Brasília-DF,
17/OUT/2018

Rei das águas e dos menus: camarão marca presença em pratos do Restaurant Week

O camarão reina nos menus do evento deste ano. Chefs da cidade declararam amor ao crustáceo ao incluí-lo em várias receitas da 19a edição do evento

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Mariah Aquino* Renata Rios Publicação:03/08/2018 06:30Atualização:02/08/2018 18:33

O camarão foi muito escolhido pelos chefs do Restaurant Week para compor cardápios de diferentes maneiras (Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
O camarão foi muito escolhido pelos chefs do Restaurant Week para compor cardápios de diferentes maneiras

 

Em Brasília há 19 edições, o Restaurant Week relembra, este ano, receitas que marcaram a história do festival na cidade. O realizador do evento, Fernando Reis, explica que a ideia do tema Menus de sucesso é “colocar os pratos que tiveram uma saída muito boa ou os carros-chefes”. 

 

Fernando conta que a temática surgiu em uma conversa com o proprietário do Villa Tevere, o chef Flávio Leste. “Em uma conversa, tivemos a ideia de fazer algo com pratos antigos. Afinal, tem algumas receitas que marcam as pessoas”, pontua Reis. Ele revela que, pessoalmente, é difícil escolher um favorito: “São muitos pratos e o patamar é muito alto”. 

 

Além da qualidade, as delícias  do Restaurant week podem ser agrupadas de diversas formas. Um dos recortes possíveis é o camarão, ingrediente que este ano aparece ora na entrada, ora no prato principal. 

 

Pode ser refogado sobre um risoto, como é a aposta do Nau Frutos do Mar; dentro de uma moranga, seguindo o costume brasileiro, como no Ilê; ou em um arroz de frutos do mar, como no Pinguim Choperia e Restaurante. 

 

Vale destacar que, devido ao grande número de pessoas com alergias alimentares ao camarão ou aos frutos do mar em geral, as casas geralmente oferecem alternativas sem o ingrediente, para não deixar ninguém de fora!

 

Sabores até a tampa!

A tampa da abóbora é um charme que chama a atenção dos clientes do Ilê (Bárbara Cabral/Esp. CB/D.A Press)
A tampa da abóbora é um charme que chama a atenção dos clientes do Ilê

 

Quem vai ao Ilê, no meio do Parque da Cidade, tem a sensação de ser transportado direto para um restaurante praiano. Tal qual as casas das regiões litorâneas, os frutos do mar aparecem com tudo no menu. Para o Restaurant Week, as alternativas com a proteína aparecem tanto no almoço (R$ 43,90) quanto no jantar (R$ 54,90), nas versões mais diferentes possíveis. 

 

A sugestão durante o dia é experimentar o camarão na moranga ao creme de requeijão cremoso, gratinado com parmesão, guarnecido de arroz de coco e farofa de amendoim. “Esse é um prato muito interessante. A farofa tem um toque adocicado e um leve sabor de amendoim. Já o arroz de coco é feito no leite de coco artesanal que preparamos na casa”, descreve Paulo Maurício, proprietário e chef da casa. Ele complementa: “Muita gente vem e joga o arroz dentro da moranga!”. 

 

À noite, as opções são o risoto de camarão, tomate pelati italiano, ervas frescas e finalizado com grana padano ou o filé de peixe grelhado ao molho de camarões acompanhado por batatas bolinha em sete ervas, ao molho de queijo e gratinado. “Esse prato é servido na telha e além de dar um sabor especial,  é visualmente muito interessante”, finaliza o chef.

 

 

Japa na kombi

 

A montagem delicada como a do Kombinado marca os pratos da casa (Ed Alves/CB/D.A Press)
A montagem delicada como a do Kombinado marca os pratos da casa

 

Para quem gosta de se aventurar num japa mais original, o Nakombi preparou um “kombinado” especial para o cardápio de jantar (R$ 68) do festival. São dois ebitems (com camarão empanado, anchova e cebolinha), dois gunkas de camarão (com salmão, camarão empanado e alho-poró com molho de camarão) e dois de maracujá (com peixe branco, cream cheese e molho de maracujá), três niguiris (um de salmão trufado, um de polvo ao curry e outro crispy rice) e um miniceviche.

 

“A nossa aposta especial nesse prato é o niguiri pastrami, com filé-mignon curado”, diz o chef Carlos Luis. Ele diz que a ideia para o Restaurant Week foram pratos simples, mas com delicados detalhes que fazem a diferença, como o azeite trufado, o camarão e o shoyu.

O chef também ressalta a combinação do ebitem do Kombinado. “O camarão, que já é muito gostoso, se mistura com a anchova e seu sabor particular e com o molho teriaki para finalizar”, detalha Carlos. O Nakombi investe num belo ambiente em que os pratos são preparados pelos cozinheiros dentro de uma kombi, marca registrada da casa.


Coringa da casa

Uma versão diferente do clássico macarrão japonês com legumes é oferecida com frutos do mar no Nazo (Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
Uma versão diferente do clássico macarrão japonês com legumes é oferecida com frutos do mar no Nazo

 

O camarão é ingrediente fundamental da culinária japonesa, e o Nazo Sushibar, um dos representantes da cultura nipônica no Restaurant Week, traz uma opção de yakisoba com frutos do mar no menu de jantar (R$ 68). “O yakisoba é o prato coringa da casa”, afirma Júnior Leão, um dos sócios. A receita aparece como uma versão diferente do prato clássico, substituindo carne e frango por camarão e lula. Assim, quem não é tão fã do peixe cru presente nos outros pratos do cardápio do festival pode aproveitar.

 

O camarão-rosa é utilizado na receita e os cuidados são importantes. “A atenção é uma só, como com todos os ingredientes da casa, mas como o camarão pode gerar mais reações alérgicas, o cuidado é maior”, diz Jean Fábio Dias, chef do sushibar.

 

Quem ama camarões pode encontrar no Nazo uma boa pedida. “Tanto nos sushis quanto na cozinha, sempre temos várias opções com camarão”, diz Júnior. Mas isso não impede que quem tem alguma restrição ao ingrediente não possa se deliciar. Só é preciso informar aos funcionários, e os cuidados para que nenhum crustáceo seja incluído nos pratos serão tomados.

 

Uma confraria só para o camarão

A Confraria do Camarão enche os olhos dos amantes de massa (Bárbara Cabral/Esp. CB/D.A Press)
A Confraria do Camarão enche os olhos dos amantes de massa

 

Massa combina com camarão? Se seu destino for a Confraria do camarão, combina, e muito! Uma das sugestõs do restaurante para o menu de jantar é o penne com molho de mostarda antiga e camarão ao molho teriaki (R$ 54,90). Para o festival, o chef da casa, Vinícius Ferreira, optou por elaborar algo que é bem recebido pelos clientes do restaurante: “Sempre gostam muito da mistura entre frutos do mar e o agridoce”.

 

O prato usa mostarda antiga, com sabor mais forte. Quando unida ao molho teriaki, mais adocicado, e ao camarão, resulta em uma mistura harmoniosa. “Trabalhamos muito com frutos do mar; então, eu tento casar algum ingrediente oriental com o camarão da casa”, diz Vinícius. Os pratos da Confraria costumam combinar massas e temperos orientais ao crustáceo, para resultados finais de sabor suave.

 

Para que a qualidade do camarão sempre permaneça, o chef ressalta que é importante não descongelá-lo mais de uma vez. “O que é descongelado é limpo e usado no dia”, ensina. Com esse cuidado em mente, fica mais fácil saborear camarões em casa sem correr riscos.

 

O ponto da delicadeza

Especializado em frutos do mar, Nau apresenta Camarão Fortuna do Mar (Bárbara Cabral/Esp. CB/D.A Press)
Especializado em frutos do mar, Nau apresenta Camarão Fortuna do Mar
 

 

No vasto cardápio do Nau Frutos do Mar, o camarão é presença constante. Para o Restaurant Week, não poderia ser diferente: a casa oferece opções com o camarão, um queridinho dos brasilienses. Durante o almoço, o menu sai por R$ 55; no jantar, a sequência passa a custar R$ 68.

 

Para o almoço, a casa trabalha o crustáceo na entrada Camarão crocante (espetada de camarão croc croc servido com maionese de gengibre). Para o prato principal, a escolha fica entre o filé de peixe na chapa, o salmão na chapa ao molho siciliano e ainda os cubos de filé-mignon na chapa.

 

Já no jantar, o camarão aparece no Camarão Fortuna do Mar (camarões refogados na manteiga aromatizada com tomate seco, palmito, azeitonas verdes e roxas que vem à mesa sobre o arroz cremoso de tomate seco e é guarnecido de batata palha). “Esse prato já fazia parte do menu. Ele tem sabores delicados e o arroz é feito à base de creme de leite e pedaços de tomate seco que é feito na casa”, descreve o gerente Marcelo Araújo. 

 

Parceria de sucesso

O Villa Tevere apresenta preparos clássicos da casa, como o risoto tropical (Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
O Villa Tevere apresenta preparos clássicos da casa, como o risoto tropical
 

 

Para quem busca uma experiência gastronômica diferenciada, o Villa Tevere é um local a se levar em conta. “No Restaurant Week, temos o cuidado de fazer o festival ser acessível. Não só no valor, mas na gastronomia, que deve ser diferenciada e sofisticada”, explica o chef Flávio Leste.

 

Entre as receitas deste ano, ele destaca o risoto tropical (R$ 68, no jantar) — risoto cítrico com camarões empanados em panko e confitura de maracujá, manga, limão e gengibre. “É um sucesso que nunca entrou em festival, assim como o polpetone, prato muito famoso, o favorito de dois ex-presidentes”, orgulha-se o chef.

 

Na hora do almoço, por R$ 55, o chef sugere um preparo que se trata de uma fusão. “O gamberi brasiliano é um prato típico de cozinha fusion.  Ele é servido com risoto, referência italiana, mas de coco, que é um fruto asiático, muito bem adaptado no Brasil. Além de tudo, fazemos um bobó de camarão, preparado de maneira mais leve, pois não leva dendê”, complementa.

 

Delícia da roça

O preparo que o Quattro oferece aposta em sabores fortes e que valorizam o camarão (Bárbara Cabral/Esp. CB/D.A Press)
O preparo que o Quattro oferece aposta em sabores fortes e que valorizam o camarão

 

Quando pensou no menu do Restaurant Week deste ano, a chef Cris Fumie, do Quattro Pizza & Bar, não poupou criatividade. “O cliente hoje é muito exigente. Quando escolhe onde ir no festival, ele procura algo diferente”, afirma.

 

Para atender o público, sedendo por pratos que saem da caixinha, a chef prepara uma espécie de arroz da roça, o arroz de camarão à moda da roça (R$ 54,90, no jantar). A ideia é ser um prato bem temperado, com camarões, linguiças artesanais, bacon e alho-poró, além do parmesão para gratinar. 

 

“O camarão aceita bem sabores fortes. Apesar de ser inesperado, eles valorizam a proteína”, explica Cris. Vale destacar que o cliente tem alternativas que não incluem o camarão, como o filé-mignon em crosta de foccacia e ervas ao molho balsâmico, acompanhado de risoto de tomate seco e rúcula ou o nhoque de batata-boroa com carne de rabada especial. Destaque ainda para a verrine de cheesecake e goiabada.

 

 

Programação Cultural

A casa, além da gastronomia, investe em outras artes. “Trabalhamos mais com música ao vivo, mas até pintura ao vivo já teve aqui no espaço”, revela Ney, proprietário do restaurante. Quinta é dia do DJ, que se apresenta acompanhado da cantora Nicole Baggio. Às sextas, a casa dá espaço para voz e violão de Nicole. Todo sábado Washington Aguiar se apresenta com o saxofone, às às 20h, com couvert a R$ 8.

 

Ode ao mar

O arroz cremoso de frutos do mar do Pinguim foi buscar inspiração na paella (Bárbara Cabral/Esp. CB/D.A Press)
O arroz cremoso de frutos do mar do Pinguim foi buscar inspiração na paella

 

Na choperia Pinguim, o Restaurant Week traz com um prato de peso: arroz de frutos do mar. A receita faz parte do menu de jantar, que sai por R$ 54,90, com entrada e sobremesa inclusas. 

 

O gerente da casa, Aguinaldo Faria, explica que a ideia veio de uma paella que a casa serviu durante um período. “Era um prato para compartilhar, mas que foi muito bem-aceito. Transformamos então no arroz cremoso de frutos do mar”, relata.

 

O chef da casa, Juliano Rodrigues, explica que o prato é feito com camarão, lula, polvo, mexilhões e lagostim. “Cada uma das carnes é feita respeitando o próprio tempo de cocção. O prato ainda leva o açafrão, que não só dá uma coloração única para o preparo, mas sabor e aroma. O arroz é cozido no caldo dos frutos do mar e depois dou um toque de leite de coco, para deixar mais cremoso”, explica o chef.

Aguinaldo ainda revela que durante o período do festival, a casa tem um aumento de 30% em relação ao público habitual. “O valor fixo e acessível são dois atrativos muito bem-vindos pelos clientes”, ressalta. Para quem não pode ou não quer camarão, a casa trabalha, no mesmo horário, com o assado de tira uruguaio —  servido com farofa de ovos com presunto azeitona preta e ervilhas.

 

LG: 

 

 

Almoço de responsa

O bar com ambiente colorido apostou em receitas caseiras para o festival (Ed Alves/CB/D.A Press)
O bar com ambiente colorido apostou em receitas caseiras para o festival
 

 

O moderno bar e restaurante Responsa oferece um menu com gostinho de casa para quem não tem tempo de passar por ela durante o almoço. Para o Restaurant Week, você pode aproveitar um arroz cremoso de moqueca de camarão e lula (R$ 43,90).  O cardápio para o festival foi pensado para oferecer opções diversas ao público. São alternativas com carne, com frutos do mar e também uma opção vegetariana.

 

“Temos amigos que trabalham por aqui e reclamavam da falta de uma comida mais caseira na hora do almoço”, diz Guilherme Pereira, um dos sócios do Responsa. “Por isso, a gente resolveu oferecer um cardápio com essas receitas mais simples, que lembrem a nossa casa”, complementa.

 

Para quem optar por conhecer o ambiente descontraído do Responsa, esse arroz cremoso combina bem com um vinho branco. As opções de bebida na casa são muitas e o bar é um bom lugar para quem gostar de futebol: onze telões espalhados garantem uma experiência animada e acompanhada por comida boa.

 

 

*Estagiária sob a supervisão de Vinicius Nader 

 

Onde comer:

 

Confraria do camarão 

(AOS 2/8, Terraço Shopping, Octogonal; 3234-7350), aberto de segunda a sexta, das 12h às 15h e das 18h às 23h; sábado das 12h às 16h e das 18h às 23h e domingo das 12h às 16h e das 18h às 22h.

 

Ilê Praia Park 

(Parque da Cidade, Estacionamento 9; 3443-8099), aberto de segunda a sábado, das 11h30 às 23h; domingo, das  11h30 às 17h.

 

Nakombi 

(404 Sul, Bl. B, lj. 33 e 35; 3264-6888), aberto para almoço de terça a sexta, das 12h às 14h30; sábado e domingo, das 12h às 15h; para jantar, de domingo a quinta, das 19h às 23h, e sexta e sábado, das 19h às 0h.

 

Nau Frutos do Mar 

(SCES, Tc. 2, lt 2/26; 3252 0155), aberto segunda, das 12h às 15h30, e das 18h30 e 22h; de terça a quinta, das 12h às 15h30, e das 18h30 às 23h; sexta, das 12h às 15h30 e das 18h30 à 0h; sábado, das 12h à 0h; domingo, das 12h às 22h.

 

Nazo Sushi 

(214 Norte, Bl. D, lj. 1; 3033-7840), aberto todos os dias das 12h às 15h e das 19h às 23h30.

 

Pinguim Choperia e Restaurante 

(Espaço Gourmet do ParkShopping; 3042-1070), aberto de segunda a sábado, das 11h às 23h; domingo, das 11h às 22h.

 

Quattro Pizza & Bar 

(Av. Pau Brasil, lt 11, lj 27 a 32, Águas Claras; 3037-7200), aberto de terça a quinta, das 18h à 0h; sexta e sábado, das 18h à 1h; domingo, das 18h à 0h.

 

Responsa Bar e Cozinha 

(202 Sul, Bl. A, lj. 4; 3554-9746), aberto de segunda a quinta, das 11h às 15h e das 17h às 23h; sexta e sábado das 11h30 à 0h e domingo das 11h30 às 21h.

 

Villa Tevere 

(115 Sul, Bl. A, lj 2; 3345-5513), aberto segunda, das 19h30 às 23h30, de terça a quinta, das 12h às 15h, e das 19h30 à 0h, sexta e sábado, das 12h às 15h e das 19h30 à 1h, e domingo, das 12h às 16h

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

BARES E RESTAURANTES

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK