Brasília-DF,
22/OUT/2018

Está sem tempo para fazer os pratos de Natal? Confira restaurantes e empórios que podem facilitar sua vida

Ainda dá tempo de encomendar os assados, acompanhamentos e doces típicos do Natal. Corra!

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Beatriz Queiroz* - - Vinicius Nader Publicação:22/12/2017 06:00Atualização:21/12/2017 17:20
Ready Beef, no Sudoeste oferece uma ceia completa para os que não estão afim de cozinhar  (Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press)
Ready Beef, no Sudoeste oferece uma ceia completa para os que não estão afim de cozinhar

Como todo bom brasileiro, deixou para encomendar a ceia de Natal no último momento? Ou foi convidado em cima da hora para uma festa na casa de alguém? Ou ainda resolveu se dar uma ceia de presente e apenas curtir a festa? Mas nesta sexta-feira 22 de dezembro e não dá mais tempo de nada, certo?

Claro que não! Alguns restaurantes não mediram esforços para atender a demanda dos atrasadinhos e vão montar um esquema de pronta-entrega ou mesmo de encomenda para que a mesa de ninguém fique vazia na noite de domingo.

No Bartolomeu e no Tejo, os assados são encomendados até sábado, indo do tradicional pernil ao bacalhau. No Ready Beef, os pedidos podem ser feitos até nesta sexta-feira, fora os cortes encontrados nas geladeiras.

Para terminar em alto estilo, rabanadas, pavês, panetones e outras delícias podem ser a salvação de quem procurar a Dolce far Niente, La Confeiteira ou a confeiteira Cris Felix. Fernando Souza, chef da Dolce far Niente, ressalta que o Natal é época de confraternização e de partilhar as refeições. Por isso, não economiza no tamanho das sobremesas preparadas na casa.

Além de confraternizar, incluir é outro verbo da festa natalina. Então, não dá para deixar os veganos e intolerantes a lactose ou a glúten de fora. Um Natal feliz e farto para todos!
 
Pernil desossado com frutas assadas em poucos minutos (Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
Pernil desossado com frutas assadas em poucos minutos
 

Com seu toque de chef


Quer servir na ceia um pernil ou uma paleta suína com seu toque na finalização? O que é melhor: em poucos minutos... Essa é a proposta da Eu Chef, em que os sócios e chefs Jomar Antunes e Kalene Morais vendem receitas conservadas na técnica sous-vide  — na qual os pratos, prontos, são embalados a vácuo —  para você apenas finalizar em casa.

“Essa técnica é muito interessante porque preserva os aromas e ressalta o sabor dos ingredientes”, afirma Kalene. Se você acha que descongelar é um processo complicado, Jomar garante que não: “As instruções estão na embalagem, mas é simples. O pernil, por exemplo, precisa de cerca de 20 minutos na água fervendo ainda dentro da embalagem e cerca de 15 minutos para dourar no forno a potência máxima.”

A Eu Chef já não aceita mais encomendas, mas recheou as prateleiras e geladeiras com assados e acompanhamentos. Do primeiro grupo fazem parte a paleta suína de leitão desossada e envolvida no bacon (R$ 102,90, o quilo), costela de leitão (R$ 49,90, o quilo), paleta de leitão desossada (R$ 49,90, o quilo) e pernil suíno (R$ 102,90, o quilo). Para complementar, purê de couve-flor (R$ 39,90, o quilo), purê de batata-doce (R$ 21,90, o quilo) e grão-de-bico (R$ 61, o quilo), além de frutas assadas como pera (R$ 29,90, o quilo), morango (R$ 19,90, o quilo) e abacaxi (R$ 39,90, o quilo).

“Trabalhamos com frutas e verduras orgânicas, o que garante a qualidade”, afirma Kalene, completando que o sous-vide deixa o grão-de-bico “crocante por fora e macio por dentro, textura que não se consegue apenas na panela de pressão.”
 
O pernil de leitão do Bartolomeu serve até três pessoas ( Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press)
O pernil de leitão do Bartolomeu serve até três pessoas
 

A estrela dos suínos


O carro-chefe do Restaurante Bartolomeu é a encomenda mais pedida na casa em dezembro. O leitão à pururuca (R$ 450) é tradicional na casa e sucesso garantido nas ceias de Natal. “Antes o pessoal só pensava em peru e bacalhau, mas isso vem mudando e vejo que as pessoas gostam cada vez mais do leitão”, garante o chef Almir Campos.

À frente da cozinha desde a inauguração do restaurante, Almir é o responsável pela receita simples que conquista mais de 300 encomendas nos finais de ano. Os leitões são lavados com cachaça, temperados com uma mistura líquida feita de alho, sal, ervas, pimenta branca e pimenta-de-cheiro que é injetada e descansam por 36 horas antes de ir ao forno.

Para garantir a carne macia e bem assada, o animal é assado por cerca de três horas embalado em papel-alumínio, descansa na câmara fria e volta ao forno para dourar e pururucar. “Nosso diferencial é que só tem pele e carne, a gordura é quase nenhuma. Além disso, nosso processo é todo feito no forno à lenha, o que confere mais sabor”, frisa o chef.

Aqueles que querem incluir a carne suína na ceia, mas preferem menor quantidade, podem optar pela banda do leitão (R$ 250) ou pelo pernil (R$ 126). A casa também recebe encomendas de pernil de cordeiro (R$ 170), ossobuco de cordeiro (R$ 116) e do pernil de porco (R$ 250), além de outros preparos assados e acompanhamentos. O restaurante recebe pedidos até sábado.
 
O bacalhau à Tejo é um dos carros-chefes da casa (Luis Nova/Esp. CB/D.A Press)
O bacalhau à Tejo é um dos carros-chefes da casa
 

Todas as formas de bacalhau

O lado português da culinária do Tejo Restaurante confere status de referência à casa quando o assunto é bacalhau. “É o prato que mais sai para as encomendas. É algo bem natalino e tradicional, as pessoas gostam bastante”, comenta Manoelzinho Pires, sócio do restaurante com Gustavo Santos.

Os clientes encontram oito opções de preparo para o pescado, entregue em porções individuais. O bacalhau à Tejo (R$ 129) ganha destaque. O prato é servido com cebolas confitadas no vinho, batatas, ovos e azeitonas pretas. Outras opções são o Gomes de Sá              (R$ 85), que consiste em lascas de bacalhau com batata, ovos, cebola, salsinha e azeitona; e à portuguesa, ao forno com batatas, ovos, alho e cebola.

Para combinar com o prato, o sommelier da casa, Eugênio Cue, recomenda o Topázio Reserva (R$ 147 —  750ml) ou o Yllera Crianza (R$ 1.329 —  5l). Ele destaca que os vinhos têm 20% de desconto quando comprados para viagem, sendo que o Yllera, em especial, tem 30%.
 
Rose Borella, do Ready Beef, oferece a ceia completa de maneira prática e personalizada (Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press)
Rose Borella, do Ready Beef, oferece a ceia completa de maneira prática e personalizada

Assados suculentos


A técnica do forno combinado alemão instalado na cozinha do Ready Beef permite que os assados oferecidos na casa não percam vapor, o que mantém a suculência deles, num processo contrário do que acontece quando a carne é assada no bafo, por exemplo. A proprietária Rose Borella explica que a técnica mantém o suco dentro da carne, impedindo que o vapor dela evapore.

O Natal deste ano não é o primeiro em que o Ready Beef oferece encomenda de assados, acompanhamentos e sobremesas aos clientes. “É uma forma prática de preparar a ceia. Eu não faço um pacote fechado justamente para as pessoas poderem personalizar o que querem. ”, conta Rose, divertida.

Entre os itens que podem ser encomendados até nesta sexta-feira ou encontrados crus para pronta-entrega estão pernil do cordeiro ao molho da casa (R$ 59,90, o quilo), peru recheado (R$ 48,90, o quilo), arroz com lentilhas ou com nozes (R$ 44,90, o quilo) e farofa com uvas-passas ou frutas cristalizadas (R$ 44,90, o quilo).
 
Moldado à mão, o falso peru lembra a ave: vegano com bom-humor (Hellen Resende/Esp. CB/D.A Press)
Moldado à mão, o falso peru lembra a ave: vegano com bom-humor
 

Veganos felizes

O que aconteceria se você trocasse o bacalhau da bacalhoada por jaca? É simples: você teria uma jacalhoada, receita que é uma das mais pedidas no Vegan-se e que, além da jaca verde em lascas, leva batata, palmito, algas, cebola, tomate, azeitonas pretas e pimentões. O quilo custa R$ 49,90.

“Como uso temperos parecidos com o do bacalhau, mais noz-moscada, o sabor fica parecido”, garante a proprietária e chef Cynara Arnt. A iguaria também pode ser encontrada no formato de bolinho de jacalhau (R$ 75, o cento).

Como Natal não tem o mesmo gosto sem peru, Cynara criou o falso peru (R$ 85, o quilo), com recheio de tofu, aveia, nozes e uva passas e cobertura de farinha integral. “Como ele é moldado à mão”, fica bem parecido com a ave. É bem interessante ver a reação das pessoas. O bom humor também é vegan”, comenta Cynara.
 
Sobremesas sem glúten ou lactose da Quitutices (Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
Sobremesas sem glúten ou lactose da Quitutices
 

Sobremesa para todos


Se intolerância a glúten ou lactose atrapalha o desfecho doce de sua ceia, é hora de rever conceitos. São muitas as opções que preservam o sabor e, algumas vezes, ficam melhores do que os originais.

Na Quitutices, Inaiá Sant’Ana adapta sobremesas típicas a esse público. A base do pavê é feita com um biscoito tipo champanhe, preparado ali mesmo. A receita combina ovo, açúcar e um mix de farinhas. O pavê, a R$ 65, é servido nos sabores chocolate, morango, banana com caramelo e outros.

Outras opções são o tiramissù, receita tipicamente italiana, e a musse de chocolate amargo, com ou sem biscoito champanhe (R$ 65, cada um deles). No primeiro, o leite de castanha de caju e o cacau em pó entram em ação. Já no outro doce, o chantili é de leite de coco.
 
Os doces confeitados de Luiza Guimarães são uma opção para quem quer fugir do tradicional (Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press)
Os doces confeitados de Luiza Guimarães são uma opção para quem quer fugir do tradicional
 

Um doce de Papai Noel

Que tal ir além dos tradicionais doces natalinos este ano? Essa é a proposta da confeiteira Luiza Guimarães, dona da La Confeiteira. Ela deu uma nova roupagem aos preparos que vende e conferiu a eles o tema e as cores do Natal.

Os amantes de bolo vão adorar os confeitados por Luiza. Com quatro opções de tamanhos, ela tem recheios como brigadeiro, leite ninho, nozes, kit kat e sufflair, mas tem uma recomendação especial para o Natal. “O red velvet é vermelho e muito prático. É uma ótima escolha para esta época”, afirma. Os preços dos bolos variam de R$ 35 a R$ 265, de acordo com tamanho e recheio.

Outra ideia interessante e fofa para é o bolo temático. “Eu tenho algumas bases, mas sou muito aberta aos pedidos dos clientes. Eu fiz uma rena, um Papai Noel e uma guirlanda. A gente pode construir uma ideia juntos”, conta.

As criações da La Confeiteira não param por aí. Ela faz também suspiros simples (R$ 4), que podem ser recheados (R$ 7), e, para esta época, fez também em formato de árvore de Natal (R$ 7, sem recheio; R$ 9, recheado). O toque festivo chegou também aos pirulitos de chocolate (R$ 7), pirulitos de alfajor (R$ 5) e pão de mel na marmita (R$ 13).

O ideal é que as encomendas sejam feitas com dois dias de antecedência, mas pedidos menores e mais simples são conversados com Luiza.
 
As rabanadas da Dolce Far Niente podem ser encomendadas o ano inteiro (Ana Carneiro/Esp. CB/D.A Press)
As rabanadas da Dolce Far Niente podem ser encomendadas o ano inteiro
 

Tradição com amor


Muitas pessoas esperam o ano inteiro para comer as tradicionais rabanadas. A receita funciona como sobremesa e até café da manhã no outro dia, mas o sabor é sempre de felicidade.

Na Dolce Far Niente, a receita do chef Fernando Souza fez tanto sucesso no último ano que passou a integrar o cardápio da casa. “As pessoas começaram a vir aqui e perguntar da rabanada, então resolvi colocar como sobremesa. Como é servida quente, vem acompanhada de sorvete de baunilha para dar um toque a mais”, explica o chef.
A receita de Fernando também foge às tradicionais, desde o pão até a finalização. Para o doce, ele usa o pão italiano, que é encontrado em qualquer época e pode ser fresco, gelado, ou dormido. Na hora de temperar, a receita é creme de leite, leite condensado e ovos, tudo batido junto.

“O creme de leite é mais grosso, muda a textura e o sabor. Mergulhar o pão em tudo junto faz com que os sabores se misturem e apareçam por igual. São detalhes simples, mas que fazem a diferença”, comenta. Para finalizar, o chef utiliza  70% de açúcar para 30% de canela.

Outro toque especial de Fernando são as coberturas. Além da tradicional (R$ 49, o quilo), a rabanada pode vir com doce de leite (R$ 64, o quilo) ou chocolate belga (R$ 68, o quilo). O doce de leite  é uma receita da mãe do chef: “ela fazia em casa e eu apenas dei uma adaptada. Receita de mãe faz diferença porque  é feita com amor e carinho, e você sente isso”.
 
Os chocotones recheados são uma ótima forma de inovar  (Ana Carneiro/Esp. CB/D.A Press)
Os chocotones recheados são uma ótima forma de inovar
 

Menos passas, mais recheios

Entre os pratos tradicionais do Natal, o panetone é aquele que só é encontrado nesta época do ano. As prateleiras se enchem com os mais variados sabores e a cada ano algo diferente aparece. Uma das novidades deste ano são os chocotones recheados, que já apareceram antes, mas ganharam variações e são sucesso garantido.

Cris Felix vende há três anos encomendas de bolos e doces em geral, e optou pelos chocotones recheados este ano. Com oito opções de recheios, ela faz o preparo em dois tamanhos: 250g (R$ 30) e 500g (R$ 70), que chegam a aumentar até 1kg com o recheio. Entre os sabores, o cliente pode escolher até dois para combinar.

As opções são brigadeiro, ninho cremoso, musse de ninho, doce caseiro de morango, nutella, coco cremoso, brigadeiro branco e doce de leite suave. “As pessoas pedem muito para dar de presente antes do Natal, principalmente nos dias que antecedem a data. O mais pedido é sempre o de ninho com nutella”, conta Cris.

Como trabalha sozinha, ela pede que as encomendas sejam feitas com três dias de antecedência. Mas para o Natal ela preparou alguns produtos para pronta-entrega. Para quem ama brigadeiro, Cris faz também o doce brasileiro com recheio de chocotone (R$ 90, o cento) e decoração natalina.

Onde comer 

Cris Felix Bolos 
(Encomendas pelo telefone 98199-9797), aberto de segunda a sábado, das 9h às 19h.  Mais informações no perfil do instagram @crisfelixbolos.

Dolce far niente 
(215 Sul bl.A lj.9; 3345-4267), aberto de terça a quinta, das 18h à 0h; de sexta a domingo, das 11h30 à 0h.

Eu Chef 
(408 Sul bl.D lj.11; 3554-2636), aberto de segunda a sexta, das 10h às 20h; e sábado, das 10h às 19h.

La confeiteira 
(Encomendas pelo telefone 981479820), aberto de segunda a sábado, das 9h às 18h. Mais informações no perfil do instagram @laconfeiteira.

Quitutices 
(216 Sul bl.A lj.12; 3543-5057), aberto de segunda a sexta, das 10h às 19h; e sábado, das 9h30 às 18h. Neste domingo, as entregas poderão ser feitas das 9h às 13h.

Ready Beef 
(CLSW 303 bl. C; 3039-4040), aberto de segunda a sábado, das 9h às 23h30; e domingo e feriados, das 9h às 16h30.

Restaurante Bartolomeu 
(409 Sul, Bl. C, lj 6; 3442-1169), aberto de terça a sábado, das 10h à 0h; domingo, das 10h às 16h.

Tejo Restaurante 
(404 Sul, Bl. B, lj 27; 3264-7005), aberto de terça a sábado, das 12h às 23h; domingo, das 12h às 17h.

Vegan-se 
(204 Norte bl.A; 3522-7875), aberto 
de segunda a sábado, das 9h às 20h. Neste domingo, entrega de encomendas, das 9h às 15h.

*Estagiária sob a supervisão de Vinicius Nader 
 

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

BARES E RESTAURANTES

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK