Brasília-DF,
26/MAI/2018

Restaurantes oferecem pratos para serem compartilhados com toda a família

Divirta-se Mais selecionou algumas casas para celebrar o Dia das Mães em família

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Rebeca Borges* Renata Rios Publicação:11/05/2018 06:00Atualização:10/05/2018 15:32

A leitoa à pururuca é um clássico de Minas Gerais preparado com cuidado especial no Feitiço Mineiro (Antonio Cunha/CB/D.A Press)
A leitoa à pururuca é um clássico de Minas Gerais preparado com cuidado especial no Feitiço Mineiro

 

Sua mãe merece todas as homenagens, seja no dia dela, seja em qualquer outra data. Para o Dia das Mães, o Divirta-se Mais lhe apresenta restaurantes que servem preparos tamanho família. São pratos em que, assim como em coração de mãe, sempre cabe mais um!

 

Para quem tem uma família grande, o Figueira da Villa oferece em seu menu o Filé Família. A opção que atende a seis pessoas traz um ótimo custo-benefício, garante o maître Lucas Matheus Ferreira. “Essa é uma das datas mais movimentadas para nós, ao lado do Dia dos Namorados”, esclarece.

 

Outra pedida que atrai os comensais é a carne de sol. O preparo é tão popular pela cidade que é possível encontrar dezenas de casas que oferecem a carne de sol com feijão-de-corda, paçoca, mandioca, arroz e manteiga de garrafa. O Carne de Sol da 111  é um dos locais muito procurados pelas família.

 

Outro preparo que aquece o coração das famílias é a traíra sem espinha.  As opções com o peixe têm sabor suave e combinam com o clima que a casa tem, em especial no fim de semana. “É um lugar bem familiar, principalmente para receber turistas. Aqui vem muita gente que traz a família de outro estado”, constata Rogério Monteiro, gerente do Chalé da Traíra.

 

Já o restaurante Serra Gaúcha oferece mais que o galeto completo. “Temos algumas opções e uma que é muito bem recebida é a parmegiana”, destaca o sócio Diego Albano.

 

Para finalizar o dia, que tal uma pizza ou um mexicano? No Mucho Gusto, o menu foi adaptado para fazer a alegria da família toda. E o chef Dudu Camargo, da pizzaria Fratello Uno, não se acanha ao criar sabores, como a pizza de queijo de cabra holandês, figos frescos marinados com vinho do Porto, aceto balsâmico, mel e lascas de presunto de parma. O nome? Maravilhosa!

 

Tempero mineiro

 

O Dia das Mães no restaurante Feitiço Mineiro será bem tradicional, à moda da terra do pão de queijo. Geraldo Rocha, popularmente conhecido como “Geraldinho”, é chef do estabelecimento desde a inauguração, em 1989. Ele conta que todo o menu da casa faz sucesso, mas que a leitoa à pururuca, iguaria mineira, ganha destaque na data. “Já foram feitas até encomendas para o domingo. Muita gente vem de longe para apreciar esse prato”, garante Geraldo.

 

O preparo da leitoa é cheio de cuidados. “Colocamos no tempero, e ela fica marinando de um dia para o outro, num ambiente bem frio, para mantê-la conservada”, afirma o chef. No dia seguinte, o porco é assado no fogo baixo. A parte de pururucar, etapa mais importante, também é feita no forno: “Não faço a pururuca com óleo quente porque, dessa forma, a carne suga muita gordura”, explica Geraldo.

 

O chef também revela um segredo da casa, toque final no preparo da leitoa: “No couro do porco, uso um pouco de bicarbonato de sódio com limão e ervas. Isso deixa a pele bem crocante”. A leitoa à pururuca é acompanhada de arroz com passas, farofa e tutu à mineira com linguiça. A iguaria custa R$ 85 (para 2 pessoas) ou R$ 79,90 (o quilo, para delivery). O prato também é servido no bufê da casa (R$ 44,50).

 

Os pratos latino-americanos são destaques do restaurante Mucho Gusto (Luis Nova/Esp. CB/D.A Press)
Os pratos latino-americanos são destaques do restaurante Mucho Gusto
 

 

Sabor latino

 

Há seis anos na cidade, o restaurante Mucho Gusto é a alternativa ideal para as mães que querem experimentar uma refeição com tempero caliente. Especializado em comida texana, mexicana e sul-americana, a casa funciona sob comando de Paulo Sérgio Santos.

 

A cozinha fica por conta do chef Anthony Arteaga, peruano que vive no Brasil há quatro anos. O chef afirma: para o Dia das Mães, o Mucho Gusto investiu num cardápio que agrada a todos. “Esse menu consegue satisfazer todo mundo. Pensamos principalmente nas famílias, tudo tem um teor de pimenta bem baixo”, explica Anthony.

 

No domingo das mães, a casa oferece, por R$ 89, entrada, prato principal, sobremesa e um drinque. Entre as três sugestões de destaques, o lomo borracho é estrela. A iguaria é formada por filé-mignon com molho de cerveja, acompanhado de milho verde assado, farofa de ovo apimentada, chimichurri e mix de folhas verdes.

 

“O lomo borracho tem referências bem mexicanas. Além disso, conta com a farofa de ovo, que é bem brasileira. Por fim, o mix de folhas dá um frescor ao prato”, afirma o peruano.

 

As outras opções de pratos principais ficam por conta do peixe crocante poblano e do lomo. Como entrada, a casa oferece ceviche, e, para as sobremesas, foram escolhidos o bolo três leches e a chimichanga doce.

 

Também incluído no menu especial, o drinque mucho gusto faz sucesso. A bebida mistura grenadine, suco de laranja, vodca e Curaçau blue.

 

A parmegiana sem lactose do Serra Gaúcha agrada até a quem não tem restrição (Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
A parmegiana sem lactose do Serra Gaúcha agrada até a quem não tem restrição
 

 

O clássico que você respeita

 

Filé à parmegiana é um prato clássico. O bife de filé-mignon, empanado, coberto com molho de tomate e finalizado com queijo arranca suspiros de pais e filhos. No restaurante Serra Gaúcha, essa receita ganha uma versão sem lactose para atender o público que sofre com essa restrição.

 

“O preparo com a muçarela sem lactose não deixa nada a desejar em relação ao queijo com lactose. Já fizemos até alguns testes e as pessoas não conseguem identificar qual é qual”, promete Dionísio Maffrini, conhecido como Dido, um dos sócios da casa.

 

Para quem vai em família, a receita serve de duas a três pessoas e vai à mesa com arroz e batata frita (R$ 89,90, tradicional; R$ 94, sem lactose). “O preparo vem à mesa bastante farto. A travessa soma cerca de um quilo da receita”, informa Diego Albano, também sócio do local. Ele ainda destaca que o molho de tomate utilizado é totalmente artesanal e fica por cerca de 12 horas no fogo para chegar ao resultado desejado.

 

A casa oferece ainda o galeto, um dos carros-chefes do local. “Temos o galeto para levar. Três galetos com maionese, talharim, polenta frita, arroz, farofa de ovos, salada e molho de ervas saem por R$ 99”, anuncia. “A pessoa pode pedir o preparo por aplicativo ou pelo telefone. Essa é uma ótima pedida para quem vai fazer o almoço de Dia das Mães em casa”, sugere Dido.

 

A paleta de cordeiro é feita na parrilla por aproximadamente 40 minutos (Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
A paleta de cordeiro é feita na parrilla por aproximadamente 40 minutos
 

 

À sombra de uma figueira

 

No Figueira da Villa — La parrilla, as carnes são as grandes protagonistas do menu. Para o Dia das Mães, a casa reforça os preparos para família e oferece algumas receitas que prometem atender a todos, deixando todo mundo satisfeito, a um preço mais acessível. “As porções da casa são fartas, tem gente que pede um prato individual para dividir, mas, para grupos maiores, temos opções que atendem até seis pessoas muito bem”, garante o maître, Lucas Matheus Ferreira.

 

A paleta de cordeiro é uma das sugestões do dia para a casa. O preparo pode vir em dois tamanhos (R$ 210, para 3 a 4 pessoas; R$ 180, para 2 a 3 pessoas) e é guarnecido de arroz, salada e batatas Valdir (batata bolinha salteada em ervas e pimenta dedo-de-moça). “A paleta fica entre 40 minutos e uma hora no forno para ficar bem macia”, detalha Lucas.

 

Para família numerosa, o Filé família atende seis comensais e é um sucesso entre crianças e adultos. “O filé agrada a todos, já a paleta funciona melhor entre os adultos”, pontua. No preparo, a peça é temperada com alho, cebola, tomate, ervas, champinhom. “Primeiro, a carne é selada na parrilla, depois é levada ao forno, para destacar alguns aromas”, revela.

 

Gabriel Blas utiliza os cogumelos e legumes da estação no preparo vegetariano para família (Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
Gabriel Blas utiliza os cogumelos e legumes da estação no preparo vegetariano para família

Vegetariano turbinado

 

Quando o assunto são preparos vegetarianos, Gabriel Blas não faz feio. O chef, que desde cedo aprendeu com a família a importância de comer frutas e verduras, leva para as caçarolas do Blas — Cozinha criativa os ingredientes em contexto para lá de deliciosos. 

 

“Fizemos uma reforma recentemente na casa e reabrimos com a proposta de fazer pratos para a família compartilhar aos domingos (R$ 120, para 4 pessoas)”, conta o chef.

 

Entre as receitas que ele escolheu para o menu tamanho família está um preparo vegetariano. Trata-se de legumes da estação em cubos, cogumelos shitake no shoyo e na manteiga e picles de ameixa. 

 

“É um preparo bem oriental, tem o doce dos legumes, o sabor do teriaki nos cogumelos e a acidez do picles de ameixa”, explica Gabriel.

 

Ainda no menu família, as opções para os carnívoros vêm na forma da galinha caipira ao molho velute da ave, milho cozido na manteiga da terra, quiabo frito, arroz e farofa — ou da corvina com arroz cremoso de leite de coco, banana-da-terra frita, salada e batata rústica. 

 

“A minha ideia, quando fiz esse menu, foi servir comida bem da fazenda. É para resgatar a comida que não se encontra tão fácil na cidade”, revela.

 

Com quase 40 anos de tradição, o Carne de Sol da 111 aposta na qualidade Mamma mia! (Ana Carneiro/Esp. CB/D.A Press)
Com quase 40 anos de tradição, o Carne de Sol da 111 aposta na qualidade Mamma mia!
 

 

Paixão brasiliense

 

Quem desbrava a gastronomia brasiliense se depara com a popularidade que a comida nordestina ganha pela capital. São comuns os restaurantes especializados em preparar a deliciosa e querida carne de sol completa. 

 

No Carne de Sol da 111, a opção parece ter sido pensada para a família, tanto pelo tamanho, que atende bem uma família com 3 ou 4 pessoas, quanto pela combinação, que parece não ter quem não goste.

 

Para quem vai ao local, Guilherme Teixeira, sócio, destaca duas opções para compartilhar: a carne de sol (R$ 110) — fatiada e acompanhada pelos clássicos arroz, feijão-de-corda, mandioca frita ou cozida e paçoca —, a picanha (R$ 131) — picanha na chapa com queijo, arroz, batata frita e feijão.

 

“A comida nordestina tem essa característica de ser uma comida para compartilhar”, elucida. Claro que a mais popular é a carne de sol. “Recebemos muita família. Nossos pratos servem bem três adultos ou dois adultos e duas crianças”, informa.

 

Guilherme ainda revela que a carne de sol é feita na própria casa: “Usamos o coxão mole para o preparo”.

 

As pizzas da Fratello Uno contam com combinações criativas de ingredientes (Fratello Uno/ Divulgação)
As pizzas da Fratello Uno contam com combinações criativas de ingredientes
 

Mamma mia!

 

As mães que gostam de pizza podem comemorar o domingo ao lado da família, na pizzaria Fratello Uno. O restaurante, fundado por Vaninho Couto e Dudu Camargo, funciona desde o ano 2000 e oferece um cardápio variado, com as mais criativas combinações de sabores nos pratos. O chef Dudu Camargo conta que a pizza é uma alternativa bastante adequada para o Dia das Mães: “É um prato bem familiar, que você pode compartilhar”, acrescenta.

 

A sugestão da Fratello para a comemoração é a pizza maravilhosa (R$ 78) individual; R$ 83, média e R$ 89, grande). A iguaria é recheada com queijo de cabra holandês, figos frescos, marinados com vinho do Porto, vinagre balsâmico, mel e lascas de presunto de Parma. A combinação de diferentes sabores é o ponto forte da maravilhosa, como explica Dudu. “O queijo é bem forte, mais salgado. O figo dá uma adocicada. É um prato bem equilibrado”. Como acompanhamento, o vinho Tilia Malbec (R$ 89) é a recomendação.

 

Os que preferem sabores mais clássicos do preparo também podem aproveitar. “Outra opção é investir em pizzas mais tradicionais, como a marguerita”, completa Dudu. Além disso, a Fratello oferece a opção de montar uma pizza com até três sabores diferentes, alternativa ideal para famílias e grupos grandes. O preço final da combinação é cobrado proporcionalmente ao valor das três pizzas escolhidas.

 

A traíra sem espinha do Chalé da traíra é referência no Guará há 15 anos (Claudio Reis/Esp. CB/D.A Press)
A traíra sem espinha do Chalé da traíra é referência no Guará há 15 anos
 

Iguaria das águas

 

O restaurante Chalé da traíra é parada obrigatória para os amantes desse tipo de peixe. Há 15 anos, a casa atrai moradores de todo o Distrito Federal para o Guará, onde oferece um menu diversificado. Entretanto, apesar de ter diferentes iguarias no cardápio, a estrela do estabelecimento é a traíra sem espinha, como explica Rogério Monteiro, gerente do restaurante: “Esse prato chama muita gente pela curiosidade em saber como é o preparo”.

 

O peixe, importado da Argentina, é limpo no próprio estabelecimento. Depois, vem a parte mais importante, segundo Rogério: “o cuidado maior é na hora de tirar a espinha. Tiramos toda a coluna espinhal do peixe”. O gerente explica que o capricho na hora de tirar os ossos impede que o prato perca carne. Após ser temperada com sal, azeite e limão, a traíra é empanada e frita. Para finalizar, a iguaria é servida com uma salada de alface, tomate e cebola, e acompanha uma porção de arroz branco e pirão.

 

“O Chalé da traíra é um lugar bem familiar”, garante Rogério. Por isso, os que pretendem levar a família toda para comemorar o Dia das Mães no restaurante podem aproveitar a traíra extragrande (R$ 109,90, para cinco ou seis pessoas). Grupos menores podem investir nas porções pequena (R$ 50,90, para uma pessoa), média (R$ 71,90, para duas pessoas) ou grande (R$ 90,90, para quatro pessoas).

 

Os preparos do Coco Bambu são pensados para serem compartilhados (Barbara Cabral/Esp. CB/D.A Press)
Os preparos do Coco Bambu são pensados para serem compartilhados
 

Pensado para dividir

 

Entre os muitos locais onde o público pode ir com a família, o Coco Bambu se destaca por apostar com tudo nessa proposta. A casa oferece preparos fartos e feitos para serem divididos, como é o caso do mais que conhecido camarão internacional, que pode servir até quatro pessoas e sai por R$ 158. “Esse preparo tem um dos melhores custos-benefícios da casa”, afirma Beto Pinheiros, um dos sócios do restautante em Brasília.

 

Segundo Beto, esse prato está na casa desde a inauguração, há 9 anos. A receita, que leva camarões servidos sobre cremoso arroz com ervilha e presunto, envolvido com molho branco gratinado com muçarela e guarnecido de batata palha. Ainda na mesma linha, o cliente pode optar pelo camarão mediterrâneo (R$ 154, para 4 pessoas; ou R$ 103, para 2) — camarões refogados com alho e cebola servidos sobre cremoso arroz com manjericão, gratinado e com molho branco e batata palha.

 

Entre as moquecas, Beto destaca a moqueca tropical (R$ 175, só com camarão; R$ 156, só com peixe; ou R$ 171, mista), preparo que serve bem uma família de dois adultos e uma criança. “Esse prato é um cozido de peixe com tomate, cebola, pimentões e cheiro-verde refogados. Um leve toque de azeite de dendê e leite de coco natural. Para finalizar, é acrescido o abacaxi e a manga”, descreve.

 

Onde comer

 

Figueira da Villa — La parrila

(Rua Emul Press, lt 1, parte A, Acampamento DFL, Vila Planalto; 3081-0541), aberto de segunda a sábado, das 12h à 0h; domingo das 12h às 18h.

 

Serra Gaúcha

(Qs. 3, lt 19, lj 1, Pistão Sul, Águas Claras; 3352-5353), aberto segunda e terça, das 11h30 à 15h; de quarta a sábado, das 11h30 às 15h e das 19h às 23h; domingo, das 11h30 às 15h.

 

Bla's — Cozinha criativa

(406 Norte, Bl. D, lj 38; 3879-3430), aberto de terça a domingo, das 12h às 15h e das 19h às 23h.

 

Coco Bambu

(SCES, Tr. 2 Conj. 36, Ícone Parque; 3224-5585), aberto de segunda a quarta, das 11h às 15h30 e das 17h à 0h; quinta, das 11h às 15h30 e das 17h à 1h; sexta e sábado, das 11h até a 1h; domingo, 11h à 0h.

 

Carne de Sol da 111

(111 Sul Bl. B lj. 4; 3346-0859), aberto de segunda a sábado, das 11h à 0h; domingo, das 11h às 17h.

 

Chalé da Traíra

(QE 42, cj A, Guará II; 3964-0066), aberto de domingo a quinta, das 11h à 0h, e às sextas e sábados, das 11h às 2h.

 

Fratello Uno

(103 Sul, Bl. A, lj 36; 3321-3213 e 109 Norte, Bl. D, lj 19; 3447-3360), aberto de domingo a quinta, das 18h30 à 0h, e às sextas e sábados, das 18h30 à 0h30.

 

Feitiço Mineiro

(306 Norte, Bl. B, ljs 13/23/29; 3340-8868), aberto de segunda a sábado, das 12h às 2h, e aos domingos, das 12h às 17h.

 

Mucho Gusto

(309 Norte, Bl. A, lj 20; 3208-4128), aberto de terça a domingo, a partir das 18h.

 

*Estagiária sob a supervisão de Vinicius Nader

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

BARES E RESTAURANTES

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK