Brasília-DF,
28/FEV/2020

No dia de Iemanjá, iguarias do mar são opção gastronômica

Neste domingo é comemorado o Dia de Iemanjá, popular orixá de religiões de matrizes africanas. Pensando na data, o Divirta-se Mais selecionou alguns locais para apreciar a gastronomia que vem dos mares

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
João Paulo Zanatto* Melissa Duarte* Publicação:31/01/2020 06:06Atualização:31/01/2020 09:03
Neste domingo é dia de Iemanjá, orixá cultuado no candomblé e outras religiões de matrizes africanas. A Rainha do Mar, como é conhecida, é um dos orixás mais populares no Brasil, com grande influência na cultura popular, na música, arte, literatura e gastronomia. A maior festa celebrando o orixá é em 2 de fevereiro, quando as pessoas se vestem de branco com destino às praias para depositar oferendas à padroeira dos pescadores. Exaltando Iemanjá, o Divirta-se Mais selecionou estabelecimentos com preparos utilizando iguarias vindas do mar.

Das profundezas do oceano, o peixe congrio-rosa é um insumo caríssimo, afinal não pode ser mantido em cativeiro e habita até um quilômetro de profundidade, no fundo do mar. Ele é o destaque do restaurante Nosso Mar, em que o proprietário exalta o peixe. "Ele é maravilhoso, de qualquer jeito, fica bom", elogia Carlos Henrique. No local, como o nome indica, a especialidade são os frutos do mar, que atendem a todos os gostos.

Já no Pecorino Bar & Trattoria, apesar de o foco ser a culinária italiana, há uma união entre o queridinho salmão e a lula. A casa serve salmão grelhado acompanhado de risoto negro com minilulas, destacando os sabores do mar.

Tradição das quintas-feiras em Fortaleza, a caranguejada é um sucesso no Ceará Carne de Sol.

*Estagiários sob a supervisão de Igor Silveira
 
Confira no mapa a localização de cada um dos estabelecimentos presentes na matéria! (CB/D.A Press)
Confira no mapa a localização de cada um dos estabelecimentos presentes na matéria!
  

Tudo junto e misturado!


O tema principal do Manatí — Restaurante e Bar, em Águas Claras, é o mar. É assim que o proprietário Rodrigo Fiuza caracteriza o restaurante. "Tem essa atmosfera de praia e mar".

"Em datas comemorativas, como o Dia de Iemanjá, a procura pelo restaurante e por frutos do mar aumenta, também porque são opções leves e mais saudáveis", aponta Fiuza, que ressalta o cuidado de se trabalhar com insumos de difícil acesso na capital. "São produtos muito sensíveis. Os insumos vêm do litoral, por isso, sempre temos o cuidado de trabalharmos com eles frescos."

Um dos carros-chefes da casa, a chapa de frutos do mar (R$ 119, serve até três pessoas) do restaurante combina camarão, anéis de lula, mexilhão, filé de salmão, abacaxi e legumes. O prato é acompanhado de arroz branco. A casa ainda trabalha com opções de pratos para veganos e vegetarianos.
 
A chapa une diversas iguarias do mar (Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
A chapa une diversas iguarias do mar
 

Sucesso gastronômico 


Um dos peixes mais usados na culinária é o robalo. O peixe de proteína branca é reverenciado na gastronomia pela possibilidade de se fazer diferentes tipos de preparos com ele. No BSB Grill, o robalo é um dos sucessos do cardápio no restaurante que atua na capital há mais de duas décadas.

"Nesse período, em épocas especiais, esses tipos de preparos vendem mais", aponta Issa Attie, um dos proprietários do local, que ainda ressalta a importância de focar em um único peixe. "Não adianta termos preparos com muitos peixes. É importante termos um e de ótima qualidade", complementa.

O robalo especial (R$ 129, 550g), assado na brasa, é acompanhado de legumes, como brócolis, vagem, ervilha, cenoura e batata. Issa Attie ainda recomenda à clientela para pedir homus ou até mesmo um arroz com brócolis, que caem bem com o prato. "Mesmo com uma variedade de cortes nobres de carne vermelha, as pessoas pedem muito o robalo", finaliza o proprietário.
 
O delicioso robalo com legumes é um sucesso no BSB Grill
 (Zuleika de Souza/CB/D.A Press)
O delicioso robalo com legumes é um sucesso no BSB Grill
 

Peixe polivalente


A versatilidade do salmão é um dos pontos altos desse ingrediente. Ele pode ser consumido grelhado, assado e, até mesmo, cru. No Pecorino Bar e Trattoria, apesar da especialidade voltada para massas, um preparo com salmão agrada a clientela.

"Não queríamos ficar presos somente a massas. É necessário aumentar o leque de atendimento com variedade, e aí, entram peixes, carnes, frutos do mar", aponta Marcos Bezerra, um dos proprietários.

O salmão é servido grelhado e acompanha um risoto com minilulas e tingido com tinta de lulas. O prato, individual, sai por R$ 67. "É um dos nossos preparos que saem bastante. É algo mais tropical, mais a cara aqui do nosso Brasil, e sempre tem uma clientela buscando por isso", ressalta o proprietário. Para quem não estiver interessado em peixe, o carro-chefe da casa é o polpetone à parmegiana (R$ 59), servido com linguini na manteiga e sálvia.

Sabores do mar se unem no preparo do Pecorino, salmão e minilulas (Pedro Santos/Divulgação)
Sabores do mar se unem no preparo do Pecorino, salmão e minilulas

Das profundezas do oceano


Em um restaurante chamado Nosso Mar, obviamente a especialidade só pode ser de especiarias advindas da vasta extensão de água salgada que ocupa o planeta. Um dos destaques é o congrio-rosa, um peixe que habita as profundezas do oceano.

"O congrio-rosa é um peixe tão maravilhoso que, de qualquer jeito, fica bom", diz, animado, Carlos Henrique, proprietário do restaurante. O congrio-rosa (R$ 160, serve duas pessoas) é preparado na grelha, temperado com um pouco de alho e sal e servido com molho de camarão. "É um peixe que tem muito pouca gordura, então, muita gente idosa e com pressão alta busca este preparo", conta.

O chamariz do estabelecimento é o congrio-rosa, mas eles também contam com caranguejos vivos, onde a clientela pode escolher para desfrutar. Temperados com água e sal, a unidade sai por R$ 13,90, com tempero de leite-de-coco fica por R$ 14,90, a unidade.

O congrio-rosa é pouco gorduroso, ideal para quem tem pressão alta
 (Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
O congrio-rosa é pouco gorduroso, ideal para quem tem pressão alta
 

Iguaria divina


Camarões, peixes e frutos do mar. No bufê de almoço d’O Rei do Camarão, nas unidades Beira Lago (R$ 85,90, o quilo, de terça a sexta; R$ 89,90, o quilo, aos sábados, domingos e feriados) e Águas Claras (R$ 79,90, o quilo, de terça a sexta; R$ 85,90, o quilo, aos sábados, domingos e feriados), são mais de 30 opções. Entre as que lembram a Rainha do Mar, estão o vatapá, o arroz de polvo, o ceviche de camarão com banana-da-terra, a paella, o bolinho de bacalhau e o bobó de camarão.

Para o Dia de Iemanjá, a sócia Cristiane Cardoso destaca o vatapá, servido especialmente aos domingos. "É um prato típico da cozinha afro-brasileira, chegou ao Brasil com os escravos iorubás e era chamado de ehba-tápa. No restaurante, é feito com camarões frescos e secos, pão, azeite de dendê, cebola, pimentões, tomate, pimenta dedo-de-moça, leite de coco e coentro", explica a empresária.

"Nossa cozinha usa frutos do mar e peixes amazônicos, adaptando pratos internacionais ao gosto brasileiro", continua. À noite, a casa oferece festival de camarões, peixes e frutos do mar nas unidades Beira Lago (R$ 59,90, de terça a quinta; R$ 65,90, aos sábados, domingos e feriados) e Águas Claras (R$ 59,90, de terça a sábado).
 
O vatapá é um dos destaques d'O Rei do Camarão
 (Mariane Silva/Esp. CB/D.A Press)
O vatapá é um dos destaques d'O Rei do Camarão

Muitos camarões


Quem busca variedade pode ir à Confraria do Camarão, com unidades espalhadas pelos shoppings da capital. O carro-chefe da casa é o camarão cremoso (R$ 28,50, 16 unidades) — arroz, catupiry, presunto, ervilha e batata-palha para finalizar o prato. O toque especial fica por conta da cremosidade do prato, já que a maioria dos outros são secos. É o que conta Luciana Nunes, gerente da unidade do Venâncio 2000.

Outro destaque é o camarão tropical, disponível nas unidades do Terraço Shopping, do Iguatemi Brasília, do Brasília Shopping. "É um prato levemente picante. Ele é puxado no creme de leite, leva leite de coco, cubos de abacaxi, arroz de castanhas e batata-palha", descreve.

Puxado no azeite, o camarão provençal (R$ 30,50, 16 unidades) se destaca com champignon. O alho-poró e as ervas provençais dão um diferencial ao prato. Enquanto isso, o tamandaré (R$ 29,50, 16 unidades) leva tomate seco, alho-poró e ervas finas. "Cada prato tem um diferencial. Neste último, por exemplo, o tomate seco agrega mais sabor", finaliza.

Um dos destaques do restaurante Confraria do Camarão é o camarão tropical
 (Bruno Peres/CB/D.A Press)
Um dos destaques do restaurante Confraria do Camarão é o camarão tropical

Desce o rodízio! 


Apesar de o carro-chefe ser pizza — são 37 opções —, o Pizza Mar Restaurante conta com variedade de frutos do mar. Há, por exemplo, o sushi, no rodízio (R$ 27,90, de domingo a quinta; R$ 32,90, sexta e sábado). Lasanha de camarão, casquinha de siri, merluza ao molho branco e camarão internacional fazem parte do menu. "São pratos diferentes, que puxam para os frutos do mar", destaca o gerente Pedro Ferreira.

O destaque do cardápio ficou a cargo da paella. De origem espanhola, o prato é feito com arroz, pata de polvo, anel de lula, camarão e pimentão e ganhou versão apimentada no restaurante. "Primeiro, pega o arroz à carbonara, depois, coloca o camarão, o mexilhão de lula, o anel e o pimentão. Finaliza com a pimenta", explica Ferreira.

"Nosso diferencial é que muitos restaurantes têm rodízio de massas, poucos oferecem o de frutos do mar", continua o gerente. A carta de drinques (a partir de R$ 19,90) da casa acabou de ser renovada: o queridinho da clientela é o que leva o nome da casa, Pizza Mar: a bebida ao leite é feita com morango e tem um picolé colocado em cima.
 
A paella leva em sua receita alguns frutos-do-mar (Pizzamar/Divulgacao)
A paella leva em sua receita alguns frutos-do-mar
 

É pra se sujar!


Comer caranguejo sem se sujar não é uma tarefa fácil. No Ceará Carne de Sol, as quintas-feiras são marcadas por uma deliciosa caranguejada. "É um sucesso total", afirma o proprietário, Adelson Soares.

"O caranguejo vem fresco, das praias brasileiras para cá. Eles são abatidos aqui mesmo para serem consumidos no mesmo dia", conta Adelson. A caranguejada é servida com farofa de vinagrete e a unidade custa R$ 12,90. O proprietário também ressalta a promoção do combo, pedindo quatro unidades, a quinta sai de graça. A caranguejada do restaurante é somente a partir das 18h, sempre às quintas-feiras

Apesar de ser especializada em carne de sol, Adelson vê a importância de ter o dia da caranguejada no restaurante. "Nós trazemos um pouco do Nordeste para cá, e o caranguejo caiu como uma luva, as pessoas adoram!", finaliza o proprietário.
 
A caranguejada às quintas-feiras é uma tradição no Ceará Carne de Sol
 (Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press)
A caranguejada às quintas-feiras é uma tradição no Ceará Carne de Sol
 
 
Onde comer

» BSB Grill (304 Norte, Bl. B, lj. 19; 3326-0976) e (413 Sul, Bl. D, lj. 36; 3346-0036), aberto de terça a sábado, das 12h à 0h, e domingo, das 12h às 17h.

» Ceará Carne de Sol (QE4, AE A, Quiosque 1, ao lado do Sesc, Guará; 3257-5672), aberto de domingo a quinta, das 11h à 0h; sexta e sábado, das 11h às 2h.

» Confraria do Camarão (Unidades no Terraço Shopping, no Iguatemi Brasília, no Brasília Shopping e no Venâncio 2000), aberto de segunda a sexta, das 10h às 22h; sábado, das 10h às 23h; e domingo, das 10h às 22h. Os valores podem variar conforme a unidade.

» Manatí — Restaurante e Bar (R. 37 Sul, Ed. Real Celebration, lj. 1, Águas Claras; 3546-0150), aberto diariamente das 11h30 à 0h.

» Nosso Mar (115 Norte; 3349-6556), aberto de terça a domingo, das 11h30 à 0h30.

» Pecorino Bar & Trattoria (210 Sul, Bl. C, lj 38; 3443-8878), aberto de segunda a quinta, das 11h40 à 0h; sexta e sábado, das 11h40 à 1h. (STN, cj J, lj 104/105, Boulevard Shopping; 3033-8285), aberto diariamente, das 11h às 22h. (SMAS, Tc 1, Espaço gourmet, ParkShopping; 3967-1105), aberto diariamente, das 11h às 23h.

» Pizza Mar Restaurante (Q. 12, comércio local 12, lj. 3, Sobradinho; 3022-2129), aberto diariamente, das 11h às 15h e das 18h às 23h.

» O Rei do Camarão (SHTN Tc. 1, cj. 9, Projeto Orla; 3879-9933; e EPCT QS 3, lt. 11, lj. 12 D/E, Águas Claras; 3562-0109), aberto de terça a sábado, das 11h30 às 16h e das 19h às 23h; e domingo, das 11h30 às 16h. 

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

BARES E RESTAURANTES

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK