Brasília-DF,
23/OUT/2017

Ovos recheados, pães e bolos são opções para comer na Páscoa

Mesmo com o ingrediente cativo da festa, as variações de misturas e formas de apresentação conquistam as confeitarias e o público

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Renata Rios Rebeca Oliveira Publicação:07/04/2017 06:00Atualização:06/04/2017 16:29
Os ovos são sempre uma aposta certa para a Páscoa (Bárbara Cabral/Esp. CB/D.A Press)
Os ovos são sempre uma aposta certa para a Páscoa

Frescas, feitas sob medida e com matéria-prima selecionada, receitas à base de chocolate serão as protagonistas gastronômicas das próximas semanas. De hoje até 16 de abril, quando se comemora a páscoa, essa é a pedida! Como diz a música: “Não adianta vir com guaraná”, porque é chocolate que o brasiliense quer beber — e comer.
 
Do pão ao ovo de Páscoa, elencamos criativas sugestões com chocolate. As receitas carregam uma característica em comum: são artesanais e, em sua maioria, permitem personalização. Nos supermercados, com produtos pré-fabricados, não há a liberdade de dar nova cara às combinações, como é possível, por exemplo, em contato com o Ateliê Docevi, com o Cuisine Deh e com o Chá, Café e Bolo.
 
Uma boa razão para prestigiar as marcas locais é o uso de matéria-prima nacional. Muitas regiões brasileiras, como a Bahia, ganham disparado à qualidade do cacau se comparado até mesmo com gigantes marcas estrangeiras.
 
“Uso chocolate de marca suíça, mas com linha de fabricação nacional. Às vezes, recorro ao belga Callebaut, mas, em termos de qualidade, não vejo tanta diferença”, assegura Viviane Nesralla, do Ateliê Docevi.
 
Embora cada marca tenha uma “menina dos olhos” para sair na frente da concorrência, notam-se algumas tendências. Uma delas é a banda de ovo para comer de colher. Diferentemente dos ovos “ocos”, ela leva recheios variados. É neles que os confeiteiros podem imprimir personalidade e identidade. Se ainda não fez a escolha para a Páscoa deste ano, nas próximas páginas, o Divirta-se Mais dá nove razões para acreditar que ela, definitivamente, será doce.
 
Cestinha é uma ótima alternativa de presente artesanal da Cozinha Mini Chef (Íris Cruz/Divulgação)
Cestinha é uma ótima alternativa de presente artesanal da Cozinha Mini Chef
 

Compre pronto ou faça o seu! 

Que tal deixar a criançada produzir os próprios quitutes de páscoa para este feriado? Essa é proposta da Cozinha Mini Chef. “No local, o cliente pode escolher entre os produtos disponíveis, todos feitos à mão, ou se inscrever em uma das oficinas”,explica a proprietária, Ana Inês Ferreira.
 
Entre as opções há diversos itens desta época: pirulito de chocolate (R$ 7), ovo de chocolate branco pintado (R$ 8), cenourinha de chocolate (R$ 7), coelhinho de chocolate (R$ 7), ovo de 150g (R$ 20) e biscoito (R$ 7). “Também trabalhamos com a cestinha (R$ 55), que conta com todos os itens. Ela vale por ser mais barata que comprar os itens separados e por vir em um formato ótimo para presentear”, sugere Ana Inês.
 
Para quem se interessou pelos cursos, Ana explica que, amanhã, a aula será às 15h, aberta para crianças a partir de 2 anos. Já no dia 15, o curso será para a família. “A ideia é que todos possam vir com as crianças”, explica. No curso, os alunos prepararão um ovo pintado, um ovo de 150g e um biscoito banhado no chocolate. Quer se inscrever? O curso sai por R$ 95.
 
Veludo vermelho em ovo de páscoa? Novidade da Cuisine Deh (Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
Veludo vermelho em ovo de páscoa? Novidade da Cuisine Deh
 

Paixão vermelha

Receita tradicional americana, o bolo red velvet (ou veludo vermelho) virou uma febre na confeitaria brasiliense. A receita não é exatamente nova. Porém, como tem ganhado outros contornos e sido incluída nas mais diferentes propostas, reconquistou os amantes de sobremesa.
 
Deborah Lamar, da Cuisine Deh, tratou de sair do lugar-comum com um ovo de colher de chocolate branco recheado com o quitute, mais cream cheese, um eterno companheiro do red velvet (R$ 62, com 350g; e R$ 95, com 500g). Possíveis preconceitos com o chocolate branco podem cair por terra. A chef usa ingrediente de origem belga, sem um pingo de gordura hidrogenada. “Ele tem um sabor mais sutil”, garante.
 
Se a ideia é inovar, a confeiteira não poupou esforços. Outra sugestão de recheio para a época, com preço semelhante, é o de massa de bolo de baunilha com creme brûlée. Assim como a indefectível receita francesa, ele é maçaricado. Ganha a casquinha crocante irresistível. Indeciso entre os dois? Problema resolvido. Uma terceira alternativa é escolher o kit com quatro miniovos de 150g cada, por R$ 75. Deborah Lamar aceita encomendas até o dia 11 deste mês.
 
Proposta na Nutrichef é oferecer um ovo de colher que atenda a pessoas com restrições alimentares
 (Bárbara Cabral/Esp. CB/D.A Press)
Proposta na Nutrichef é oferecer um ovo de colher que atenda a pessoas com restrições alimentares
 

Ninguém fica de fora

Quando chega a Páscoa, nem tudo é alegria para quem sofre com intolerâncias e alergias alimentares. As opções para atender a esse público, apesar de estarem cada vez mais presentas nas prateleiras, ainda têm uma limitação em relação aos produtos convencionais. “A Nutrichef surgiu da percepção da necessidade de receitas para quem tem essas restrições”, relembra Tâmara Rolim, proprietária do local.
 
Para a data, ela preparou receitas de ovos que não deixam em nada a desejar no sabor. Entre as alternativas estão bolo de chocolate com creme de coco, brownie com caramelo, bolo de cenoura com creme de chocolate e o tradicional brownie. Todos por R$ 35, cada.
 
Outra prioridade do estabelecimento é o cuidado com os alimentos manipulados, especialmente com a contaminação cruzada das receitas. “Tomamos muito cuidado com as restrições alimentares. Nossa cozinha para a produção desses ovos é em um andar diferente, para não termos risco”, garante Tâmara Rolim.

Novidades 
Ainda neste semestre, a Nutrichef deverá mudar de endereço. A ideia é abrir um ponto na Asa Sul, voltado aos cursos, e outro ponto, onde haverá a venda de produtos, na Asa Norte. Já para junho, a casa promete também o delicioso chocolate quente produzido sem leite e glúten, feito com leite de mandioca e chocolate especial da casa.
 
Creme de limão e chocolate meio amargo recheiam ovo da confeiteira Viviane Nesralla (Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press)
Creme de limão e chocolate meio amargo recheiam ovo da confeiteira Viviane Nesralla

Doce vida

Há três anos, em visita ao Brasil, o famoso chef Jamie Oliver “difamou” o idolatrado brigadeiro. “Isso é uma porcaria”, criticou. O fato de levar muito açúcar, como boa parte dos doces brasileiros (historicamente ligados a escolas como a portuguesa) fez o inglês fugir do ícone da confeitaria local.
 
Passado algum tempo, o público tupiniquim tem mudado o perfil em relação às sobremesas. Desde que adquiriu o hábito de consumir os do tipo “gourmet”, em que se usa mais cacau, tem apreciado quitutes com nuances mais sutis. Jamie se orgulharia. É essa a linha seguida por Viviane Nesralla, do Ateliê Docevi, marca artesanal fundada há um ano.
 
Na Páscoa, tem causado burburinho o ovo de colher de chocolate meio amargo e brigadeiro de limão siciliano, coberto por brigadeiro de chocolate 50% cacau. O item custa R$ 45, com 395g. Para um orçamento  mais modesto, ela sugere o ovinho de chocolate ao leite (ou outro tipo à escolha), recheado com confeitos de MM’s, por R$ 6, com 50g; ou o coelho de chocolate maciço, por R$ 5, com 50g.
 
Assim como os chefs tradicionais, a confeitaria também tem seus ícones. E os de Viviane são a chocolatier Lana Bandeira, de Recife, e a paulista Simone Izumi.
 
Torta ou ovo de Páscoa? Na dúvida, peça os dois no Chá, Café e Bolo (Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
Torta ou ovo de Páscoa? Na dúvida, peça os dois no Chá, Café e Bolo
 

Um com gosto de dois!

Enquanto algumas pessoas descansam vendo tevê ou lendo um livro, a fisioterapeuta Pollianna Queiroz Tavares se mantém entretida diante de um bom tacho de doce. Dez meses atrás, decidiu fazer do hobby um negócio. As receitas deram certo. Atualmente, a venda de tortas e doces artesanais ocupa quase o mesmo espaço que a fisioterapia na vida da confeiteira dona do Chá, Café e Bolo.
 
Na Páscoa, a agenda está quase lotada. Em grande parte, por conta da ideia de unir duas unanimidades na mesma receita. É dela a ideia de juntar torta e ovo de Páscoa no mesmo balaio. São seis opções de recheio e de topo sugeridas por ela — que também permite todo tipo de personalização.
 
Um dos destaques é a torta de massa de pão de ló com cacau e recheio que intercala camadas de brigadeiro e baba de moça, mais cobertura de ganache de chocolate belga. No topo, uma banda de ovo de páscoa de colher no sabor bombom de morango e chocolate Kinder Bueno. Importante diferencial é o preço: sai a R$ 65, o quilo, valor muitas vezes cobrado apenas pelo ovo de chocolate.
 
“É uma torta prensada que demora 24 horas para ficar pronta”, destaca Pollianna. E sai mais em conta em tempos de crise. “Em vez de comprar um ovo de Páscoa para cada integrante da família, pode-se encomendar a torta. Ela serve bem até seis pessoas. Sai bem mais em conta”, calcula.
 
Na Mr. Brownie, ovo de colher leva massa de brownie no recheio (Bárbara Cabral/Esp. CB/D.A Press)
Na Mr. Brownie, ovo de colher leva massa de brownie no recheio
 

Chocolate na bicicleta

Recém-inaugurada, a novidade da Mr. Brownie é a bicicleta, as famosas food bikes, em que os clientes podem encontrar produtos da marca em uma nova apresentação. Para a Páscoa, a aposta são os ovos de colher (R$ 39). O local também trabalha com outras alternativas, incluindo os brownies unitários, que vêm em sabores como doce de leite, Nutella, Ovomaltine, trufa de chocolate, limão e coco (R$ 3,90, cada).
 
“Nossos ovos de colher são aqueles de meia banda de um ovo com recheio. Um é de doce de leite, com a massa do brownie misturada. O outro é de bolo de cenoura com brigadeiro e massa de brownie”, explica Janaína Cavalcante. Ela ainda sugere o brownie de colher (R$ 16) feito em um pote. É uma forma fácil e criativa de presentear na data.
 
Para finalizar, o local ainda vende sorvetes feitos em parceria com a Vai Bem. “Temos sabores de Mr. Brownie, tanto o potinho individual de sorvete quanto o picolé”, conta. Há o com pedaços do brownie tradicional no picolé (R$ 9) e no sorvete (R$ 10).
 
No Ateliê D. Marchione, cada bolo é feito especificamente para o cliente, de acordo com a demanda  (Bárbara Cabral/Esp. CB/D.A Press)
No Ateliê D. Marchione, cada bolo é feito especificamente para o cliente, de acordo com a demanda
 

Obras de arte

No ateliê D. Marchione, os bolos não são apenas deliciosas sobremesas — e muitas delas achocolatadas. São também obras de arte, elaboradas minuciosamente até o resultado ser algo, no mínimo, fascinante.
 
No local, o bolo é vendido pelo quilo, a partir de R$ 130. “Cada bolo é feito de acordo com o que é combinado com o cliente e leva entre dois e três dias para ficar pronto”, explica Douglas Marchione, proprietário do local.
 
“O produto é todo feito de forma exclusiva, evitamos repetir”, ressalta. Segundo ele, a paixão pelos bolos esculpidos começou na faculdade. “Fiz um bolo de Branca de Neve para a filha de um professor. Meus colegas viram e gostaram, comecei a fazer encomendas. Quando abri o ateliê, comecei também a dar aulas”, relembra.
 
Entre os sabores que o cliente pode escolher estão baunilha, red velvet, chocolate, amêndoas, laranja e coco, para a massa. O recheio também traz uma gama de opções, como o chocolate trufado, pistache, chocolate com menta e limão siciliano.
 
Os kits da Mimo Brownies são uma alternativa econômica para presentear nesta Páscoa (Mimo Brownies/Divulgação)
Os kits da Mimo Brownies são uma alternativa econômica para presentear nesta Páscoa
 

Brownies em todos os formatos

Conhecida e consagrada pela clientela da cidade, a Mimo Brownies promete muitas opções para quem quer uma Páscoa cheia de fartura. O preparo mais famoso da marca é a tradicional pizza de brownie, que vem coberta de diversos sabores de chocolate, como Twix, Ferrero Rocher e Kinder Bueno.
 
A alternativa começa em R$ 35, a pequena, e R$ 60, a grande. “Para a Páscoa, temos uma embalagem especial, ficou muito bonita com um laço laranja”, avisa Camila Lima, uma das sócias da Mimo Brownies.
 
Nesta época, Camila e a sócia Alana Bussaco prometem mais delícias com os kits montados para a data. São quatro opções para agradar o bolso de qualquer fã de chocolate. O kit na sacola de coelhinho pode ser com cinco brownies recheados por R$ 20, ou por R$ 15, no caso dos tradicionais. Já os kits na caixinha vem com quatro brownies confeitados (R$ 10), ou a caixinha com 12, por R$ 24.
 
Se a aposta é um presente mais robusto, o bolo chocolatudo de páscoa promete arrancar suspiros. Trata-se de três camadas de brownie, intercalados por brigadeiro branco, coberto por ganache de chocolate ao leite e finalizado com um mix de bombons sortidos. “Esse bolo serve 15 pessoas, não falamos em peso, pois o brownie é um bolo bem mais pesado que as outras receitas”, finaliza Camila. 
 
Dilson Menezes: panificação artesanal levada a sério (Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
Dilson Menezes: panificação artesanal levada a sério
 

Massa nobre

O pão nosso de cada dia já não é o mesmo. Em vez de farinha branca de má qualidade (que, pasme, pode ter até alvejante na composição), as fornadas brasilienses exibem produtos de alto padrão. O resultado não poderia ser diferente. Os itens se renovam e se reinventam com qualidade superior à padoca da esquina, acomodada no tradicional pão francês.
 
Um dos nomes que leva a tendência adiante é Dilson Oliveira Menezes, da Varanda Pães Artesanais. “Usamos farinha francesa com rastreabilidade total. Na massa base usamos farinha, água e sal, a maneira antiga e correta de fazer pão, sem produtos químicos”, explica Dilson.
 
Curiosamente, umas das receitas de maior sucesso da Varanda envolve outro queridinho da cidade. O pão com chocolate ao leite suíço, raspas de laranja e castanha-do-Brasil (R$ 19, com 500g) é um dos mais vendidos. A combinação não é tão adocicada e permite variações, como a tartine feita na casa, em que, ao pão, se juntam Nutella, caramelo e banana, por R$ 20.
 
Com proposta parecida tem o cookie de gotas de chocolate amargo, 70% cacau, (R$ 6, a unidade) e o brownie de chocolate com nozes, pelo mesmo valor. “Usando a temperatura e a técnica certa, o chocolate não é nenhum bicho de sete cabeças na hora de se trabalhar”, conta Dilson.


ONDE COMER

Ateliê D Marchione 
(704/705 Norte, Bl. H, entrada 23, sobreloja; 98127-0840; www.instagram.com/ateliedmarchione), aberto de segunda a sexta, das 9h às 18, sábado, das 9h às 12h.
 
Ateliê Docevi 
(SHN, Qd. 5; Bl. D, Square Loja Colaborativa, Hotel Athos Bulcão, ao lado do Brasília Shopping). Aberto de segunda a sexta, das 9h às 19h30; sábado, das 15h às 19h30. Encomendas pelo número 99365-3788; e pelo e-mail ateliedocevi@gmail. com, com um dia de antecedência.

Chá, café e bolo 
(encomendas pelo telefone 98245-9463, pelo link www.instagram.com/chacafebolo e www.facebook.com/ chacafebolo). Entregas com taxa de R$ 10 a R$ 20, a depender da localidade, em horário a combinar.
 
Cozinha Mini Chef 
(107 Norte, Bl. A, lj 33; 98476-3254), aberto sábado, das 12h às 18h; ou por agendamento.
 
Cuisine Deh 
(encomendas pelo site www.instagram.com/cuisinedeh ou telefone 99234-8477), entregas no café homônimo de segunda a sexta, das 11h30 às 21h; e sábado, das 10h às 16h. Delivery com taxa de entrega entre R$ 5 e R$ 15, a depender da localidade.
 
Mimo Brownies 
(Encomendas com dois dias de antecedência pelo WhatsApp 98143-4055 ou pelo link www.facebook.com/mimobrownies)
 
Mr. Brownie
(Boulevard Shopping, 2º piso, em frente à Ri Happy Brinquedos), aberto de segunda a sábado, das 10h às 22h; e domingo, das 12h às 20h.
 
Nutrichef 
(SHIN, CA 2, Bl. A, lj. 4; 99822-0051) aberto de segunda a sexta, das 10h às 19h.
 
Varanda Pães Artesanais 
(215 Norte, Bl. D, lj. 39; 3033-2002), aberto de terça a sábado, das 10h às 20h.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

BARES E RESTAURANTES

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK