Brasília-DF,
26/MAI/2018

Confira opções de drinques para enfrentar o clima da capital

As bebidas se encaixam nos mais diversos momentos, com os mais diferentes sabores

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Renata Rios Rebeca Borges* Publicação:04/05/2018 06:00Atualização:03/05/2018 18:58

A Margarita frozen é uma pedida para dias quentes (Barbara Cabral/Esp. CB/D.A Press)
A Margarita frozen é uma pedida para dias quentes

 

Começou uma época peculiar na capital. Em um único dia, o brasiliense passa pela seca e pela chuva, com variações bruscas de temperatura. Para acompanhar o leitor ao longo dessa variação  climática, que tal bons drinques?

 

O Divirta-se mais sugere bebidas que acompanham os mais diversos momentos do dia combinados com diferentes preparos, para acompanhar um petisco, ou até um prato.

 

No Loca como tu madre, a proprietária da casa, Giovanna Maia, destaca que a opção coletiva faz parte da proposta do local desde a inauguração.

 

Para quem vai apostar em um encontro romântico, o La Rubia Café oferece opções afrodisíacas. “O Passion de la rúbia, por exemplo, leva catuaba, um ingrediente com o qual gosto muito de trabalhar”, pontua Marcelo Galo, proprietário da casa.

 

Uma alternativa mais descolada, o Contê — Food and Drinks oferece criações autorais ousadas e cheias de elementos. Um exemplo é a tradicional gim-tônica, que aparece em versões exclusivas da casa e na receita original. Outro local que traz opções inesperadas é o Nola Gastropub. O local aposta na gastronomia de Nova Orleans e trabalha com diversos drinques, para os mais variados momentos.

 

Ainda com a proposta inovadora, o Carcassonne Pub traz diversos preparos temáticos, indo de bebidas alcoólicas até drinques sem álcool com maestria. O destaque vai para a cerveja amanteigada, sucesso entre adultos e crianças.

 

* Estagiária sob supervisão de Igor Silveira.

 

 

Clássico dos clássicos

Uma opção de petisco para acompanhar caipirinhas e caipiroscas é o Dos males o melhor, com camarão empanado (Barbara Cabral/Esp. CB/D.A Press)
Uma opção de petisco para acompanhar caipirinhas e caipiroscas é o Dos males o melhor, com camarão empanado

 

O maior clássico entre os drinques brasileiros é destaque do restaurante Primeiro Cozinha de Bar. Inaugurada há sete anos, a casa oferece uma carta de drinques diversificada, com adaptações de bebidas tradicionais, incluindo a caipirinha. O barman Carlos Joel trabalha no estabelecimento desde a inauguração, e explica que o restaurante busca inovação na hora de pensar nas bebidas do menu.

 

Carlos ressalta as caipirinhas e caipiroscas, feitas com três tipos de bebidas: vodca — nacional ou internacional —, saquê ou cachaça. “Os drinques feitos com vodca importada são suaves. Quem se interessa por bebidas mais fortes, pode escolher a cachaça”, explica Carlos. Para ele, o saquê é a opção ideal de quem busca uma “caipirinha” ou “caipirosca” leve. A tradicional é feita com limão-taiti e açúcar (R$ 13,90, preparada com vodca nacional, cachaça ou saquê). Com vodca importada, a bebida sai por R$ 20,90.

 

As caipiroscas fio-terra e danoninho são boas opções para os que querem fugir do básico. A primeira, feita com tangerina e pimenta dedo de moça, custa entre R$ 22,90 (vodca nacional, cachaça ou saquê) e R$ 28,90 (vodca importada). A segunda, feita com morango, amora, framboesa, creme de leite e leite condensado, acompanha um picolé de morango, e custa R$ 21,90 (vodca nacional, cachaça ou saquê) e R$ 27,90 (vodca importada).

 

 

Fica frio!

Drinques refrescantes e com a cara de Nova Orleans são a aposta no Nola Gastrobar (Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press)
Drinques refrescantes e com a cara de Nova Orleans são a aposta no Nola Gastrobar

 

Quando Saulo tavares decidiu abrir um gastrobar na capital, ele apostou na gastronomia de Nova Orleans (Estados Unidos). Foi assim que o Nola Gastrobar surgiu e oferece na carta de drinques uma originalidade diferenciada. “A culinária do Sul dos Estados Unidos tem muita influência francesa e africana”, informa Saulo.

 

No menu dos pratos, a proposta ainda é seguir a gastronomia da cidade, e o proprietário sugere o Shrimp New Orlean (R$ 46). “São camarões na manteiga com molho do Nola, acompanhado de fatias do pão da casa. O molho a base de tomate leva páprica, curry e pimenta.

 

Para beber, a sugestão é o Hurricane (R$ 25) — rum escuro, rum claro, suco de limão, laranja, maracujá, abacaxi e cereja. “Ele é um drinque bem cítrico e refrescante. As frutas ajudam a deixar a mistura mais doce, para a acidez não ficar muito forte”, descreve Saulo. O proprietário ainda cita o Moscow Mule (R$ 28) e o Ramos Gin Fizz (R$ 27) — gim, limão siciliano, creme de leite e açúcar — como opções para o calor.

 

 

Brinde para aquecer

O pharmacy book é temperado com noz-moscada: sensação de calor (Barbara Cabral/Esp. CB/D.A Press)
O pharmacy book é temperado com noz-moscada: sensação de calor

 

Natural de Curitiba, o TAJ Bar funciona há cerca de 13 anos, mas chegou a Brasília em julho de 2017. Na capital federal, a casa atua sob comando de Débora Araújo. 

 

Diferencial do bar, o projeto Taj Pharmacy transforma a experiência de tomar drinques em uma viagem ao tempo: a decoração do bar e a carta de bebidas é toda inspirada nas farmácias dos anos 1940. “Os drinques são nossa cereja do bolo”, explica Daniela.

 

O pharmacy book (R$ 35) é a opção para quem busca sensação de calor. Feito com dois tipos de uísque, o drinque também leva noz-moscada, rum, vinho do porto, cordial de framboesa, limão e defumação de canela. Júlio César, responsável pelo bar do TAJ Pharmacy, explica: “Os tons de noz-moscada dão uma picância a mais ao drinque. Com a combinação de ingredientes, nós harmonizamos a doçura, o amargor e a picância”.

 

Outro diferencial é a defumação de canela, realizada no momento em que o drinque é servido. A fumaça presente na taça traz a sensação de mistério e antiguidade, característica do projeto. Para acompanhar o drinque picante, a sugestão é o Taj steak, R$ 69, com filé-mignon grelhado, batata rústica, bacon, creme de parmesão e cebola confitada.

 

 

Vem todo mundo

A jarra para compartilhar conta com 1 litro no Loca Como Tu Madre (Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press)
A jarra para compartilhar conta com 1 litro no Loca Como Tu Madre

 

O Loca como tu madre é uma daquelas casas que cresceu no coração do público jovem brasiliense. Com opções diversificadas e criativas na carta de drinques, o trunfo da casa está nas bebidas para compartilhar. “Desde que abrimos, incluímos as jarras no menu”, conta a proprietária, Giovanna Maia, orgulhosa da alternativa ser uma pedida quase garantida para grupos grandes.

 

Entre as opções na jarra (todas de um litro), o Clericot é o mais pedido. A bebida sai por R$ 56, e conta com espumante e frutas vermelhas na composição. Em outras alternativas, a sangria pode ser servida com vinho tinto ou branco, por R$ 52. A receita com frutas vermelhas, também podendo ser com vinho tinto ou branco, custa R$ 56. Para quem deseja fugir do vinho ainda é possível apostar no Cozumel (R$ 49) — com cerveja, limão, gelo e sal.

 

Para comer, Giovanna ainda mantém a aposta de um preparo para compartilhar e sugere a tábua mexicana, com chili, guacamole, nachos de pastel, coberto com queijo muçarela de búfala. “Essa proposta da tábua para compartilhar é a cara do Loca”, garante Giovanna.

 

Novidades à vista

No fim de maio, a casa contará com novidades no cardápio. “A ideia é manter os clássicos, mas acrescentar preparos autorais”, promete Giovanna.

 

 

Arte na taça

Os drinques autorais do Contê apostam em ingredientes e sabores inusitados (Barbara Cabral/Esp. CB/D.A Pres)
Os drinques autorais do Contê apostam em ingredientes e sabores inusitados

 

Quem curte bebidas autorais e inusitadas tem o Contê — Food and Drinks como uma ótima pedida. A casa acumula uma considerável lista de drinques: de clássicos até criações exclusivas e ousadas. Entre as opções, vale destacar um drinque que une duas características. Batizado de Juscelino (R$ 27), leva gim, cordial de amora, suco de limão, clara de ovo, vermute com infusão de açaí e bitter de cacau e café.

 

“O Juscelino é um drinque inspirado em Brasília. Trouxemos elementos de todo o Brasil, como o açaí, do Norte, o cacau, da Bahia e as amoras, de Brasília”, define o mixologista da casa, Gustavo Guedes. Uma outra opção, colorida e cheia de aromas, é o Floral (R$ 27) — gim, cordial de maracujá, vermute bianco, limão, xarope de hibisco com espumante, alecrim e spray de água de flor de laranjeira. “Esse drinque é justamente para ser refrescante. A mistura do gim com o espumante lembra um spritz”, compara.

 

O cliente ainda conta com uma vasta lista de comidas. Entre as favoritas da clientela está o risoto de carne de panela (R$ 39). Para quem busca uma opção leve, o peixe branco grelhado no azeite, acompanhado de quinoa e legumes salteados (R$ 53) é ideal.

 

 

Em dias “calientes”...

A Margarita frozen é uma pedida para dias quentes (Barbara Cabral/Esp. CB/D.A Press)
A Margarita frozen é uma pedida para dias quentes

 

Comida, bebidas e música latina: essa é a cara do Otramanera Cocina Latina. A casa funciona desde setembro de 2017, e é comandada por Carla Dias. Além dos pratos que compõem o menu, a carta de drinques também segue o conceito do restaurante, e oferece diversas bebidas características de países da América Latina. 

 

Entre os clássicos no estabelecimento estão as margaritas frozen, R$ 18, que fazem parte de uma carta especial, composta por diversas opções do drinque.

 

De acordo com Wanderson Lobão, barman da casa, as bebidas são interessantes para dias quentes. A mais tradicional das margaritas leva tequila, sumo de limão e licor de laranja. “Ela é bem suave. Adicionamos uma calda de cereja, para dar cor e um gostinho diferente”, conta Lobão.

 

Nas bebidas mais ousadas, outras opções, como a frozen feita com chocolate, rum, creme de coco e abacaxi, fazem sucesso. Para quem prefere doçura, a alternativa ideal é a frozen feita com morango, vodca, xarope de romã e licor de pêssego. Apesar das combinações diferentes, todas elas levam um toque de acidez. A sugestão da casa é o prato lombo suíno saltado (R$ 32) para acompanhar as bebidas.

 

 

Doçura irresistível 

A bebida que leva o nome da  Pink Elephant é feita com uma vodca desenvolvida especialmente para o estabelecimento (Barbara Cabral/Esp. CB/D.A Press)
A bebida que leva o nome da Pink Elephant é feita com uma vodca desenvolvida especialmente para o estabelecimento

 

Quem se interessa por baladas com boas opções de drinques pode investir na programação da Pink Elephant. A casa de festas chegou à capital federal em março deste ano. Roberto Oliveira, proprietário do estabelecimento em Brasília, explica: “É uma casa eclética, que toca todos os estilos”. Além de agradar a públicos diversos com um vasto leque de gêneros musicais na playlist, a Pink oferece alternativas para quem gosta de drinques diferentes.

 

A casa tem uma vodca própria, batizada com o nome do estabelecimento. Elaborada pelo melo mixologista Rinaldo Honorato, o produto é a base para o drinque Pink Elephant, R$ 38. “Essa vodca é sem glúten e sem açúcar, uma vodca fit”, conta Gutto Lopes, responsável pelo bar da Pink. Além da vodca, a bebida conta com uma mistura de vinho do porto, sour mix — clara de ovo pasteurizada com limão — hibisco e purê de morango. “O purê é como se fosse uma geleia. Ele que dá o doce para o drinque”, completa Gutto.

 

A coloração da bebida dá destaque e chama a atenção, segundo Gutto. Ele afirma: “O visual desse drinque fala por si. Apesar de ser doce, ele tem uma citricidade boa, que o mantém equilibrado”. Para acompanhar, o petisco ideal é o carpaccio, acompanhado de torradas, que custa R$ 60.

 

 

Jogando, bebendo e comendo

Os drinques no Carcassonne Pub são variados e vão de versões fortes à alternativas não alcoólicas (Barbara Cabral/Esp. CB/D.A Press)
Os drinques no Carcassonne Pub são variados e vão de versões fortes à alternativas não alcoólicas

 

O Carcassonne é uma casa daquelas que se diferencia desde a carta de drinques até o ambiente. O local atrai a clientela não só pelas opções, para lá de criativas, de drinques e petiscos, mas, também, pela ampla variedade dos jogos de tabuleiros — que podem ser jogados nas mesas, enquanto se degusta o pedido. “Nos acabamos criando uma relação com nossos clientes. Às vezes, ficamos mais de 20 minutos explicando como se joga algum dos jogos disponíveis”, revela Salimar Moraes, sócia da casa.

 

O cliente pode ir desde um drinque com bastante teor alcoólico, como é o caso do Let it go! (R$ 18), ou uma opção sem álcool, como o Virgem on the beach (R$ 12). “O Let it go! é uma homenagem à animação Frozen, mas nada de achar que ele é fraquinho. É um sabor mais adocicado, mas leva tequila, licor de pêssego e curaçau blue, além de um toque de soda e o chantili para finalizar”, revela Salimar. 

 

Já para os pequenos, a cerveja amanteigada é a estrela. Baseada na saga Harry Potter, a bebida vem em uma caneca de 500ml e pode vir com álcool (somente para adultos, claro). “A versão para maiores leva 100ml de conhaque. Mas as pessoas acham que é suave, por causa do sabor, que disfarça!”, conta. Salimar sugere que, para acompanhar as bebidas, o cliente aposte nos hambúrgueres. A porção com 10 unidades (R$ 52; ou R$ 38, com cinco unidades).

 

 

 

Poção para aquecer o amor

Passion de la Rubia e La Rubia Selvagem vão bem com sobremesa (Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press)
Passion de la Rubia e La Rubia Selvagem vão bem com sobremesa

 

Os drinques afrodisíacos são uma ótima opção para os casais esquentarem a noitada. Entre as muitas casas que oferecem essas opções, o La Rubia Café se diferencia pelas criações originais. Na extensa carta de drinques, oferecida durante a noite no local, o proprietário Marcelo Galo não limita a criatividade e as combinações mais inusitadas se provam para o comensal.

 

Para quem busca ascender a chama da paixão, Marcelo sugere dois drinques da casa. O primeiro foi batizado como La Rubia Selvagem (R$ 21), drinque à base de vodca, catuaba selvagem, xarope de canela artesanal, xarope de limão siciliano e água com gás. “O sabor cítrico do limão casa muito bem com o sabor da catuaba. A canela entra como um elemento refrescante, enquanto a água com gás dá uma textura ao drinque”, explica Marcelo, que ainda oferece o Passion de la Rubia (R$ 18) — chá de maracujá com canela e gengibre, xarope de açúcar e vermute martini dry. “Nesse caso, o sabor da baunilha e das ervas marca a bebida, que é muito leve e quase não se sente o álcool”, explica.

 

Para harmonizar, a aposta é na sobremesa: “Eu escolhi um preparo que também é afrodisíaco, chama-se Dentro de mim e trata-se de uma sopa quente de pera, com calda de catuaba e sorvete caseiro de gengibre”, descreve Marcelo.

 

 

Onde comer:

 

La Rubia Café 

(404 Norte, Bl. B, lj 44; 3202-1717), aberto segunda, das 11h30 às 15h; terça a quinta, às 11h30 às 15h e das 18h à 1h; Sexta e sábado, das 11h30 às 15h e das 18h às 2h.

 

Carcassonne 

(407 Norte, Bl. E, lj 37; 99968-4186), aberto de terça a quinta, das 18h a 0h; sexta e sábado, das 18h à 1h.

 

Contê — Food and Drinks 

(403 Sul, Bl. D, lj 10; 3554-9474), aberto de segunda a quarta, das 12h às 15h e das 19h à 0h; quinta, das 12h às 15h e das 19h à 1h; sexta e sábado, das 12h à 1h; domingo, das 12h às 16h.

 

Nola Gastropub 

(408 Norte, Bl. A, lj 28 e 32; 99142-8962), aberto de terça a quinta, das 18h à 1h; sexta e sábado, das 18h às 2h.

 

Loca como tu madre 

(306 Sul, Bl. C, lj 36; 3244-5828), aberto segunda, das 12h às 15h e das 18h à 23h; terça a quinta, das 12h às 15h e das 18h à 0h, sexta, das 12h às 15h e das 18h à 1h, sábado, das 12h à 1h.

 

Otramanera Cocina Latina 

(413 Sul, Bl.A, Lj.2; 3222-6450), aberto de terça a sexta, das 18h às 2h, e aos sábados, das 12h às 2h.

 

Taj Bar 

(Setor de Clubes Sul, Tc.2; 3877-1821), aberto às segundas, das 18h à 0h, às terças e quartas, das 18h às 2h, de quinta a sábado, das 18h às 3h, e aos domingos, das 17h às 3h.

 

Primeiro Cozinha de Bar 

(SIG Quadra 8, 2385, Sudoeste; 3028-1331), aberto às segundas, das 12h às 23h, de terça a quinta, das 12h à 1h, às sextas e sábados, das 12h às 2h, e aos domingos, das 12h às 23h.

 

Pink Elephant 

(Setor de Clubes Sul, Tc.2; 99227-1473), aberto de quarta a sábado, das 23h às 5h.

 

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

BARES E RESTAURANTES

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK