Brasília-DF,
16/DEZ/2018

Brasileiríssima: cachaça é ingrediente de sucesso nos drinques

Leia conversa com o especialista Maico Douglas sobre a bebida

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Renata Rios Publicação:28/09/2018 06:00
Maico Douglas aposta no equilíbrio em drinques com cachaça (Barbara Cabral/Esp.CB/DA.Press)
Maico Douglas aposta no equilíbrio em drinques com cachaça
 
A cachaça é um ingrediente brasileiríssimo e que está em alta. Atualmente, a cachaça vem sendo cada vez mais valorizada e não são poucas as pessoas que buscam entender mais sobre essa bebida. Para ajudar os leitores curiosos, o sommelier do Rubaiyat Brasília, Maico Douglas fala um pouco sobre a bebida.

A cachaça não tem uma origem definida, mas especula-se que ela tenha surgido nos engenhos de cana. “Existe um mito de que para se obter o melado os escravos colocavam o caldo de cana em tacho e levavam ao fogo. Não poderiam parar de mexer até ficar consistente. Até que um dia esqueceram e viram que havia azedado. Guardaram e misturaram como caldo novo. Eles viram que havia se formado gotas no teto, que era o álcool que estava evaporando”, conta Douglas.
 
Outro fato curioso sobre a bebida são os nomes —  pelo menos dois nomes tão famosos quanto cachaça. O primeiro é  pinga, forma popular de se referir à bebida. O segundo, água ardente. Douglas explica que essa é a bebida obtida do destilado alcoólico simples da cana-de-açúcar ou de outras frutas e cereais. “Já a cachaça é a denominação típica e exclusiva da aguardente de cana produzida no Brasil, com produção feita manualmente, garantindo melhor qualidade e controle em sua produção com graduação alcoólica de 38% a 48%”, ressalta.

Equilíbrio


“Uma boa cachaça deve ser bem equilibrada, com boa limpidez, bons aromas, não pode queimar muito no paladar, para que seja um momento de prazer ao degustar”, ensina Douglas. “Do momento que se colhe a cana, o quanto antes se iniciar o processo de produção melhor é para que a fruta não tenha tanta oxidação, a higiene do local onde se está produzindo também é um grande fator por conta das leveduras”, continua.
 
Ele ainda explica que o destilado de origem brasileira, quando envelhecido, se torna bem macio ao paladar. “A cachaça que passa por madeira tem tonalidade de cor mais dourada, e no paladar vai ser mais suave. A cachaça sem passagem por madeira vai ter personalidade mais forte, preservando as características primárias, preservando as notas de frutas e um pouco mais presente no paladar”.

Segredo do sucesso


Segundo o sommelier, o segredo para uma boa caipirinha está no equilíbrio. “A proporção dos ingredientes é 1/3 do volume do copo com a fruta escolhida, 20ml de xarope de açúcar ou uma colher e meia (sopa) com açúcar, em torno de 70ml de cachaça, completar o copo com gelo e mexer bem”, detalha.

Onde Beber


Rubaiyat Brasília 
(SCES, Tc. 1, lt 1A; 3443-5000), aberto de segunda a sábado, das 12h à 23h30; domingo, das 12h às 18h.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

BARES E RESTAURANTES

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK