Brasília-DF,
23/OUT/2017

Bandolinista Dudu Maia conta como aproveita a cidade no fim de semana

Quando estou em Brasília, gosto de aproveitar as paisagens do lago e de cuidar da minha filha, diz o músico

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Publicação:23/08/2013 06:02Atualização:22/08/2013 18:39
O brasiliense diz que sua rotina na cidade envolve família, trabalho e bastante contato com a natureza (Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
O brasiliense diz que sua rotina na cidade envolve família, trabalho e bastante contato com a natureza

Bandolinista há 15 anos, influenciado por Reco do Bandolim e Hamilton de Holanda, Dudu Maia é um artista que rompe fronteiras. Literalmente. Sempre em visita aos Estados Unidos, onde mantém projetos dedicados à difusão de música brasileira, o brasiliense diz que sua rotina na cidade envolve família, trabalho e bastante contato com a natureza. “Quando estou em Brasília, gosto de aproveitar as paisagens do lago e de cuidar da minha filha”, diz o músico, que curte o choro também em tempo livre.

Sábado

Manhã


Morador da 215 Norte, Maia gosta de andar no calçadão do fim da Asa, próximo de casa. Começar o fim de semana perto ou dentro do lago agrada ao artista. “Gosto de andar de caiaque, passear pelo lago, ir remando até a UnB e ver os pássaros e as borboletas. O fim de semana já começa bonito, é um passeio bem bacana de se fazer”, diz.

Tarde

O choro, paixão e profissão, está no tempo livre do bandolinista. Dudu Maia é frequentador do projeto Vila do Choro, no restaurante Vila Madá, no Deck Norte. “Vou lá e sempre há músicos de altíssimo nível. O pessoal chega e pode dar uma ‘canja’ também. Tem gente de várias gerações, desde a molecada mais nova quanto o pessoal da velha guarda”, diz. A roda ocorre todos os sábados, das 13h às 16h.

Noite

Essa parte do dia é dedicada à música ou à filha, de 3 anos e meio. “Quando não faço viagens nem shows, gosto de ficar com minha filha, Giovana, cuidando dela”, sintetiza.

Domingo

Manhã


Se o sábado termina com a filha, o domingo já inicia aos mandos de Giovana. E da natureza. “Acordo e vou com a Giovana passear no Parque Olhos d’Água. Tem parquinho legal para criança brincar. Além disso, a levo para passear nas trilhas, ver os patos, peixes, tartarugas... ela gosta de curtir tudo isso”, explica.

Tarde

A paixão de Dudu Maia por cultura não se restringe à música. Exposições, teatro, filmes e um cafezinho são opções do domingo à la Maia. “Uma ótima opção é ir ao CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil). Sempre tem exposições, atividades pra crianças, as esculturas que as crianças adoram brincar. Achei um grande ganho para a cidade, trouxe várias exposições bacanas, colocou Brasília definitivamente no circuito da arte.”

Noite

Horário de lazer para a maioria, a rotina de Dudu Maia é de trabalho nesse período. “Volto pra casa, vou para o estúdio e começo a trabalhar. O horário de trabalho do artista muitas vezes começa antes do expediente convencional. E termina depois”, resume.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

BARES E RESTAURANTES

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]