Brasília-DF,
18/DEZ/2017

Receitas de casas da capital mostram que pimenta é mais do que picância

Saiba mais sobre o valor desse insumo está muito além do ardor

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Renata Rios Beatriz Queiroz* - - Publicação:01/12/2017 06:00Atualização:30/11/2017 15:51
 (Reprodução)

A pimenta é um daqueles ingredientes especiais. O insumo é incrivelmente versátil e, quando bem utilizado, pode fazer a diferença entre um prato sem graça e uma experiência marcante. A pimenta é muito relacionada à picância, mas tudo depende da forma que ela é utilizada e de qual das incontáveis variedades é a escolhida.

Para quem vai adentrar o mundo das pimentas, são inúmeros os preparos que podem servir como uma boa introdução. Por exemplo, os pães feitos na La boutique. Na casa são duas alternativas de pão com o ingrediente, ambos sem picância extrema, a casa aposta em colocar elementos cítricos para levantar o sabor das pimentas escolhidas, e não apenas o ardor.

Outro preparo que serve bem como uma primeira impressão é o steak au poivre, servido n’O Contemporâneo Toujours. A casa usa pimentas verdes, que trazem menos ardor ao molho. Já para os mais ousados, a sugestão é apostar na pimenta recheada feita no Sarará Bar e Petiscaria. O preparo vem inteiro, recheado e empanado.

Mais uma opção que sai do trivial é a combinação do chocolate com pimenta, que aparece nos produtos da Damel. A marca, que trabalha com pães de mel e brigadeiros por encomenda, oferece opções com pimenta rosa ou pimenta malagueta.

Para os fortes


No Sarará Bar e Petiscaria, o cliente se depara com petiscos que fogem dos croquetes, batata frita ou bolinho de bacalhau, tão comuns nos bares da capital. Entre os preparos que trazem um diferencial à mesa, um deles já é o queridinho da clientela, a pimenta vixe mainha (R$ 6,99, a unidade; ou R$ 27,99, a porção com 6).

A pimenta dedo de moça vem recheada com carne e queijo (Helio Montferre/Esp. CB/D.A Press)
A pimenta dedo de moça vem recheada com carne e queijo


“Essa pimenta é preparada com muito carinho, já que é um dos petiscos mais pedidos e amados daqui”, afirma Francisco Dias Júnior, proprietário da casa. A opção se trata de uma pimenta recheada com carne e queijo, que, antes de ser servida, passa por um processo que tira um pouco da picância do ingrediente. Segundo Júnior, o ardor do preparo é tolerável, mas muda dependendo da época do ano — já que é um produto de origem natural. Ele ainda faz um convite: “Quem gosta de pimenta vai adorar esse petisco! Quem não gosta, tem ao menos que experimentar!”.

Outra aposta do local é no molho de pimenta feito na casa. O cliente pode encontrar as garrafinhas pelas mesas e, caso goste, por R$ 5, pode ser o feliz proprietário de um dos molhos. Júnior ainda sugere uma cerveja gelada (R$ 9,50), ou, para esta época, uma caipirosca de seriguela (R$ 15).

No pão, por que não?


No La boutique, os clientes terão, neste fim de semana, a oportunidade de degustar duas deliciosas criações apimentadas. A casa venderá, por tempo limitado, o pão de tangerina com pimenta-de-cheiro (R$ 16,90, com 500g) e o pão de chimichurri, pimenta calabresa e raspas de limão (R$ 15,90, com 400g). “Apostamos nos ingredientes cítricos para competir com a pimenta e não deixar a sensação de ardor excessivo. Tanto a tangerina quanto o limão trazem uma sensação de frescor que realça o sabor, não só a picância”, explica o proprietário, Marco Túlio.

"O pão funciona bem com qualquer coisa que não seja exagerada", diz Marco Túlio, proprietário da La boutique


A primeira sugestão é o pão de tangerina com pimenta-de-cheiro. “Esse é um pão que lembra o brioche. Ele tem o sabor da tangerina logo que se prova, depois, em um segundo momento, vem a pimenta, que chega no fim, com uma leve picância na língua”, descreve.

A outra alternativa é o pão de chimichurri, pimenta calabresa e raspas de limão. Esse pão, segundo Marco, lembra o pão de champagne, tanto na textura quanto na cor. Quanto ao sabor, explica: “O sabor desse pão vem muito da pimenta-calabresa e da raspa de limão. Já o aroma é do chimichurri”. Ainda sobre o segundo preparo, a massa é feita com fermentação 100% natural e leva 10% de farinha integral.

Ardor com delicadeza

O ambiente tranquilo e confortável do Cantucci combina bem com o sabor delicado da cozinha comandada pelo chef Rodrigo Melo. Na casa desde 2012, ele é responsável pela criação do cardápio e conta com a ajuda de Roberto Bruno no dia a dia do restaurante. “É um cardápio a quatro mãos”, garante.

Aberto durante todo o dia, o bistrô oferece menu executivo na hora do almoço e pratos a la carte durante o jantar. Entre as opções do menu noturno, o Cantucci oferece a entrada ideal para os amantes de queijo: camembert empanado (R$ 32) no panko com pimenta calabresa e mel. “É preciso fritar no tempo certo para que o meio derreta e por fora fique a crosta”, explica Rodrigo. Como outras entradas da casa, o prato serve duas pessoas e é acompanhado de torradas.

Pimenta calabresa combinada ao mel: sabor diferenciado ao camembert (Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
Pimenta calabresa combinada ao mel: sabor diferenciado ao camembert


O apimentado leve do queijo abre caminho para o filé ao chimichurri com risoto de açafrão da terra (R$ 46). A receita, que já fazia parte do cardápio, ganhou uma repaginada esta semana. “O molho agora tem mais cremosidade e o corte é diferente. Nós fazemos a caramelização da carne com pimenta dedo de moça e ervas tradicionais”, conta o chef.

Rodrigo Melo ressalta que a pimenta dá aos pratos certa picância e ajuda a realçar o sabor. No queijo, por exemplo, mistura ao gosto forte do camembert o doce do mel e o ardor da pimenta, resultando em uma boa combinação.

Clássico na medida

Na gastronomia francesa, é quase impossível falar de pimenta e não remeter imediatamente ao clássico steak au poivre. O preparo aposta nas pimentas inseridas no molho e, tradicionalmente, tem uma picância moderada. Recentemente, o Toujours trocou de direção e incorporou ao cardápio clássico da casa algumas receitas mais inusitadas.

“Quando trocamos o cardápio, decidimos manter alguns dos clássicos. Temos clientes que nem abrem o menu e pedem esses preparos tradicionais”, revela o chef da casa Carlos Alexandre da Cruz. Segundo ele, o Steak au poivre sai por R$ 74 no cardápio e vem à mesa guarnecido de batatas gratinadas.

Outra alternativa é pedir o preparo no almoço executivo (R$ 62,99), ou no jantar executivo (R$ 72,99). Nesse caso, o pedido já vem com a entrada e a sobremesa inclusas, além de um acompanhamento à escolha do cliente. Além do Steak au poivre, pelo mesmo valor, o comensal pode conferir o boeuf Bourguignon ou o coq au vin, dois outros clássicos dessa gastronomia.

Tempero baiano, meu rei

“Se não tiver pimenta, é melhor nem levar”, garante Ray Neto, dono e chef do restaurante Casa de Mainha, sobre um dos pratos mais icônicos da comida baiana, o acarajé. O bolinho de feijão fradinho leva apenas cebola como tempero e é um marco da culinária brasileira.

No Casa de Mainha, os clientes podem encontrar o acarajé em três formatos: gourmet (R$ 20), no prato (R$ 18) e tradicional (R$ 15). Todos são acompanhados de vatapá, caruru, salada de tomate, camarão seco e molho de pimenta.

No Casa de Mainha, o acarajé é servido de três formas (Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
No Casa de Mainha, o acarajé é servido de três formas


Assim como encontrado nas praias, o tradicional é um bolinho grande e que já vem recheado. Quem prefere montar ao próprio gosto pode optar pelo acarajé no prato, no qual os acompanhamentos são servidos fora. O gourmet permite tanto a montagem quanto a divisão, pois são cinco bolinhos, e os ingredientes do recheio são apresentados em potinhos.

As ideias são do militar e chef Ray Neto, que possui o restaurante há dois anos e começou vendendo os preparos na praça próxima à sua casa. Ele destaca que a comida baiana é muito rica por conta da cultura e da fusão de temperos. “O baiano gosta de tempero marcante, da pimenta, do cheiro-verde, do gengibre. Quem come a comida de lá quer sentir isso também e costuma buscar o sabor apimentado.”

Primeiro, a pimenta


A pimenta dá o toque especial de grande parte das entradas do Contê Food & Drinks, com foco em gastronomia e drinques. “A gente quis trazer uma pegada mais descolada, criar um ambiente para curtir a noite sem deixar de lado comidas e bebidas bem pensadas”, conta Guilherme Silva, um dos sócios da casa.

A lula ao molho thai é uma opção diferenciada da casa (Ana Carneiro/Esp. CB/D.A Press)
A lula ao molho thai é uma opção diferenciada da casa


Para começar a noite com um sabor diferente e inspirado na culinária tailandesa, a lula ao molho thai (R$ 52) é uma boa pedida. O fruto do mar é feito em preparo que leva azeite, cebola, alho, manjericão, leite de coco, creme de leite, curry em pasta, tomate-cereja e pimenta dedo de moça. O ar de frescor praiano da receita é uma ótima combinação para o inegável (R$ 26) drinque de gim, amora, limão-siciliano, hortelã e licor de cassis.

Quem quer outras opções de entrada que tenham a picância da pimenta pode apostar também nos dadinhos de tapioca (R$ 35) ou no croquete de picanha suína (R$ 34).

Até no drinque!

Usar e abusar de sabores inesperados nos drinques é uma marca registrada do 5uinto bar, onde as bebidas da carta vão desde clássicos até criações próprias e únicas. A pimenta, claro, não poderia faltar na lista dos ingredientes em que a casa aposta. Já incorporadas ao cardápio, são duas as opções que trazem o tempero. Para o fim de semana, foi criado um novo drinque.

No 5uinto Bar, a pimenta não está apenas nos petiscos, mas também nos drinques da casa (Ana Carneiro/Esp. CB/D.A Press)
No 5uinto Bar, a pimenta não está apenas nos petiscos, mas também nos drinques da casa


Para quem relaciona a pimenta a um ingrediente afrodisíaco, o drinque criado pelo barman da casa bebe da mesma fonte de inspiração. A bebida é feita com tequila infusionada com alecrim e pimenta dedo-de-moça, suco de maracujá concentrado, açúcar e uma borda de sal e pimenta-do-reino. “Na hora de criar, pensamos muito nos ingredientes afrodisíacos, como o maracujá e a pimenta”, explica a head de marketing da casa, Fabiana de Almeida.

Outra pedida é a Michelada (R$ 4,90), na qual o cliente recebe um copo com gelo, suco de limão, molho inglês, tabasco e borda com sal do himalaia. Agora, basta ele adquirir a cerveja de sua referência e misturar, como a mexicana Sol (R$ 11,90, com 600ml). Há também o Spyce Blood Mari (R$ 24,90), uma releitura do drinque clássico com suco de tomate, feito ao estilo da casa. “Neste caso, a bebida vem em três shots, um com ardor moderado, outro médio e um alto!”, descreve Fabiana.

Doce e picante

Existe uma música sertaneja que diz que, “no lugar de açúcar, mamãe passou foi pimenta”. Mas e se misturarmos os dois? A combinação desses sabores pode ser encontrada nas geleias de Carla Massa. Há três anos, ela experimenta sabores com a marca Carlota Geleias e, entre eles, possui no cardápio duas misturas com toque de pimenta.

As duas opções principais são a geleia de manga, maracujá e pimenta dedo de moça e a de abacaxi com pimenta, mas esta também inclui o ingrediente na receita de cebola roxa com vinho tinto. “As pessoas pediam que eu colocasse pimenta. Não é meu forte, mas comecei a fazer por conta disso e mantive os sabores que achei mais bacanas”, conta Carla.

As geleias são uma ótima ideia para canapés (Carlos Moura/CB/D.A Press)
As geleias são uma ótima ideia para canapés


A empresária não possui loja física e vende os potes por encomenda e em feirinhas. As embalagens de 120g saem a R$ 17, e ela também oferece kits com potinhos de 40g a R$ 8, cada.

Carla Massa conta que as geleias com pimenta são uma ótima saída e costumam agradar a todos. “Não têm aquela picância forte, são bem suaves, então quem gosta come, e quem não gosta, também.”

Ela ressalta que as compotas são uma boa combinação para os pratos natalinos, e indica a geleia de manga e maracujá para carnes brancas e a de abacaxi para o porco. “Outra ideia são os canapés, que podem misturar qualquer uma delas com um queijo bacana, e ficam deliciosos”, finaliza.

 

ONDE COMER

5uinto Bar

(102 Norte, Bl. A, lj 56; 3081-0304), aberto terça, das 18h à 0h, quarta, das 18h à 1h; quinta a sábado, das 18h às 2h; e domingo, das 18h à 0h.

La Boutique

(413 Norte, Bl. A, lj 20; 3447-7494), aberto de segunda a sábado, das 7h30 às 20h30; domingo, das 7h30 às 18h.


Cantucci Bistrô

(403 Norte, Bl. E, lj 3; 3328-5242), aberto de segunda a sexta, das 12h às 23h; sábados, das 12h às 16h.

Carlota Geleias

(Atendimento pelo número 98117-7249 ou pelo perfil do Instagram @carlotageleias)

Casa de Mainha

(Qd. 2, Bl. I, cs 32, Cruzeiro Velho; 99293-1975), aberto sexta, das 18h às 22h; sábado e domingo, das 12h às 22h.

Contê

(403 Sul, Bl. D, lj 10; 3554-9474), aberto de segunda a quinta, de 12h às 15h e das 18h às 0h; sexta e saábado, das 12h às 1h.

O contemporâneo Toujours

(405 Sul, Bl. , lj; ), aberto de segunda a sábado, das 12h às 15h e das 19h às 23h30.
Damel (Instagram e facebook: @Damel.paodemel; whats app: 99207-7653), encomendas a serem combinadas.

Sarará Bar e Petiscaria

(Área especial 1, Praça 1, lj. 11A, Cine Itapoã; 98569-7170) Aberto de terça a domingo, das 17h à 0h.

*Estagiária sob supervisão de Igor Silveira

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

BARES E RESTAURANTES

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK