Campos - Especial para o Correio Publicação:19/08/2016 07:00Atualização:19/08/2016 09:44

 (Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
 

 

O tempo em que apenas os restaurantes do Plano Piloto ocupavam um lugar de prestígio entre os comensais ficou para trás. A população do Distrito Federal cresceu vertiginosamente nas últimas décadas. Dados do IBGE apontam que o DF apresentou um crescimento de 2,19% em 2015 em relação ao ano anterior, o que registra uma população de 2.914.830 de pessoas. O fato aumentou a demanda do comércio e reflete diretamente nas opções de restaurantes espalhados pelo DF.

O aumento do poder aquisitivo dessas populações tem gerado um público cada vez mais exigente com o que consome. O empresário Thales Cipriano percebeu que o Guará carecia de opções mais elaboradas. Morador do bairro há 15 anos e formado em administração de empresas, realizou uma pesquisa de mercado com mil moradores da cidade.

“Quase 40% dos entrevistados eram nordestinos ou descendentes de nordestinos. A partir dessa pesquisa decidi abrir um restaurante contemporâneo sem deixar de lado a influência da região”, ressalta Thales, do Cartolaria Bistrô Musical. As referências gastronômicas do endereço, como a Feira do Guará, impulsionaram a abertura do restaurante. “A identidade de Brasília está muito além do Plano Piloto. Essas cidades criaram vida própria e tiveram um aumento da qualidade de vida”, destaca.


A experiência do chef Lazenilson Aires em restaurantes como Villa Tevere influenciou o cardápio do Supremo, no Gama. Atualmente comandada pelos sócios César Cabral e André Lima, a casa conquistou um público cativo de regiões administrativas das redondezas que anteriormente se deslocava em busca de gastronomia mais elaborada no Plano Piloto.
“O Gama era uma cidade muito carente de restaurantes. Ao contrário de outras regiões do DF, ela não cresceu desenfreadamente e vimos um nicho de mercado a ser explorado”, ressalta o restaurateur.

Lanche rápido

X-tudo e milk-shake de morango: campeões de venda do It Speed Lanches
 (Jhonatan Vieira/Esp. CB/D.A Press)
X-tudo e milk-shake de morango: campeões de venda do It Speed Lanches

Há 33 anos em funcionamento, a It Speed Lanches continua sendo ponto de encontro de adolescentes de Taguatinga. Comandada por Geraldo Oliveira, a casa investe em receitas clássicas de sanduíches.
“Já somos uma lanchonete tradicional em Taguatinga e temos muitos clientes antigos”, ressalta Michel, que comanda o lugar ao lado do pai e do irmão, Michael Oliveira.


Entre os 40 lanches rápidos está o turbinado x-tudo (R$ 22,50), com filé-mignon, milho, presunto, bacon, queijo prato, ervilha escoltado por batata frita. Para acompanhar, os proprietários sugerem o milk-shake de morango (R$ 13 — 400ml).
Sob o comando de Dido Massini, a Galeteria Serra Gaúcha, em Taguatinga, oferece o galeto na brasa com ervas. Um dos pratos mais populares do Rio Grande Sul é servido no formato rodízio (R$ 39,90) acompanhado de arroz, farofa, polenta frita, talharim à bolonhesa e duas saladas, a verde e a maionese de batata.


Outras opções da casa são a chuleta (R$ 76,90, para duas pessoas) e o bife ancho (R$ 76,90, para duas pessoas) servidos com dois acompanhamentos à escolha do cliente.

 

Quatro tamanhos da traíra sem espinha atraem comensais na cidade (Claudio Reis/Esp. CB/D.A Press)
Quatro tamanhos da traíra sem espinha atraem comensais na cidade
Um clássico de boteco ganhou fama no Guará há 14 anos: é a traíra sem espinha, que empresta parte do nome ao Chalé da Traíra, bar simples que se transformou em ponto de encontro de quem mora na região. De origem argentina, o peixe chega à mesa escoltado por salada de tomate, alface e cebola; pirão feito com o caldo da traíra e arroz.


A receita, empanada no fubá e frita, chega em quatro tamanhos: pequeno (R$ 50,90), médio (R$ 71,90, para duas pessoas), grande (R$ 90,90, para quatro pessoas) e a gg (R$ 119,90, para seis pessoas). O cardápio também contempla outras opções de pescados, como a moqueca de surubim, preparada com postas de peixe, dendê, leite de coco, pimentão, cebola e tomate e acompanha arroz, pirão e farofa de dendê (R$ 68,90, para duas pessoas).

Raiz nordestina

Filé-mignon ao molho de framboesa é um dos carros-chefes da Cartolaria Bistrô Musical (Paula Rafiza/Esp. CB/D.A Press)
Filé-mignon ao molho de framboesa é um dos carros-chefes da Cartolaria Bistrô Musical

Depois de uma pesquisa de mercado no Guará, o empresário Thales Cipirano decidiu abrir um local que unisse as raízes nordestinas na região administrativa à liberdade de um menu de restaurante contemporâneo. Era o início da Cartolaria Bistrô Musical, que homenageia o sambista Cartola e a cultura pernambucana na sobremesa homônima, preparada com banana, açúcar, canela, queijo manteiga, a R$ 15, e se transformou na vedete do endereço. “Cartola foi um dos grandes nomes da música brasileira. A ideia era trazer para o Guará uma opção que unisse música brasileira a pratos mais elaborados”, ressalta Cipriano.


A referência ao sambista não para por aí: a receita do Zicartola (R$ 48), nome do restaurante de Cartola erguido no bairro da Mangueira, no Rio de Janeiro, tem as cores da escola de samba que eternizou a influência do músico. O prato que integra o cardápio desde a abertura da casa leva filé-mignon ao molho de framboesa com risoto de alho-poró e creme de batata-baroa.

Destino certo

Leitoa à pururuca figura entre as opções de interior do Trem da Serra (Ed Alves/CB/D.A Press)
Leitoa à pururuca figura entre as opções de interior do Trem da Serra

Após ter um problema de saúde que exigiu afastamento do trabalho, Ana Luiza Frutuoso recebeu recomendação médica para realizar alguma atividade prazerosa. Foi cozinhando para os filhos que ela começou a elaborar crepes com recheios fora do convencional. “Vi que eles gostaram muito e comecei a vender os crepes de forma improvisada em um espaço na minha casa”, relembra Ana Luiza.


Era o início da história da Villa do Crepe, que desde 2012 serve a massa de origem francesa com 40 receitas como o crepe Alice (R$ 32,50), recheado com cordeiro assado e especiaria, castanha-de-caju, molho rôti, muçarela, cebola e orégano; o Albuquerque (R$ 36,50), composto por camarão ao alho e óleo com musseline de abóbora baiana e muçarela; e o Fernandes (R$ 28,50), de creme de açaí com morango e leite condensado

Cozinha de roça

A culinária do interior de Goiás, Mato Grosso e Minas Gerais inspira o menu do restaurante Trem da Serra, em Sobradinho. Das mãos do chef Paulo Lima, mais conhecido por Paulinho, saem exemplares que figuram em ambientes rurais. Uma das vedetes, a carne de lata acompanha arroz, tutu de feijão, couve refogada e vinagrete de pimenta-de-cheiro (R$ 131,90, duas pessoas) e é produzida pelo próprio Paulinho no espaço do restaurante.


Segundo o chef, ela apresenta mais maciez do que as convencionais. “Fazemos com a costela do porco, que tem maior quantidade de gordura entremeada. Isso proporciona uma carne muito mais macia e saborosa”, garante.


A carne preparada com a própria gordura do porco é acompanhada de arroz, tutu de feijão e couve refogada. Outra opção com sabor de roça é a leitoa à pururuca (R$ 282,90, para cinco pessoas), servida com arroz colorido composto por brócolis, cenoura, ervilha e milho; feijão tropeiro, couve refogada e mandioca frita.

Diretamente do Gama

Picanha australiana na chapa é o carro-chefe do restaurante Supremo ( Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
Picanha australiana na chapa é o carro-chefe do restaurante Supremo

Depois de constatar a falta de opções gastronômicas no Gama, César Cabral uniu-se ao chef Lazenilson Aires para abrir o restaurante Supremo.


A picanha com arroz com brócolis, farofa de ovos com bacon e batatas fritas ou rústicas (R$ 89,90, duas pessoas) chama a atenção no menu. “Usamos picanha australiana maturada e preparamos a carne na chapa”, descreve Cabral, que comanda a casa ao lado de André Lima.


A fama do restaurante ultrapassou as fronteiras do Gama. “Temos clientes de várias cidades, como Planaltina e Sobradinho, pessoas que vêm de longe para provar nossos pratos”, orgulha-se Cabral.
“Pela localização, temos um gasto muito menor de aluguel e mais facilidades com determinados fornecedores que estão localizados a poucos metros daqui”.

Petiscos criativos
Comandado por Francisco Junior, o Sarará Bar e Petiscaria serve outras versões do tradicional purê de batata. Na casa, o preparo chega recheado com molho de camarão com dendê (R$ 15,99) ou com bacalhau desfiado refogado no azeite com azeitonas, pimentão e cebola R$ 15,99). Outro pedido que está entre os campeões de venda é o camarão empanado servido com molho de alho (R$ 22,99, duas pessoas).

Menu premiado

Salmão ao molho de manteiga e alcaparras compõe o menu à la carte do Cidade Livre (Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
Salmão ao molho de manteiga e alcaparras compõe o menu à la carte do Cidade Livre

Presente no Núcleo Bandeirante, o restaurante Cidade Livre — que leva o primeiro nome da cidade que abrigou os pioneiros de Brasília — é liderado pela empresária Francisca Roque de Araújo. Um dos pratos de destaque, o chiclete de camarão (R$ 85,90) já ganhou até concurso gastronômico, o prêmio Roda de Boteco de 2010.


A receita com o crustáceo leva molho de catupiry e é gratinada com queijo muçarela. O prato é escoltado por arroz ou arroz com brócolis e está entre os mais consumidos da casa. O clássico salmão grelhado ao molho de manteiga com alcaparras (R$ 89,90, duas pessoas) também está entre as opções.

Churrasco mineiro em Ceilândia

Mais de 10 tipos de carne compõem o bufê Tavares, em Ceilândia
 (Jhonatan Vieira/Esp. CB/D.A Press)
Mais de 10 tipos de carne compõem o bufê Tavares, em Ceilândia

A iniciativa de Antônio Procópio Tavares resultou na criação do bufê self-service Tavares, um dos mais famosos de Ceilândia. Em funcionamento desde janeiro de 1995, o espaço tomou forma com o protagonismo das filhas do empresário: Amanda, Andréa e Alessandra Tavares. Juntas, elas realizaram algumas mudanças depois da consolidação da marca entre os clientes.


“Reformamos o espaço e aumentamos a capacidade. De 120 pessoas, passamos a comportar 200 no salão”, ressalta a sócia Amanda Tavares, que fez a mudança do espaço em 2011. A transformação no restaurante não parou por aí: no ano passado, a família inaugurou outra unidade do bufê em Samambaia.


“Essa unidade nos surpreendeu. Conseguimos recuperar tudo o que investimos com apenas seis meses de funcionamento”, comemora Amanda, que comanda o bufê (R$ 40,99, de segunda a sexta; R$ 44,90, sábado e R$ 49,99, domingo), com mais de 80 opções entre pratos frios e quentes.


Um dos carros-chefes do Tavares, o churrasco de cupim está entre os cortes bovinos mais consumidos da casa. A carne é cozida em churrasqueira em fogo brando com auxílio de papel laminado durante 24 horas. Em seguida, ela é dourada na churrasqueira e servida ao lado de outros cortes clássicos como alcatra, maminha, picanha, costela de cordeiro e contra-filé com alho. Grande parte dos clientes vem por causa do churrasco. Conquistamos uma clientela fiel desde que inauguramos”, finaliza Amanda.

Carne de presença

Bife de tira com arroz biro-biro: uma das opções da butique de carnes Primus (Carlos Moura/CB/D.A Press)
Bife de tira com arroz biro-biro: uma das opções da butique de carnes Primus

Adriano corrêa aproveitou a paixão por cortes bovinos para inaugurar a butique de carnes Primus, em Vicente Pires. Preparado com o miolo da picanha servido com o tradicional arroz biro-biro (R$ 11,90, duas pessoas), o bife de tira (R$ 47,90 — 350g) é um dos carros-chefes da casa, que também pode ser acompanhado de onion primus (R$ 29,90), cebola empanada acompanhada de molho à base de especiarias. Entre as opções suínas está o eisenbahn, joelho de porco defumado acompanhado de molho chimichurri e farofa de bacon (R$ 79,90, três pessoas).

Toques sertanejos
O tradicional prato escondidinho virou pizza  no Romão (Romão Filho/Divulgação)
O tradicional prato escondidinho virou pizza no Romão

O romão carne de Sol & Pizza trouxe todo o sabor da culinária nordestina para uma proposta inovadora de pizzas. De acordo com o proprietário da casa Romão de Olinda Filho, todos os sabores com a cara do estabelecimento foram priorizados durante a definição do cardápio.


Entre as opções das redondas estão a pizza de escondidinho (R$ 38,90), recheada de purê de mandioca, carne de sol desfiada, cebola roxa, manteiga de garrafa, queijo coalho e requeijão e a Romão (R$ 38,90), com cebola, manteiga de garrafa e purê de abóbora.

Paisagem deslumbrante

Natureza e cozinha capixaba se encontram no Vista Linda
 (Bruno Peres/CB/D.A Press)
Natureza e cozinha capixaba se encontram no Vista Linda

O capixaba Gouthier Dias aproveitou o visual inspirador dos vales do Lago Oeste para abrir o restaurante Vista Linda. A visão panorâmica da casa pode ser contemplada à mesa com receitas tradicionais da cozinha do Espírito Santo.


A famosa moqueca capixaba, preparada com postas de badejo (pode ser robalo, ou cação), camarão, tomate, azeite e óleo de urucum, é o carro-chefe da casa e chega à mesa escoltada por pirão, arroz e moqueca de banana-da-terra (R$ 179, duas pessoas).

Sabor árabe

Iguarias do Oriente Médio conquistaram Águas Claras (Antônio Cunha/CB/D.A Press)
Iguarias do Oriente Médio conquistaram Águas Claras

As receitas tradicionais árabes ganham vida no Arak, em Águas Claras. A casa, comandada por Seham Saadah e Reem Obied, mãe e filha, tem entre as vedetes o espetinho de kafta, que chega à mesa com tabule e batatas fritas, que podem ser substituídas por arroz com lentilha (R$ 40,90, duas pessoas). Domingo é dia de arroz com carneiro e castanhas (R$ 25,90).

 

 

 

ONDE COMER

Arak

(Avenida Pau Brasil lt. 14 Ed. Via Brisa; 3203-3281), aberto de terça a sábado, das 17h à 0h e domingo, das 11h às 23h.

Cartolaria Bistrô Musical

(QE 28 cj. P Guará II; 3026.2228), aberto de terça a sábado, das 12h às 15h e das 18h à 0h e domingo, das 12h às 15h e das 18h às 22h30.

Cidade Livre
(Sibs qd. 2 cj. CL03 lt. 3; 3386-0404), aberto diariamente das 11h à 0h.

Chalé da Traíra
(QE 42 Área Especial, em frente ao cj. A Guará II; 3964-0066), aberto de segunda a quinta, das 10h às 23h30; sexta e sábado, das 10h à 1h e domingo, das 10h às 23h.

Galeteria Serra Gaúcha
(QS 3 lt. 19 lj. 1 Pistão Sul Taguatinga; 3352-5353), aberto de segunda a terça, das 11h30 às 15h; quarta a sexta, das 11h30 às 15h e das 19h às 23h; sábado, das 11h30 às 16h e das 19h às 23h e domingo, das 11h30 às 16h.

It Speed Lanches
(CSA 1 lt. 1 lj. 4 Taguatinga Sul; 3351-9350), aberto de segunda a quinta, das 10h à 2h; sexta e sábado, das 10h à 5h e domingo, das 10h à 2h.

Primus Boutique de carnes
(Rua 12 ch. 129 cj.A lt. 8 Vicente Pires; 3397-7070), aberto de segunda a sexta, das 11h45 às 15h e das 16h à 0h; sábado e domingo, das 10h à 1h.

Sarará Bar e Petiscaria

(Área especial 1 Praça 1 lj. 11A Cine Itapoã Gama; 98569-7170), aberto de terça a domingo, das 17h à 1h.

Supremo
(QI 3 lt. 220 Setor de Indústria Gama; 3054-2020), aberto de segunda a quinta, das 11h à 0h; sexta e sábado, das 11h à 1h; e domingo, das 11h às 23h.

Tavares
(QNM 18 cj. A lt.12 Ceilândia Centro; 3371-3705), aberto de segunda a sexta, das 11h às 15h e sábado e domingo, das 11h às 16h.

Trem da Serra
(Núcleo Rural II de Sobradinho, subida do clube SESI;99965-7446), aberto sexta, sábado e domingo das 11h30 às 17h.

Villa do Crepe
(QE 21 cj. F cs.2 Guará II; 3877-2060), aberto de terça a quinta, das 18h às 23h e de sexta a domingo, das 17h às 23h30.

Vista Linda

(Núcleo Rural Lago Oeste Rua 14 ch. 379; 3302-5939), aberto sábado e domingo, das 12h às 18h; de quarta a sexta, somente com reservas com 48 horas de antecedência para grupos a partir de 10 pessoas.

 

 

 

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

BARES E RESTAURANTES

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK