Brasília-DF,
18/AGO/2018

Ervas aromáticas: saiba onde saborear pratos com o tempero natural

Usadas na medida certa, as ervas aromáticas dão sabor a receitas de forma mais saudável e sem pesar a mão no sal

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Raphaella Torres* Rebeca Borges* Renata Rios Publicação:09/03/2018 06:00Atualização:09/03/2018 09:42
Ervas garantem sabor especial aos pratos (Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
Ervas garantem sabor especial aos pratos

 
Quando se fala em tempero, os sabores vão muito além do sal e da pimenta. Os chefs contam com uma infinidade de opções, cada uma com característica particular que se encaixa nos preparos e realça sabores. Além de gostosas, as ervas possibilitam a redução na quantidade de sal.
 
Especializada em embutidos, a Casa do Holandês trabalha com linguiças diversas condimentadas com ervas aromáticas, como é o caso da linguiça suína temperada com chimichurri. Toques pessoais do chef Raymond Graumans também valorizam preparos consagrados, como a porcheta, leva ervas, limão e vinho branco.
 
Já na gastronomia árabe, as especiarias aparecem com frequência, especialmente a hortelã. A folhinha refrescante é uma das opções que a chef Lígia Nasser, do Empório Árabe, utiliza. Entre os preparos com a hortelã, o cuscuz agrega frescor ao carré de cordeiro ao molho de romã.
 
Fugindo do usual, no Lalé, o suco de limão é feito com o toque de erva-doce. “Geralmente esse suco é feito com limão e hortelã ou menta, mas pensei em colocar erva-doce para ficar bem refrescante”, afirma Larissa Pissara, sócia da casa.
 
Para sobremesa, é difícil não pensar na baunilha, que aparece nas receitas de Rejane Borba, do Tem pudim. Rejane garante qualidade ao trocar a essência pela fava.

Para dias quentes

O suco de limão com erva-doce é um ótimo refrescante (Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
O suco de limão com erva-doce é um ótimo refrescante


Há cinco anos, o Lalé Café & Doceria funciona sob o comando das amigas Larissa Pissara e Alessandra Lazzarini. Juntas, elas oferecem no estabelecimento um cardápio diversificado, com opções de bebidas e docinhos.
 
Um dos sucessos da casa é o suco de limão com erva-doce. Larissa explica: “Brasília está muito quente nesta época do ano. Geralmente, esse suco é feito com limão e hortelã ou menta, mas pensei em colocar erva-doce para ficar bem refrescante. A erva-doce combina com muita coisa.” A bebida de 400ml, sugestão para os dias de calor, custa R$ 8,50.
 
Para acompanhar, mais ervas aromáticas! A casa oferece também um pão de batatas na chapa, fabricado no próprio estabelecimento. A receita leva manteiga de ervas, temperada com salsa, cebolinha, cebola e picles. “Esse pão é bem leve”, explica Larissa. O prato custa R$ 9. Quem preferir, pode trocar a manteiga de ervas por requeijão.

A estrela da casa

O Rapport Café oferece chás produzidos na Alemanha e no Paraná ( Arquivo Pessoal. Rapport Café - Pressca )
O Rapport Café oferece chás produzidos na Alemanha e no Paraná

 
No menu do Rapport Cafés Especiais e Bistrô, as ervas têm um destaque especial. O investe nas plantas aromáticas na maior parte das receitas. Fabiana Braga, proprietária do estabelecimento, conta: “A nossa ideia é usar pouquíssimo sal e apostar nas ervas. A gente recebe todos os dias algumas ervas frescas. O chef seca e faz um mix para adicionar às receitas.”
 
Além disso, o estabelecimento oferece diversas opções de chás no menu: desde os mais tradicionais, como o de erva-doce, capim-santo e hortelã, até os mais exóticos, como o de erva rooi com cascas de laranja, pelo valor de R$ 13. Frias ou quentes, as bebidas chegam à mesa em charmosos bules de 200ml.
 
Quem quiser experimentar as ervas em outras refeições pode encontrá-las em pratos executivos, servidos durante o almoço, por R$ 36. Um dos destaques é o frango recheado com maçã ao creme de gorgonzola e fettuccine oliva e ervas (salsa, alecrim, manjericão e tomilho).

Mescla de culturas 

O curry de coentro une o nordeste à Tailândia  (Ana Carneiro/Esp. CB/D.A Press)
O curry de coentro une o nordeste à Tailândia
 
Criatividade é a marca principal do Cookers. O restaurante, comandado pela chef e proprietária Thaiza Pacheco há 5 anos, investe em pratos diferentes. “A nossa ideia é sempre estar inventando receitas para que o cliente não enjoe de comer e a gente não enjoe de cozinhar”, explica Thaiza.
 
As ervas aromáticas não poderiam ficar de fora das invenções da casa. O filé de tilápia ao curry verde destaca a identidade do coentro, ingrediente principal do molho. Além da erva, o curry leva cebolinha, pimenta-de-cheiro, pimentão verde e leite de coco. “Esse prato tem uma pegada tailandesa, indiana. O coentro é um ingrediente bem notado na comida. Por isso, é ideal para quem gosta de tempero”, afirma. Para finalizar, o prato também acompanha uma porção de arroz basmati. 
 
Thaiza explica que a receita pode ser apreciada por quem gosta de comida nordestina, já que leva ingredientes bastante característicos dessa culinária, como o peixe, o coentro e o leite de coco. O prato, receita especial da casa, pode ser consumido por R$ 48 e quem tiver interesse em experimentá-lo, deve ligar no estabelecimento com um dia de antecedência.


Direto do forno! 

A massa italiana ganha um gostinho especial com tomilho e alecrim ( Ana Carneiro/Esp. CB/D.A Press)
A massa italiana ganha um gostinho especial com tomilho e alecrim

 
Há 18 anos, a Belini Pães & Gastronomia é uma das grandes referências de panificação na capital. Sob o comando do padeiro José Aparecido, a produção é diversificada: “A gente vende todo tipo de pão. Só de pão francês, são vendidos cerca de 5 mil por dia. Também temos baguetes e ciabattas”, explica Aparecido, padeiro há 27 anos.
 
Novidade no menu do estabelecimento, o pão sourdough, com ervas aromáticas, é uma opção para quem gosta de massas temperadas. O pão artesanal com fermentação natural é assado direto na pedra. A receita leva farinha especial, queijo da canastra e, tomilho e alecrim frescos. José Aparecido explica que as ervas são ideais para adicionar sabor à massa. “Essas ervas são muito utilizadas na arte culinária”.
Além disso, a produção artesanal traz diversos benefícios, como o aumento do sabor e a validade prolongada do pão. Com cerca de 450g, o quilo do pão sourdough com ervas aromáticas custa R$ 39,90.


Um sabor holandês 

Nas mãos de Raymond, uma receita tradicional da Itália mostra-se holandesa (Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
Nas mãos de Raymond, uma receita tradicional da Itália mostra-se holandesa
 
Com uma tradição de 100 anos na Holanda e desde os anos 1990 em Brasília, a Casa do Holandês é acostumada a inovar em temperos já conhecidos, porém com o toque característico da comida holandesa. 
 
 Entre os vários produtos oferecidos pela casa de carnes está a linguiça com chimichurri, lombo com ervas finas e limão e a famosa porchetta (R$ 24,50, o quilo), um lombo suíno envolto em uma barriga de porco que se torna crocante por fora e macia por dentro quando assada.
 
Composta por um lombo suíno marinado em uma mistura de vinho branco, limão e alho, a porchetta ainda leva as chamadas ervas de provence, uma mistura de manjerona, sálvia, alecrim e tomilho que, juntos com o vinho branco e o limão, traz toda a diferença ao sabor da carne. “A receita da porchetta é tradicional da Itália, mas, com o tempo, acrescentei mais coisas ao preparo, como o limão e vinho branco”, disse Raymond Graumans, proprietário da Casa do Holandês.
 
Os cortes da casa se relevam surpresas deliciosas para a pessoa que os prepara. “Como um bom holandês, sempre recomendo como acompanhamento batata cozida e assada no forno com alecrim”, reiterou Raymond.
 

A tradição no paladar 

A hortelã é tradicional em vários pratos da culinária árabe  (Solos Comunicação/Divulgação)
A hortelã é tradicional em vários pratos da culinária árabe
 
De família libanesa e receitas tradicionais, o restaurante Empório Árabe é criativo em apresentar as influências para os clientes. Com base na culinária árabe, a chef Lydia Nasser apresenta receitas sempre recheadas de ervas aromáticas. Entre elas, a hortelã, presente no carré de cordeiro ao molho de romã (R$ 59,90).
 
O prato é composto por um cordeiro temperado com hortelã, alecrim, alho e sal ao molho de romã, que tem como acompanhamento purê de damasco com vinho branco e cuscuz de hortelã.
 
Presente também no quibe cru e na coalhada árabe, a hortelã é um dos ingredientes mais usados nos pratos árabes. “A hortelã é um dos ingredientes fundamentais da nossa culinária —  é o que dá o diferencial”, diz a chef.
 
 

Uma explosão peruana 

O molho de sálvia com cerveja preta dá personalidade ao prato (Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
O molho de sálvia com cerveja preta dá personalidade ao prato
 
 
Inspirado na culinária novoandina, o restaurante peruano Taypá tem como um dos destaques do menu o pato y las papas (R$ 74,80). Trata-se de uma coxa de pato confitado ao molho concentrado de cerveja preta com sálvia misturado aos ossos do pato.
 
“Costumamos fazer pratos que não percam as características da carne”, disse o sous-chef da casa Carlitos Artico. Como acompanhamento, o chef acrescentou uma terrina de tubérculos, um folheado de batatas baroa e asterix com abóbora japonesa, e uma salada fria dos mesmos ingredientes encontrados na terrina.
 
Para Carlitos, o molho de sálvia traz todo um diferencial para a carne do pato. “É uma erva muito particular, porque tem um gosto, mas que, em grande quantidade, tem um sabor forte e explode na boca”, diz ele.
 

Direto do jardim 

Renata Mandelli produz geleias com ingredientes plantados em sua casa (Ana Carneiro/Esp. CB/D.A Press)
Renata Mandelli produz geleias com ingredientes plantados em sua casa
 
 
Desde 2011, a chef Renata Mandelli fabrica profissionalmente produtos artesanais em casa. Anteriormente, ela trabalhava como advogada, mas deixou o judiciário para se dedicar ao hobby. Entre os produtos, estão as famosas geleias, antepastos, azeites e pestos, feitos com ervas colhidas diretamente do jardim de Renata. “Só uso ingredientes de qualidade e, sempre que disponível, itens orgânicos”, explica.
 
Uma das novidades entre as criações de Renata é a geleia de alecrim, feita com maçã verde cozida com a erva. “Criei a geleia de alecrim em setembro do ano passado. Era uma alternativa para substituir as tradicionais geleias de menta e hortelã. A de alecrim funciona com carne de caça e queijos frescos. O alecrim também casa em sabor com carnes mais selvagens e peixes”, conta Renata.
 
Os produtos da chef também são ideais para quem não quer extrapolar no doce: a média de açúcar entre as receitas é de apenas 5%. A embalagem de 240g de geleia de alecrim custa R$ 32. Os outros sabores estão disponíveis em vidros de 40g e 120g, por R$ 10 e R$ 25, respectivamente.
 

A delicada baunilha 

A fava de baunilha é o diferencial do pudim feito por Rejane  (Arquivo Pessoal/Divulgação)
A fava de baunilha é o diferencial do pudim feito por Rejane
 
 
A baunilha é uma das especiarias mais caras do mundo — do sorvete ao crème brûlée, o extrato ou a fava da baunilha está muito presente no dia a dia das pessoas. Porém, para Rejane Borba, esse ingrediente faz parte de seu trabalho.
 
O pudim de fava de baunilha é uma surpresa doce criada por Rejane e vendida em seu negócio chamado Tem pudim. Com inspiração em um de seus doces favoritos, o crème brûlée, ela decidiu se arriscar em uma receita de pudim com o toque especial da fava da baunilha.
 
“Eu comecei a estudar e a pensar nas alternativas para criar meus pudins. Para fazer o pudim de baunilha, eu me inspirei no crème brûlée, mas entendi que a pessoa pode fazer o doce com extrato de baunilha ou com a essência, mas, se você tem a fava, é um outro sabor”, observou ela.
 


ONDE COMER 


Belini Pães & Gastronomia 
(113 Sul, Bl. D, Lj. 35/36; 3345-0777), aberto de segunda a sábado, das 6h30 à 0h, e aos domingos, das 7h às 23h.
 
Casa do Holandês 
(SIA Trecho 10, Guará; 3711-0038), aberta de segunda a sábado, das 8h30 às 18h, e domingo, das 9h às 14h. (305 Norte, Bl. B ljs. 4 e 64; 3033-4708), aberta de segunda a sábado, das 8h30 às 18h30.
 
Cookers Cozinha Criativa 
(412 Norte, Bl. B, Lj. 20; 3033-8434), aberto de terça a sábado, das 12h às 23h.
 
Empório Árabe 
(215 Sul, bl A lj 3; 3363-3101), aberta diariamente, das 11h à 0h. (Avenida Castanheiras, lt 1060 lj 24; 3436-0063), aberta diariamente, das 10h à 0h.
 
Lalé Café e Doceria 
(411 Sul, Bl. B, Lj.16; 3248-7348), aberto de segunda a sábado, das 9h às 19h.
 
Rapport Cafés Especiais e Bistrô 
(201 Sul, Bl. B, Lj. 9; 3322-0259), aberto de segunda a sexta, das 10h às 22h, e aos sábados, das 10h às 19h.
 
Renata Mandelli
Os produtos podem ser comprados no Varanda Pães Artesanais (215 Norte, Bl. D, Lj.39; 3033-2002) e na Feirinha de orgânicos (SQSW 304 no estacionamento do CECAN - Sudoeste). Entregas em domicílio e visitas no espaço de produção da Renata podem ser agendadas por meio do telefone 98155-7060.
 
Taypá 
(SHIS QI 17 Bl. G Edifício Fashion Park, Lago Sul; 3248-0403), aberto de segunda a quinta, das 12h às 15h, e das 19h à 0h, sexta, das 12h às 15h, e das 19h à 1h, sábado, das 12h às 16h, e das 19h à 1h, domingo das 12h às 17h.
 
Tem pudim 
(Facebook/tempudim; Instagram @tempudim; encomendas pelo Whats App 98300-9995), retirada em Águas Claras.
 
*Estagiárias sob a supervisão de Vinicius Nader 
Tags: gastronomia

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

BARES E RESTAURANTES

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK