Brasília-DF,
25/AGO/2019

Pratos preparados com queijo agradam nos dias frios

Para enfrentar o frio, preparos com o alimento ajudam a aquecer o inverno brasiliense

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Renata Rios Geovana Melo* Publicação:19/07/2019 06:00Atualização:18/07/2019 16:27
O inverno na capital chegou com tudo, e os brasilienses procuram por alternativas para espantar o frio. Entre as opções, o fondue de queijo é um clássico do clima de baixas temperaturas, mas não é o único. Confira uma seleção de preparos com queijo que atendem bem aos dias frios.

Para começar, o fondue tem respaldo durante o frio. A receita que surgiu na Europa foi pensada justamente para combater as baixas temperaturas e aproveitar pedaços de queijo. Atualmente, a panelinha de queijo fundido é uma refeição elegante e divertida. Mas os comensais que vão ao Outback Steakhouse encontram o fondue em um novo formato: dentro do pão. “O Fondue Outback foi lançado com uma proposta bastante inovadora e em duas versões, nas quais nosso famoso pão australiano vem no formato de bowl, em vez da tradicional panela do fondue”, detalha Renata Lamarco, diretora de marketing do Outback.

Uma proteína que atrai os brasilienses em peso é o camarão. Se esse for combinado com queijo, aí que o sucesso é ainda maior. No restaurante Cidade Livre, uma das grandes estrelas do menu é o Chiclete de Camarão. O prato premiado leva camarões em molho de queijo — tudo servido bem quentinho.

Os preparos gratinados chegam às mesas borbulhando, um acerto no Rubinho Express. O restaurante, famoso pelo parmegiana, inaugurou uma unidade no Shopping Boulevard. No local, muito queijo, em diversas receitas que vêm à mesa gratinadas.

*Estagiária sob supervisão de Igor Silveira


Saboroso com vinho


Queijos e vinhos são uma escolha certeira, ainda mais quando aliados ao frio. Para facilitar a vida de quem pretende degustar uma seleção de delícias, Marina Cavecchia, sócia do Teta Cheese, sugere alternativas. “Queijos mais curados e mais maturados são mais complexos e com mais camadas de sabor e aroma, e podem entrar nas linhas dos queijos ideais para o frio”, explica. No entanto, pontua: “Para mim, qualquer queijo pode ser comido a qualquer hora”.

O Canastra do Cláudio (R$ 6, com 50g) traz um sabor mais fechado, picante, complexo e intenso. O Cuesta Azul (R$ 10, com 50g), feito com leite cru de vacas da raça Gir e Jersey. Para completar, o Queijo do Bello (R$ 8, com 50g). O Kanonenko (R$ 12, com 50g), um queijo da Serra da Mantiqueira, também se destaca tanto pela “raridade” quanto pelos cristais de tirosina que, ao mordê-los, parece sal. Esses queijos harmonizam com drinques mais encorpados. “Cervejas mais maltadas ou amargas e drinques mais fortes, como o Negroni”, conta Marina.

A Teta Cheese oferece diversas opções de queijos para você se deliciar (Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press)
A Teta Cheese oferece diversas opções de queijos para você se deliciar

Oi, sumido...


Todo ano, um ciclo se repete: o fondue, pouco consumido durante os dias quentes, volta com tudo quando chega o frio. A receita suíça criada durante a Segunda Guerra Mundial é ideal para épocas de temperaturas mais baixas. No Outback, a receita ganha uma nova roupagem, que promete transformar a experiência de comer fondue. “Para garantir as duas versões quentinhas até o final da experiência, além das caldas, nós aquecemos também o pão australiano”, ressalta Renata Lamarco, diretora de marketing do Outback.

Entre os amantes de doces e de salgados, o cliente tem duas opções, o Cheese Fondue (R$ 75) e o Chocolate

Fondue (R$ 60) — caso opte pela dupla, o valor total é R$ 120. A opção salgada, explica Renata, “conta com um de creme de queijo cheddar com um toque de molho ranch, servido com filé-mignon em tiras, cubos de frango grelhados, camarões empanados ao estilo Outback, fritas e os Royal Bites”, pontua.

No doce, a calda de chocolate é a original da sobremesa da casa, a Chocolate thunder from down under — feita com chocolate meio amargo. “Essa opção doce é bastante saborosa, pois é servida com os tradicionais brownies de chocolate e de doce de leite, morangos, bananas e marshmallows tostados”, lista.

Uma jornada repleta de histórias
As unidades do Iguatemi e do Parkshopping passam atualmente por uma reforma. O resultado será o novo layout da marca — que mudará desde o projeto arquitetônico, decoração, identidade visual até a apresentação dos pratos. A ideia é levar o cliente para descobrir a Austrália, uma terra cheia de história, riquezas culturais e sabores ousados característicos da marca. “Este novo design faz parte de um projeto maior que começamos em 2016, que envolve todas as etapas da experiência do nosso cliente”, pondera Renata.

O fondue servido dentro do pão fica até agosto no menu do Outback (Ricardo de Vicq de Cumptich/Outback)
O fondue servido dentro do pão fica até agosto no menu do Outback

O Chiclete de camarão é um dos carros chefes do Cidade Livre (Gustavo Gracindo/Divulgação)
O Chiclete de camarão é um dos carros chefes do Cidade Livre
 

Queijo chiclete


No restaurante Cidade Livre, desfruta-se mais do que de uma boa refeição, mas também de uma decoração caprichada. O ambiente amplo comporta fotos e objetos de decoração da época da construção da capital. “Toda a casa foi feita pensando em uma homenagem ao Núcleo Bandeirante”, conta a proprietária, Francisca Araújo.

Nas mesas, um dos preparos mais pedidos é um clássico da casa, o chiclete de camarão. “Criei essa receita assim que a casa abriu. Fui para a cozinha e fomos testando até chegar a esse resultado servido atualmente”, relembra. O sucesso garantiu não só uma numerosa clientela, mas também o prêmio no Roda de Boteco.

O preparo leva um molho tipo moqueca, com os camarões puxados no azeite e tudo coberto pelo queijo. “Faço essa receita com quatro tipos de queijos — muçarela, catupiry, gruyère e gorgonzola — e um toque do chef”, detalha. Para quem se interessou, a receita pode ser pedida de duas formas, como refeição (R$ 99,90), acompanhada de arroz e batata palha; ou como petisco (R$ 75,90).


Queridinho da clientela


Entre os preparos que trazem a memória afetiva à tona está o filé à parmegiana, um prato comum, mas com versões diferentes. O restaurante Rubinho aposta tudo na receita. Apesar das inovações, o que o público mais procura é o parmegiana clássico, feito com filé-mignon à milanesa, coberto com molho de tomate e finalizado com queijo gratinado.

Para a gerente do Rubinho Express, Lilia Veras, o segredo do sucesso está na qualidade do que é apresentado. “Trabalhamos com ingredientes muito bons. Nós usamos o filé-mignon, por exemplo, que apesar de deixar o custo mais alto, é uma carne de muita qualidade.” Ela ainda conta que o molho de tomate da casa é 100% natural.

O preparo pode ser pedido em dois tamanhos, o de 260g (R$ 25,90) e o de 400g (R$ 32,90). “Os pratos dão direito a dois acompanhamentos. Os mais populares são o arroz e a batata frita, mas o cliente pode escolher outras opções, como talharim ao alho e óleo, farofa de ovos ou brócolis no alho”, sugere. Para quem procura outras opções, vale experimentar a lasanha à bolonhesa e o polpetone (R$ 19,90, com 260g; ou R$ 24,90, com 400g).

O parmegiana fica ainda mais popular durante o frio (Vinicius Cardoso/Esp. CB/D.A Press)
O parmegiana fica ainda mais popular durante o frio

Culinária italiana


O risoto também está entre os pratos queridinhos para o frio, e a Toretto Cucina Italiana oferece deliciosas receitas. “Um risoto harmoniza muito bem com esse clima, por conta da cremosidade do prato e das notas de queijo”, conta Eduardo Brigido, chef do Toretto.

Entre os destaques da casa, está o risoto de filé com parmesão. “O nosso é feito com cubos de filé-mignon selados na manteiga com alho-poró confitado, arroz arbóreo, vinho branco, fundo de legumes, molho de tomate vero napolitano. Esse risoto é finalizado com parmesão e manteiga. Após empratamento, o risoto é acompanhado de crocante de alho-poró, stracciatela e azeite infusionado de trufas negras”, ressalta Eduardo Brigido.

O queijo parmesão tem um papel central em todos os risotos e várias massas (Thiago Bueno/Toretto)
O queijo parmesão tem um papel central em todos os risotos e várias massas

Tradicional à bolonhesa


A receita simples de lasanha com molho de tomate e carne moída é um curinga em muitas casas. A Trattoria 101 investe nessa preferência e não deixa fora do menu a tradicional lasagnha a bolonhesa (R$ 48), servida aos sábados e domingos na casa. “Nossa lasagnha é feita com o ragu de carne suína, bovina e frango. Nosso molho também vai com tomate italiano pelatti”, diz a gerente da casa Cláudia Bastos.

“O nosso diferencial é o modo de preparo do molho que é feito com ragu no modo que era feito pela mãe de Luigi Benegiamo, criador da Trattoria. Tem o gostinho da comida da mama”, conta. Apesar de o cardápio oferecer diversos molhos, o bolonhesa é um dos campeões de venda. “O bolonhesa sai muito com o espaguete e com a lasanha”, afirma Cláudia.

Para o friozinho, nada melhor que uma massa para ajudar a encarar o tempo. “A harmonização perfeita de um vinho tinto com a lasagnha à bolonhesa é um que leva a uva chianti”, indica.

Lasanha à bolonhesa é um prato repetido em muitos lares (Paula Rafiza/Esp. CB/D.A Press)
Lasanha à bolonhesa é um prato repetido em muitos lares

Cheia de sabores


Pizza é uma receita que arrebata corações durante todas as épocas do ano. Nela é quase obrigatório o queijo na cobertura. Entre as casas mais queridas e especializadas nessa receita está a Avenida Paulista, onde os sabores enchem os olhos e a barriga.

Para quem deseja conhecer a casa em pleno inverno, o proprietário, Roberto Magnani, sugere duas pizzas. A primeira se trata da quatro queijos (R$ 55, a pequena; R$ 76, a grande), que na casa é feita de maneira diferenciada. Os quatro queijos escolhidos são: emental, catupiry, muçarela e parmesão. “Finalizamos com azeitonas azapa. Caso o cliente deseje, temos o gorgonzola como adicional”, explica Magnani. Ele ainda detalha que os queijos são colocados na seguinte ordem: “A muçarela vai embaixo; depois, o catupiry; na sequência, o emental, que dá um toque adocicado; e finalizamos com o parmesão”.

Outra alternativa, criação da casa, é a pizza Vesúvio (R$ 98) — calabresa, alho-poró, queijo, molho de tomate e vulcões de catupiry. “Essa pizza vem com um formato diferente, com alguns vulcões de catupiry na borda. À medida que a pizza esquenta, o catupiry escorre e deixa tudo cremoso”, descreve.

Não é só pizza
Este é o segundo ano do chef siciliano Gean Luca Scribano na casa. Além das pizzas, ele trabalha com receitas típicas do país natal, como o talharim artesanal com molho putanesca ou com molho rabbiata, ambos por R$ 44. O proprietário ainda sugere que os clientes experimentem os preparos com ossobuco.

A pizza quatro queijos é montada de forma que valoriza todos os ingredientes (Avenida Paulista/Divulgação)
A pizza quatro queijos é montada de forma que valoriza todos os ingredientes

Coma ainda quente


No Balcony 412, todo o ambiente foi pensado para deixar os clientes confortáveis. A casa foi montada por José Luiz Paixão, expert em balcões. Ele atuou ativamente na formação da gastronomia brasiliense e coloca no Balcony muito de seu aprendizado em prática. Boa comida, drinques deliciosos e atendimento diferenciado fazem o nome da casa. “Bartender tem que ser quase um psicólogo”, brinca bem- humorado.

Para os dias frios, o queijo é uma estrela na casa. A primeira alternativa é o camembert grelhado com alho, molho pesto e cogumelos frescos(R$ 55). “Esse queijo tem que ser comido assim que chega à mesa, ainda quente. É ótimo para o frio”, comenta. O queijo de sabor pronunciado ainda aceita bem tanto drinques como o vinho. “Para quem for harmonizar, sugiro um tinto cabernet sauvion ou merlot, por exemplo.”

Paixão explica que os queijos azuis, como o camembert, o gorgonzola e o roquefort são muito bons para as temperaturas mais baixas. “São queijos europeus que combinam muito com o clima do inverno.” Outra pedida, com uma identidade nacional, é a Provoleta (R$ 45). “Esse preparo usa uma louça de barro com furos, onde o provolone é derretido. Como é um queijo forte e com gordura é ótimo para o frio”, afirma.

O camembert deve ser consumido ainda quente, para tornar a experiência melhor (Ana Carneiro/Esp. CB/D.A Press)
O camembert deve ser consumido ainda quente, para tornar a experiência melhor

Gosto eclético


Para os que pretendem fugir das massas tradicionais italianas, o hambúrguer Tarêgo (R$ 35), da Vila Tarêgo, busca proporcionar para os clientes o melhor da carne, sem deixar de lado a essência do queijo. Nesse prato, o restaurante oferece 130g de queijo brie empanado. “A gente tem uma valorização muito grande do processo artesanal”, conta Fernando Lana.

O Tarêgo é feito com queijo brie empanado com caramelo e mix de baby leaf, mayo no pão brioche. Ainda há opção de retirar a carne e se deliciar apenas com o empanado de queijo, e pode ser acompanhado do combo com refri e batata.

A Vila Tarêgo tem uma decoração pra lá de eclética, com bar, quintal, praia e grafites. No entanto, um objeto se destaca no local: uma lareira, que faz muita diferença para o frio que a capital está enfrentando neste mês de julho.

Vila Tarêgo oferece o melhor da carne e do queijo (Raimundo/Vila Tarego)
Vila Tarêgo oferece o melhor da carne e do queijo

Onde comer


Avenida Paulista 
(SCES Tc. 2, lt. 41; 3255-6000), aberto de terça a quinta, das 12h às 14h30, e das 18h30 à 0h; sexta, das 12h às 14h30 e das 18h30 à 1h; sábado, das 12h às 15h30 e das 18h30 à 1h; domingo, das 12h às 15h30 e das 18h30 à 0h.

BalcoNY 412 
(412 Sul, Bl. C, lj 17; 3245-5535), aberto de segunda a sábado, das 18h30 à 1h.

Cidade Livre 
(SIBS, Q. 2, cj. CL3, lt. 3 a 5, lj. 1; 3326-0404); aberto de segunda a quinta, das 11h à 0h; sexta e sábado, das 11h às 2h; domingo, das 11h à 0h.

Outback Steakhouse 
(SHIN, CA 4, lj 21; 3468-3655) ou (SAI/SO Área 6580, Guará; 3234-7958), aberto de segunda a quinta, das 12h às 15h e das 17h às 23h; sexta e sábado, das 12h à 0h; domingo, das 12h às 22h30.

Rubinho Express
(STN, Cj. J, Boulevard Shopping, praça de alimentação), aberto de segunda a sábado, das 12h às 22h; domingo, das 12h às 20h.

Teta Cheese 
(103 Sul, Bl. B lj 34; 3554-6970), aberto terça e quarta, das 11h às 19h, quinta, sexta, e sábado, das 11h à 1h30. A cozinha abre às 17h.

Toretto Cucina Italiana 
(R. 36 Norte, Águas Claras; 3034-1252), aberto de segunda a quinta das 16h às 0h e sexta das 16h às 1h; sábado das 12h às 1h e domingo das 12h às 23h.

Trattoria 101 
(CLSW 101, Bl. C, lj. 38, Sudoeste; 3344-8866), aberto segunda, das 12h às 15h e das 19h às 23h30; de terça a sábado, das 12h às 15h, e das 19h à 0h; e domingo, das 12h às 16h.

Vila Tarêgo 
(SMPW 5 cj 12 lt 5 Parte C, Parkway), aberto de terça a quinta e domingo das 17h03 às 23h03, e das 17h03 à 0h nas sextas e sábados.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

BARES E RESTAURANTES

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK